○ Quando muito (ou nada) de novo surge, aparece ou acontece nas telas, é o que permanece mesmo. Do dito pelo não dito – na casa do seu Benedito – também é o que tem para hoje. Molduras em cena, em movimento contínuo, constante, idem, na praxe do assunto. Tais delas, na sinopse do que vem pela frente, e ademais capítulos a serem seguidos ao pé da letra, ´mamas in the papas` (na ponta da língua) acredite quem for capaz. Aliás, veja antes que desatem depois ao que soletro ´´vamos investigar´´, ´´nego as acusações``.

○ Pois sim, algo que estava engasgado para dizer desde outro dia: ´´Eu não sou o canadense John Malkovich mas o meu celular pega até debaixo d´água!`` Por questão de segurança, em épocas de partilha do Pré Sal (de cozinha) por essas e por outras bandas, nem os inseparáveis Aldo&Hildo precisam espionar isso. Em épocas atuais, sim, não me desmintam na pitada da minha língua, que reciclar o verbo é mais que preciso. Na política nossa de cada dia nem se fala! Não tem jeito. Vivem em sintonia, em vão. Só não pichem a esperteza do ´´Palhaço 222`` mais votado do Brasil, que comparece em todas as sessões (mega) extraordinárias da Casa, recebe o líquido bruto, sem fazer nada. ´´Pior do que está, bom``. Risada Brasil é que não cabe mais recurso. Só em concurso para aqueles que vem em carreatas para a próxima eleição. Frente ao recicláveis, né! E vá! Com tanta mordomia vão salvar o Brasil dos finalmente engravatados como? Na mão grande...

○ Muito pelo que, para aqueles mais saudosos que se recordam do mel Caro, com tantas dívidas em andamento, o grande barato é que nada sai de caro. Mentes que brilham na Câmara e no Senado circulam aos montões e não pegam fila sequer na hora das subdivisões dos seus ordenados e comandas gratificantes. (O que? Alguém citou a lista dos ´´ordenados repatriados``, deles?) O ´´Santo Remédio`` para combater a corrupção em massa é que não foi testado ainda nem mesmo pela ordem dos genéricos. De recurso em recurso tudo segue o seu curso. Coisa que (dizem, e como dizem) se muitas vezes resolvemos tudo na vida mediante um sim ou um sonoro não – daquele tamanho – o talvez pode adiar, normalmente, uma decisão. Sempre. Procrastinar também entra na baila do assunto. Sem grande ministérios bem como daqueles que aprenderam a voar baixo, rasteiro, sorrateiro. Ou, ainda, pular de galho em galho. Digo, de partido em partido. Nível Marina Silva (in)sustentabilidade 1, 2, 3. Nível ´´amigos eu não sei, simpatizantes em ganhos divisórios``, esses aparecem em todos os canais. Nível...

○ Confirma? Não menos duvidoso do que será o repeteco pós eletivo do amanhã? Então, como podemos acenar que as aparências são – muitas vezes – aquelas que também sonegam e grandemente desenganam, a ordem dos fatores (como pela Ordem ´´Lulística`` e dos incansáveis Proteus&Pometheus) nem sempre são comuns. E grave aí no ímã de colchete da sua cabeceira que se os sinos dobram, logo, os mesmos se desdobram à mercê da boa e dedicada audiência. Ou seria pela costumeira falta quorum? Decore. Que a piada quando contada de trás para a frente pode surtir algum efeito. (Se contada pelo patrão, aquele que riu por último, pode colocar o emprego em risco).

○ Prossiga. Segundo a lei do ´´Aqui se faz e aqui se propaga``, tal essa, dita alhures, passa além da ´´Máfia do Asfalto Recapeado`` e que virou assunto ´Kassab no muro` a ser comentado como a bola da vez. Portanto, e uma vez mais, aos nossos representantes (que persistem em ser do povo, torrando o dinheiro, que persistem em ser do povo) o meu apreço. Não vou ´voltar`, e daí? Justifico. ´´Nego todas as confirmações``. E acaso não seja pedir demais, dia destes pretendo me autobiografar – e não importa se por linhas tortas, ou, sequer pela ordem do vale o quanto pesa.

– Mas com, se continuam os boatos que o ´Mc Hamburger Number One`, Obama, continua bisbilhotando a vida dos outros? Bolas, é ou não do naipe cultural que a vida dos outros, dúzias de vezes no decorrer do dia, continua sendo muito mais empolgante do que a nossa? Televisivas ou não (to be or not) e daquelas mais que ungidas ao sal grosso! Churrascão de domingo, é pouco.
(continua...)

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog: http://modarougebatom.blog.terra.com.br
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista
www.facebook.com/celsocolunista