NATAL PRESS

Assessoria de Imprensa/Salesiano RN

Benjamim Horta, especialista em Prevenção ao Bullying e em Filosofia e Direitos Humanos, participou de sessão de autógrafos com alunos da Educação Infantil e Ensino Fundamental I

 

Os alunos do colégio Salesiano da Educação Infantil ao Fundamental I participaram de uma sessão de autógrafos com Benjamim Horta, especialista em Prevenção ao Bullying e em Filosofia e Direitos Humanos, que é diretor da Abrace Programas Preventivos, responsável pelo desenvolvimento do programa “Escola Sem Bullying”.

O encontro aconteceu na última segunda-feira (22) no Salesiano Dom Bosco. Os alunos acompanharam diversas histórias sobre o tema, que tem como objetivo coibir a prática do bullying. As histórias foram repassadas em livros paradidáticos, como “As aventuras de Bia”, “Nino e os Amigos da Floresta”, “Bernardo, Sofia e a Escola Sem Bullying”, que são alguns dos títulos do escritor.

Prevenção e combate ao bullying são alguns dos objetivos centrais que a Abrace, por meio do “Programa Escola Sem Bullying”, desenvolve em todo o Brasil desde 2012, e que já realiza atividades e projetos na Rede Salesiana do RN desde 2018.

SEEC/ASSECOM/NASA

 Hoje (23), tem início a quarta edição da Mostra Internacional, Científica e Cultural (Mocicult), realizada pela escola estadual Juscelino Kubitschek (EEJK), localizada no município de Assú. O evento científico tem por objetivo integrar professores e alunos em um ambiente que promova o intercâmbio de conhecimentos e estimule a popularização da Ciência entre os participantes. O evento acontece no ginásio poliesportivo deputado Arnóbio Abreu, seguindo com programação aberta até a próxima sexta-feira (26). 

Nesta quarta edição, a Mostra traz como tema central "Onde a ciência pode te levar", escolhido em alusão aos 50 anos do lançamento do Apollo 11, expedição espacial responsável por levar o homem à lua em 20 de julho de 1969.  Dentre as atividades promovidas pela Mocicult, têm-se oficinas e palestras, apresentações e avaliações de projetos, intervenções culturais, e a cerimônia de premiação dos melhores trabalhos expostos, que acontece no último dia do evento. 

Em sua abertura, a Mostra conta com a participação do estudante Eduardo Farias, representante brasileiro da World International Fairs Associate (Wifa), associação internacional de feiras de Ciência. O convidado irá contar sua trajetória e pesquisas desenvolvidas em ambiente escolar, além de levar à Mocicult credencias para eventos científicos. 

Organizado por professores, alunos e colaboradores voluntários, a Mostra recebe e expõe trabalhos resultantes das diversas áreas científicas, como Ciências da Natureza, Exatas, da Terra, Agrárias, Biológicas e Humanas. Além dos trabalhos apresentados pelos alunos da EEJK, o evento também hospeda produções oriundas de outros municípios do RN como Porto do Mangue e Mossoró, e estados, como Santa Catarina, Pernambuco e Ceará.   

Expectativas

Professora da disciplina de Ciências da Natureza na EEJK, e uma das coordenadoras da Mostra, Udsoneide Castro explica que um dos objetivos do evento é difundir a prática científica entre os alunos da instituição e, para isso, espera-se que o evento atinja, a cada ano, um número maior de participantes. 

"Nós esperamos para esse evento atingir nosso objetivo a cada ano, que é disseminar a cultura científica entre os jovens. Nessa edição em especial a gente espera atender um número maior de estudantes da nossa Escola e também esperamos que tenhamos um maior intercâmbio de cultura, de ciência dos nossos projetos internos e entre os externos", declara a professora. 

Já para a assessora pedagógica da EEJK, Cláudia Cezário, o evento trata-se de uma oportunidade para os estudantes terem acesso a iniciação científica, e estimular o interesse pela pesquisa e investigação. 

"Considerando que uma feira de ciências não se resume a apresentação de um projeto e sim ao processo no qual ele (o aluno) está inserido, esperamos que os estudantes possam amadurecer enquanto cientistas, pesquisadores e principalmente, agentes ativos de transformação social. A cada ano nossa expectativa é de que através deste evento o estudante perceba o potencial que há nele e que acredite nos seus sonhos e no poder transformador que as atividades científicas promovem no protagonismo dele", avalia Cláudia.

arquivo

 

Mais de 40 mil estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) voltam às aulas nesta segunda-feira, 22, quando começa  período letivo 2019.2. Os estudantes da UFRN estão distribuídos entre a educação infantil, técnica, graduação e pós-graduação. Neste semestre, ingressam 2.733 novos estudantes na graduação, sendo 2.284 por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), 217 para preenchimento de vagas residuais, 40 do curso de Letras Libras e 192 do reingresso de 2º ciclo.

Os ingressantes do Sisu que tiveram os cadastros efetivados até 15 de julho devem confirmar vínculo na primeira semana de aula, entre os dias 22 e 26, para assegurar o interesse e a disponibilidade de frequentar as aulas e demais atividades acadêmicas. 

O procedimento é realizado, presencialmente, nas coordenações de cursos, mediante assinatura de uma lista de confirmação. Os estudantes que tenham conseguido vaga após 29 de julho devem confirmar vínculo após o início das aulas, até 9 de agosto.

Os alunos regulares podem solicitar rematrícula entre os dias 22 e 23, período em que os alunos especiais ordinários devem realizar suas matrículas, em componentes curriculares para o período 2019.2. As solicitações são efetuadas no Sistema Integrado de Gestão das Atividades Acadêmicas (Sigaa), onde os departamentos, orientadores acadêmicos e coordenadores de curso farão análise e deferimento até o dia 24.

Com a volta às aulas algumas unidades que durante o período de recesso funcionaram em horários especiais, como a Biblioteca Central e a Cooperativa Universitária, retornam aos horários normais.  E o ônibus circular também.

 

As inscrições para o processo de seleção do Mestrado Profissional em Práticas de Saúde e Educação (MPPSE), com ingresso em 2019.2, seguem abertas até a próxima sexta-feira, dia 19 de julho de 2019, pelo Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), no endereço eletrônico http://www.sigaa.ufrn.br (caminho: Processo Seletivo - Processo Seletivo Stricto Sensu - Mestrado Profissional em Práticas de Saúde e Educação). Na página estão disponíveis o edital do processo de seleção e o formulário de inscrição.

Ofertado por meio do Programa de Pós-Graduação em Saúde e Sociedade (PPGSES), da Escola de Saúde da UFRN (ESUFRN), o curso tem como objetivo formar, em nível de mestrado profissional, trabalhadores de saúde que atuam no cuidado individual e/ou coletivo da população, na perspectiva integral e crítico-reflexiva. 

Outras informações são obtidas pelo telefone 3342-2290 (ramal 103) ou pessoalmente, na secretaria do PPGSES, localizada na Escola de Saúde da UFRN, sala 26 térreo, campus da UFRN, BR 101, Lagoa Nova, no turno da tarde, ou no site posgraduacao.ufrn.br/PPGSES.

sandro menezes

 

A importância de debater e lutar pela aprovação do novo Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) foi mais uma vez defendida pela governadora Fátima Bezerra nesta terça-feira, 16, em palestra no IV Encontro da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação do Rio Grande do Norte (UNCME/RN).

A governadora destacou como essencial aprovar o novo Fundeb como política de estado e ampliar a participação do Governo Federal no financiamento da educação básica. “Essas duas medidas vão garantir a perenidade do Fundeb e mais investimentos na educação básica, desde a creche, independente das questões ideológicas e partidárias”, justificou Fátima Bezerra.

O atual Fundeb tem validade até abril de 2020. Algumas propostas estão em debate no Senado e na Câmara dos Deputados. Uma delas é de autoria da governadora Fátima Bezerra e representa a proposta de todos os governadores dos estados brasileiros. “Fui escolhida pelos governadores para elaborar a proposta. No mês de maio último entregamos a proposta ao ministro da Educação e aos presidentes do Senado e da Câmara. O senador Randolfe Rodrigues deu entrada como Proposta de Emenda Constitucional e o presidente daquela Casa, David Alcolumbre, subscreveu”, informou Fátima Bezerra.

A proposta de Fátima e dos governadores cria o novo Fundeb como política pública permanente, incluída na Constituição Federal, e amplia a participação financeira do Governo Federal dos atuais 10% para 40%, sendo 10% no primeiro ano de vigência e 2% ao ano nos próximos dez anos até completar 40%.

“Os estados e municípios precisam oferecer educação pública de qualidade, laica e gratuita. Isto está previsto nos planos estadual e municipal de educação que enfatizam o atendimento das crianças de zero a três anos nas creches e educação em tempo integral. Isto implica na necessidade de mais investimentos”, explicou Fátima Bezerra.

A governadora do RN também destacou que a proposta contempla a formação continuada e a valorização dos profissionais da educação. “Educação é um direito universal e deve atender a população nas cidades e no campo. Por isso também é tão importante valorizar os profissionais. Nossa proposta contempla a formação continuada e a valorização salarial, equiparando com os demais profissionais do mesmo nível de formação”, argumentou.

Fátima criticou a proposta do Governo Federal que prevê apenas aumento de 10% para 15% da participação da União, no prazo de cinco anos, para o financiamento da educação básica. “Não podemos aceitar. O debate tem que ir para as ruas, envolver a sociedade em todos os setores, inclusive as igrejas. Não podermos perder os avanços já conquistados. Educação é um direito, é cidadania, é desenvolvimento”, encerrou a governadora.

O encontro da UNCME/RN ainda discutiu o “O Documento Curricular do RN e o processo de implantação” e “Desafios e perspectivas na construção dos Projetos Políticos Pedagógicos após homologação do documento Curricular do RN”. O encontro reuniu 140 conselheiros municipais de educação e conselheiros do Fundeb no auditório do Centro Administrativo da prefeitura municipal de Parnamirim. Também aconteceu a homologação e posse da diretoria e das coordenações nos 15 Polos da UNCME/RN.

A Escola de Música da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (EMUFRN) está com edital aberto para a Especialização no Ensino de Música em Múltiplos Contextos, que visa desenvolver atividades de pesquisa e ensino voltadas para preparação de professores nas atividades pedagógicas em docência da Música. Serão oferecidas 50 vagas, sendo 5 destinadas aos servidores da UFRN com nível superior, egressos dos cursos de Música e áreas relacionadas.

As inscrições devem ser realizadas, exclusivamente, via internet, através do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (Sigaa), por meio das abas Processos Seletivos, Lato Sensu, onde também é possível acessar o edital com todas as regulamentações do processo. A taxa de inscrição é de R$ 50 (cinquenta reais), e a data da realização da prova será no dia 31 de julho, às 19h, na Sala 25 da Escola de Música da UFRN.

De acordo com Valéria Lazaro, vice-diretora da Escola de Música, a especialização é necessária para estreitar o diálogo entre a teoria e a prática emergentes no âmbito do Ensino da Música. “Consideramos que um professor atualizado é aquele que busca entender e conviver com a diversidade, com os novos paradigmas na área. Nesse sentido, o curso consolida uma articulação entre a universidade, a escola e outros contextos não formais do ensino da música”, complementa.

A publicação dos resultados será no dia 7 de agosto, no mural da Escola de Musica e no site www.posgraduacao.ufrn.br/ppgmus, do Programa de Pós- Graduação em Música (PPGMus) da UFRN.

divulgação

 

Estão contemplados na lista de classificados para a segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), da qual participou quase 55 mil instituições educacionais de todo o país, 19 estudantes da Escola Maria Pereira Leite, desse modo, atribuindo um lugar de destaque ao município de Encanto.      

Atingiram as melhores pontuações no nível 1, voltado aos alunos do 6º ou 7º Ano do Ensino Fundamental, 12 meninos e meninas matriculados na unidade; enquanto no nível 2, em que concorreram alunos das séries finais (8º ou 9º Ano), houve 7 classificações, fazendo com que a equipe gestora da Maria Pereira parabenizasse seu corpo discente.  

Comentou a diretora Fátima Marcelino: “eu fico, assim, apaixonada por eles. Cada conquista que eles conseguem, para mim, é como se eu tivesse conquistando também. E, a partir do momento que eles participam, independente do resultado, já está sendo válido”.

Na fase vindoura, estarão em disputa medalhas, certificados de menção honrosa e bolsas de iniciação científica júnior. Os concorrentes passaram por outra avaliação, marcada para o mês de setembro. Em 2018, cinco estudantes chegaram à etapa final.

“A gente vê que os nossos alunos ainda querem se sobressair. Eles acham bom, mesmo não tendo tanta retribuição em nível nacional. Pra eles é bem significativo, e a gente não pode nunca, jamais, deixar de incentivá-los”, concluiu Fátima.

Os adolescentes assistidos pelo Centro de Atendimento Socioeducativo de Semiliberdade – Casemi Santa Delmira, em Mossoró, passaram a contar com curso de inglês básico. O projeto começou a ser aplicado nesta terça-feira (9) e é conduzido pelo agente socioeducativo Julião Damasceno, que é fluente no idioma.

Duas horas de aula são ministradas uma vez por semana, com o apoio de vídeos, atividades diversas e conversação.

As aulas foram divididas em três módulos: Iniciante (conhecimentos básicos e elementos como cores, alfabeto, números, animais, dias da semana, horas, saudações); Básico I (pronomes, tempos verbais, formulação de perguntas e respostas curtas) e Básico II (frases afirmativas, negativas, tag questions, leitura e compreensão de textos curtos).

“Existem inúmeras vantagens de aprender inglês durante a infância e adolescência, entre elas, ampliar a capacidade de raciocínio, criatividade e oralidade nos adolescentes, além de proporcionar novas experiências em um segundo idioma”, explica a psicóloga do Casemi Santa Delmira, Thainar Oliveira.

A gerente do Casemi, Priscila Lima, concorda: “Ter o inglês como uma segunda língua abre muitas portas. Começando pela porta do mercado do trabalho, além de proporcionar um vasto conhecimento de habilidades comunicativas e sociais”, disse, ao ressaltar que os jovens se mostraram abertos ao novo projeto. “Foram participativos, demonstrando bastante interesse em mergulhar nessa nova experiência”, conclui.

divulgação
 
Considerada a maior competição internacional de Matemática do mundo, a edição 2019 da Olimpíada Canguru de Matemática premiou 26 alunos de uma das mais conceituadas escolas de ensino privado de Natal, o colégio CEI Mirassol. Anualmente, milhões de estudantes de todo o mundo participam do evento que se propõe, entre os seus objetivos, a desmistificar a disciplina mais temida entre a maioria dos jovens
 
Entre os 26 estudantes premiados, quatro conquistaram medalhas de ouro, quatro de prata, nove de bronze e nove de honra ao mérito.
 
Os estudantes participam da olimpíada resolvendo testes de múltipla escolha com a proposta de mostrar que os números podem ser interessantes, úteis e divertidos, além de avaliar a qualidade do ensino da matemática oferecido pelo sistema educacional do qual fazem parte.

O Concurso Canguru de Matemática é uma competição anual destinada aos alunos do 3º ano do Ensino Fundamental até os do 3º ano do Ensino Médio. É a maior competição internacional de Matemática do mundo, com um total de 6 milhões de participantes (todo ano) e realizada em 75 países.
 

Parcerias entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e a Secretaria Municipal de Educação de Natal (SME) para a alfabetização de adultos foram discutidas nesta quarta-feira, 3, em reunião na Reitoria da UFRN. O reitor em exercício, Henio Ferreira de Miranda, recebeu a secretária municipal de Educação, Cristina Diniz, que explicou sobre o projeto voltado à diminuição do índice de analfabetismo na capital potiguar.

Previsto para iniciar em agosto deste ano, o trabalho atenderá, inicialmente, 750 pessoas e contará com cinco polos de ensino, distribuídos entre as zonas Norte, Sul, Leste e Oeste. O apoio da UFRN será prestado na formação dos seis coordenadores e 30 professores, por meio dos profissionais do Centro de Educação (CE).

Uma nova reunião ficou marcada para a próxima semana, com a participação dos professores da Universidade que prestarão assessoria ao projeto.



Twitter