NATAL PRESS

Rayane Mainara

crise1

A logística e estratégias de segurança pública para conter os atos de vandalismo no Rio Grande do Norte começaram a ser traçadas pelo Governo do RN, através das Secretarias de Estado da Segurança e da Justiça e Cidadania, com os comandos do Exército e Marinha na noite desta segunda-feira (1º), em reunião liderada pelo governador Robinson Faria. No domingo, a Presidência da República autorizou o envio de 1.200 militares para reforçar a segurança e reprimir as ações criminosas que ocorreram em 21 municípios no estado.

A reunião, ocorrida no Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que agrupa profissionais em ações de monitoramento, investigação e inteligência, contou com os secretários de Segurança Pública, Ronaldo Lundgren, da Justiça e da Cidadania, Wallber Virgolino, com o comandante-Geral da Polícia Militar, coronel Dancleiton Leite, e os comandantes da 7ª Região Militar em Recife e da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada.

O governador Robinson Faria, que havia afirmado mais cedo em entrevistas que não recuaria da decisão de instalar bloqueadores de telefone celular nos presídios potiguares, reiterou que as ações ostensivas de repressão continuarão a ocorrer em vários pontos do estado, mas agora de forma mais intensa em virtude da participação dos militares.

“Essa parceria da força militar com os nossos policiais é essencial para esse momento que estamos enfrentando os bandidos. Discutimos aqui qual o papel de cada um, as responsabilidades, para definirmos a logística e garantir a volta da normalidade”, assegurou o governador.

O chefe do Executivo Estadual, que vem recebendo apoio massivo da população pela forma como vem conduzindo as ações, falou também da sensação de segurança para os cidadãos. “Já houve uma melhora da percepção de segurança. Os ataques estão diminuindo porque as facções criminosas estão perdendo força. As prisões estão aumentando, as investigações acontecendo e a sensação de tranquilidade voltando”, ressaltou.

Dentre as medidas contundentes adotadas pelo Governo e pontuadas pelo governador está, por exemplo, a remoção de cinco chefes de facções para o presídio federal em Mossoró. O objetivo é desarticular os grupos e impedir que sejam ordenados crimes de dentro das penitenciárias, como depredação do patrimônio público, explosões de caixas eletrônicos, arrastões e homicídios.

“Nós agimos rápido, como demanda a situação atual. Identificamos e removemos os líderes para que eles fiquem incomunicáveis e impedidos de emitir qualquer tipo de ordem. Esse foi um avanço e demonstra uma melhora no padrão de segurança. Não vamos recuar no combate à criminalidade”, disse o governador, garantindo que em até 90 dias bloqueadores de sinal de celulares serão instalados nas outras unidades prisionais do estado, todos adquiridos com recursos próprios.

pf/rn

pfpecs

A Polícia Federal prendeu nesta segunda-feira (18), em São José de Mipibú, Região Metropolitana de Natal, uma natalense, 22 anos, acusada de tentar obter um empréstimo consignado no valor de R$ 11 mil, utilizando-se de documentação falsificada. A mulher foi presa em flagrante quando se encontrava no interior de uma agência da Caixa Econômica Federal.

A ação aconteceu quando a PF investigava uma informação dando conta de que, na semana passada, uma pessoa havia procurado a agência da Caixa naquele município buscando obter um empréstimo consignado. No entanto, dada as características dos documentos apresentados, tais como: cédula de identidade expedida recentemente e o tipo de benefício requerido (pensão por morte), além do fato desse estar vinculado a um outro município, levantou-se a suspeita de que a transação poderia se tratar de uma fraude.

Assim, quando a mulher regressou a agência no dia de ontem para receber o dinheiro, uma equipe da PF já estava a sua espera. Ao ser abordada, ela mostrou-se visivelmente nervosa e na rápida entrevista a que foi submetida, apresentou três cidades distintas como sendo o seu local de nascimento, além de ter caído em contradição em várias outras perguntas.

Desmascarada, a acusada recebeu voz de prisão e foi conduzida para autuação na superintendência da PF, em Natal.
Durante o seu depoimento, a mulher confessou que se utilizava dos dados de uma pensionista do INSS, mas perguntada sobre como obteve a documentação, quem seriam os seus comparsas e qual a porcentagem que teria direito caso houvesse recebido o empréstimo, reservou-se ao direito constitucional de permanecer calada.

Indiciada nos crimes de estelionato, falsa identidade e uso de documento falso, ela encontra-se custodiada na sede da PF, onde vai permanecer, à disposição da Justiça.

divulgação

cbtu123

A Superintendência de Trens Urbanos de Natal (CBTU/STU-NAT) participou na tarde desta quinta-feira, 14, de reunião com o Secretário Estadual da Segurança Pública e Defesa Social (SESED), General Ronaldo Lundgren. O encontro, solicitado pelo Superintendente Leonardo Diniz, teve como pauta a melhoria da segurança no sistema ferroviário da Grande Natal.

“Nos últimos meses recebemos uma série de reclamações de nossos usuários, no tocante a insegurança nas estações e nos trens. Através desta visita a SESED, estamos buscando o apoio das polícias civil e militar para acabar com os problemas relativos à segurança em nosso sistema”, afirmou Leonardo Diniz.

A CBTU E SESED entraram em entendimento e firmaram parceria para a implantação de um plano de segurança no sistema de trens, que atende a Região Metropolitana de Natal. Em breve, o policiamento será intensificado tanto nas estações, quanto no interior do VLT.

Também participaram da audiência, o Secretário Adjunto da SESED, o corpo técnico operacional da CBTU e os Diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias do RN.

pf/rn

pfpeqrio

A Polícia Federal, deflagrou na manhã desta sexta-feira (15), na Região Metropolitana de Natal, a Operação Pequeno Rio* destinada a apurar atos de corrupção e lavagem de dinheiro atribuídos a um ex-secretário de Parnamirim/RN, além de reunir provas de corrupção ativa, relacionadas a contratos diversos celebrados entre empresas e aquele município.

Na ação, a PF mobilizou 65 policiais e está cumprindo 13 mandados judiciais de busca e apreensão em Natal e São Paulo/SP.

A investigação teve início com a notícia de que o então secretário apresentava um patrimônio expressivo e incompatível com os seus rendimentos.
Como a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público daquela cidade já tinha procedimento investigativo sobre o caso, a Polícia Federal, obteve o compartilhamento de dados com o Ministério Público do RN. Além disso, reuniu indícios de corrupção passiva do investigado, supostamente praticada no interesse de uma empresa contratada pelo município de Parnamirim, a partir de repasses de recursos federais.

A apuração preliminar veio confirmar as suspeitas, tendo ainda sido constatado que parte dos bens do ex-secretário estaria em nome de terceiros.
Com a instauração do inquérito policial, ao longo da investigação, surgiram, evidências de que o investigado, com certa regularidade, também recebia vantagem indevida de outras fontes.

Haverá coletiva na superintendência Regional da PF, às 10h de hoje.

(*) O batismo da operação, traduzido da expressão “Paranãmirim”, em tupi-guarani, é alusivo ao significado do nome da cidade onde ocorreram os fatos.

pf/rn

federa14

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (14/7), em Angicos, na Região Central Potiguar, a Operação La Gitana*, visando investigar fraudes cometidas na concessão de benefícios previdenciários. A operação é resultado da Força Tarefa Previdenciária composta pela PF e a Representação da Assessoria de Pesquisa Estratégica de Gerenciamento de Risco (REAPE/RN)

Três pessoas foram presas em flagrante suspeitas de estelionato e formação de quadrilha: um ambulante, paraibano, 26 anos; um auxiliar de cozinha, 46 anos e uma dona de casa, 65 anos, ambos potiguares.

Há dias, os acusados haviam dado entrada em requerimentos distintos utilizando-se de documentos que, após analisados pelos funcionários do INSS, levantou-se fortes indícios de que poderiam ser falsificados devido, principalmente, ao fato de que todos haviam sido expedidos com data recente e apresentavam o mesmo endereço residencial, dentre outras irregularidades.

Acionada, a PF deslocou uma equipe até Angicos e deu voz de prisão ao três suspeitos no interior da agência do INSS, no exato momento em que eles tentavam receber, indevidamente, os benefícios assistenciais da Lei Orgânica de Assistência Social (LOAS), que ampara pessoas idosas ou deficientes.
Os acusados receberam voz de prisão e foram conduzidos para a superintendência da PF em Natal. Após autuação, o trio permanece custodiado, à disposição da Justiça.

A PF informa, ainda, que as investigações serão sequenciadas visando apurar se existem outras pessoas envolvidas neste tipo de modalidade criminosa naquela região.
(*) O nome da operação, traduzido para o espanhol, refere-se ao fato de que a principal acusada é de origem cigana.

pf/rn

pf04jullho

Mossoró/RN - A Polícia Federal prendeu em flagrante, na tarde deste domingo (3) em Mossoró, Região Oeste do Estado, um caminhoneiro, paulista, 56 anos, acusado de

tráfico de drogas. Com ele, foram apreendidos aproximadamente 62 quilos de cocaína, além de um revólver cal. 38, munições e R$ 8 mil. A ação aconteceu quando os policiais investigavam uma informação dando conta de que um caminhão Scania, com placas de Presidente Prudente/SP, chegaria no dia de hoje, trazendo um carregamento de drogas do Mato Grosso do Sul para ser distribuído na cidade.

De posse das características do veículo, os policiais passaram a vigiar as principais entradas de Mossoró e, no início da tarde, conseguiram identificar o caminhão suspeito que havia parado para abastecer em um posto de combustível situado às margens da Ao ser abordado, o motorista não ofereceu resistência. A arma que ele conduzia foi encontrada depois de uma revista feita na cabine, onde também estavam, acondicionados em sacos, os tabletes da droga.

O acusado recebeu voz de prisão e foi levado para a sede da delegacia da PF, no bairro de Nova Betânia, onde foi autuado. Durante o seu depoimento, o suspeito se negou a responder a maioria das perguntas, invocando o direito constitucional de permanecer calado e só falar em Juízo.

Indiciado por tráfico interestadual de drogas e porte ilegal de arma de fogo, o acusado foi encaminhado para a Cadeia Pública de Mossoró, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Em uma inciativa conjunta com a Caixa Econômica Federal (CEF), a empresa potiguar, Interfort Segurança, vai realizar, em Recife (PE),  neste sábado, dia 02, o “Seminário de Segurança Bancária”, que reunirá cerca de 200 profissionais que atuam na segurança de bancos em todo o estado de Pernambuco, e que serão capacitados e orientados sobre como agir diante de situações de risco.

O evento, que ocorrerá no Círculo Católico de Pernambuco, no horário das 8 às 12 horas, contará com palestrantes da Polícia Federal, consultores de segurança da Caixa, da Escola de Treinamento e Formação de Seguranças, além de executivos da Interfort, como José Reinaldo Santos, responsável pelo gerenciamento de Operações da Interfort na região Nordeste.

Durante o evento, os participantes vão ter acesso a um conteúdo sobre situações de risco ocorridas nos últimos meses em agência bancárias de todo o Brasil.

Segundo grau completo

A legislação do setor de segurança também deverá ser abordada pelo especialista da Polícia Federal, Everaldo Mariz, com destaque para a Lei 7.102, que tem alguns de seus aspectos em discussão no Congresso Nacional e que, caso seja aprovada a sua alteração, o exercício da função de segurança bancário será restrita para profissionais que tenham o segundo grau de ensino completo.

“Esse assunto está em discussão no Congresso, e caso seja aprovado, quem tiver uma escolaridade inferior ao segundo grau completo ficará impedido de atuar como profissional de segurança bancária, ou vigilante, como chamado popularmente esses profissionais”, revela o empresário Edmilson Pereira de Assis, diretor do grupo Intefort.

Já o executivo Saulo Pessoa, gerente Norte Nordeste de Segurança da Caixa Econômica e diretor da Associação Brasileira de Segurança (ABSEG), vai falar sobre procedimentos de segurança e eventos como assalto e explosão em agencias bancárias.

WhatsApp

A exemplo do que aconteceu em seminário semelhante ocorrido recentemente em Natal (RN), é provável que em Pernambuco os profissionais de segurança também sejam orientados a não utilizarem whatsApp e redes sociais durante a jornada de trabalho. O acesso a redes sociais, através da utilização de smartphones, é considerado um facilitador para a ação de assaltantes, por tirar a atenção dos seguranças.

“Há casos recentes de que o uso de whatsApp por seguranças de bancos facilitou a ocorrência de assaltos em agências bancárias em vários estado, inclusive no Rio Grande do Norte”, revela Edmilson Pereira.

No seminário, os especialistas também alertaram sobre a questão de eventuais extravios de fardamentos de seguranças de bancos, outro fator que facilita a ocorrência de assaltos. “É de responsabilidade do segurança de banco proteger fardas e armas, e em caso de perda realizar um boletim policial e comunicar as autoridades do setor”, explica Edmilson.

pfdia13

A Polícia federal prendeu em flagrante na última quarta-feira (15) em Parnamirim, Região Metropolitana de Natal, dois homens com idades de 32 e 38 anos, ambos potiguares, suspeitos de integrar uma quadrilha de arrombadores que praticou assalto contra a Caixa Econômica Federal em Natal, no último final de semana. Com a dupla foram apreendidos carros, dinheiro e diversos apetrechos utilizados nos ataques aos caixas eletrônicos.

A ação aconteceu quando a Delegacia de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio e ao Tráfico de Armas (DELEPAT), investigava o arrombamento praticado no dia 12 deste mês, contra um terminal eletrônico da Caixa Econômica Federal, situada na Av. Maria Lacerda Montenegro, Zona Sul da capital.

A PF conseguiu chegar ao paradeiro dos acusados, a partir da análise feita em imagens de câmeras instaladas em via pública, as quais mostravam, no dia do crime, um automóvel suspeito circulando nas imediações daquela agência. Posteriormente, um carro com as mesmas características foi encontrado no endereço em que os homens estavam e, também foi apreendido, juntamente com furadeiras, alavancas, alicates, maçaricos, lixadeiras, lanternas, além de três veículos, documentos de identificação falsificados, cartões de crédito, envelopes de diversos bancos e cerca de R$ 11 mil em espécie, sendo que algumas cédulas estavam parcialmente queimadas.

Após receberem voz de prisão, eles foram conduzidos para autuação na sede da PF, mas durante o interrogatório, na presença de seus advogados, negaram participação nos atos criminosos.

A Polícia Federal somente hoje (18), noticiou a prisão dos homens porque a investigação teve prosseguimento e, qualquer divulgação anterior poderia prejudicar outros desdobramentos em relação ao caso, os quais terminaram não se concretizando.

Indiciados nos crimes de formação de quadrilha, receptação e falsificação de documento público, a dupla foi transferida da sede da PF para o Centro de Detenção Provisória de Pirangi, onde vai permanecer custodiada, à disposição da Justiça.

pf/rn

pfect

A Polícia Federal deflagrou na manhã de hoje (7), na Região Metropolitana de Natal, a operação Trangola, visando prender uma quadrilha acusada de assaltar agências dos Correios e promover explosões de caixas eletrônicos.

Cerca de 25 policiais estão cumprindo quatro mandados de busca e apreensão e quatro mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça Federal/RN, nas cidades de Parnamirim e Ceará-Mirim.

A investigação teve início há pouco mais de dois meses e é um desdobramento de uma outra operação da PF, a “Clientela”, que prendeu em flagrante uma quadrilha composta por três homens e uma mulher, no momento em que eles se preparavam para assaltar uma agência dos Correios na Cidade Satélite, Zona Sul da capital, em fevereiro deste ano.

Haverá entrevista coletiva às 10h30 desta terça-feira, na  sede da PF (Rua Dr. Lauro Pinto,155 – Lagoa Nova).


Obs.: o nome da operação significa “homem alto e magricela”, o que corresponde às características físicas de alguns dos envolvidos nos crimes.

rayane guedes

sindesp

O Sindicato das Empresas de Segurança Privada e Transporte de Valores (Sindesp/RN) participou nesta sexta-feira (03) de uma Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte que debateu a integridade física dos vigilantes de empresa privada. No evento, o sindicato foi representado pelo vice-presidente da Fenavist, Edmilson Pereira, que apresentou um relatório da categoria para embasar uma atualização da atual legislação.

“A segurança do vigilante é uma preocupação constante para o empresário e para o sindicato, tanto que a Fenavist criou uma comissão especial para montar um relatório com sugestões de mudanças para aumentar a segurança do nosso profissional”, registrou o vice-presidente. O documento foi elaborado em parceria com diversas instituição e o relatório final foi divulgado no mês de maio. O texto será agora enviado à Polícia Federal e ao Congresso para atualização da Lei Nº 7.102, de junho de 1983 que trata do assunto.

De acordo com dados da Comissão Independente para Assuntos de Segurança Privada (Ciasp), em 2015 foram registrados, no Rio Grande do Norte, 86 atentos contra vigilantes, sendo 3 deles com vítimas fatais. Em 2016, já foram 34 atentos com 1 vigilante morto.

Para o representante das empresas de segurança privada, as soluções para o problema são práticas. “Entre as sugestões, por exemplo, levantamos que os bancos deveriam dispor de vidros blindados em sua área externa. Outro ponto sugere a questão da segurança eletrônica em órgãos públicos, é uma solução viável e prática e que precisa ser discutida”, explicou.

A segurança pública também foi lembrada durante a audiência. Para o procurador do trabalho Luis Fabiano, o exercício da profissão de segurança privada coloca o vigilante na linha de frente da fatal de segurança pública. “O problema maior é, claro, a segurança pública. O que percebemos é que a insuficiência de uma política desse tipo tem resultado nessa situação de vulnerabilidade. Situação essa que em geral e em especial os vigilantes sofrem mais que os demais por que cobrem esse espaço vazio no exercício da segunda privada”, registrou.

Participaram ainda da audiência o deputado federal Rafael Motta, o vereador Sandro Pimentel e o presidente do Ciasp Alexandre Bispo. Além dos presentes foram convidados, mas não compareceram, representantes da Polícia Militar, Polícia Civil e Polícia Federal.



Twitter