NATAL PRESS

Demis Roussos

sejucs

O Governo do Estado detalhou, nesta segunda-feira (16), o andamento das investigações sobre a rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz ocorrida no último final de semana.

A Polícia Militar, com apoio do Grupo de Operações Especiais (GOE) e Grupo de Escolta Penal (GEP), adentraram na unidade prisional e retiraram cinco detentos apontados como chefes da rebelião. Eles foram levados para a Polícia Civil, onde serão ouvidos pelas autoridades competentes. Os presos foram identificados como: Paulo da Silva Santos; João Francisco dos Santos; José Cândido Prado; Paulo Márcio Rodrigues de Araújo; e Tiago Souza Soares. Durante a ação, também foram retiradas do presídio armas brancas e armas de fogo de fabricação caseira.

“Todos os dias estamos realizando operações em Alcaçuz. Primeiro fizemos a retirada dos corpos. Agora fizemos a retirada das lideranças da organização criminosa que comandou a rebelião. Depois vamos fazer a recontagem dos presos da penitenciária”, explicou o secretário da Justiça e Cidadania do RN, Wallber Virgolino. Esses apenados devem responder por crimes como organização criminosa e homicídio.

Além disso, nesta segunda o Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) confirmou a identificação de quatro dos 26 corpos retirados da penitenciária, são eles: Jefferson Pedroza Cardoso; Anderson Barbalho da Silva; George Santos de Lima; e Diogo de Melo Ferreira. Todos foram identificados por comparação de digital através dos exames papiloscópicos.

“Tivemos um apoio importante da Polícia Federal, que nos enviou papiloscopistas para ajudar nesse processo. Em conjunto com as nossas equipes, estamos trabalhando para fazer a liberação desses corpos o mais rápido possível”, destacou o secretário da Segurança do RN, Caio Bezerra.

g1

g1alcancuza

Com relação à situação no presídio estadual de Alcaçuz, o Governo do Estado do Rio Grande do Norte presta os seguintes esclarecimentos:


O Instituto-Técnico e Científico de Perícia (ITEP) tem realizado o trabalho de retirada dos corpos. Na noite deste domingo (15), foram contabilizados 26 óbitos.

Em virtude das instalações do presídio estarem bastante danificadas, por causa das últimas ocorrências, e por ainda concentrarem detentos nas áreas internas, tem sido um trabalho difícil e demorado. Outro fator que também dificulta a identificação é a situação em que alguns corpos foram encontrados.

O ITEP permanece trabalhando e existe a possibilidade de que outros corpos sejam descobertos nas dependências do presídio, portanto, esses números poderão ser atualizados. O Governo do Estado trabalha com absoluta transparência e não tem interesse em esconder as informações.

As ações policiais ainda atuam em Alcaçuz para preservar o controle no local.

Nesta segunda-feira (16) está em andamento uma operação no presídio, com GOE, Choque e Bope, além do apoio de outros órgãos, para a realização de um pente fino no presídio, com o objetivo de manter a ordem e identificar se há outros mortos.

A Secretaria de Estado de Justiça e Cidadania (Sejuc) está gradativamente realizando a contagem de presos nos pavilhões. Só após a conclusão dessa contagem será possível confirmar se houve fugas.

Na madrugada, por volta das 3h da manhã, detentos do presídio provisório Raimundo Nonato, na zona Norte de Natal, iniciaram um motim. Alguns colchões foram queimados e os agentes realizaram alguns disparos para conter o grupo, até a chegada do reforço da Polícia Militar com o BOPE e BP Choque na área externa. Até o início da manhã, a PM permaneceu no local aguardando a chegada do Grupo de Operações Especiais (GOE) para realizar uma revista no local.  A situação está controlada e não há informação sobre feridos na unidade.

A partir das 17h os secretários de Justiça e Cidadania, Wallber Virgolino, e da Segurança Pública, Caio Bezerra, estarão à disposição da imprensa na sede da Secretaria de Segurança Pública para prestar as informações mais recentes sobre as ações realizadas nas últimas 24 horas.

A classe dos agentes federais tem motivo para comemorar as vitórias dos candidatos policiais federais eleitos após as últimas eleições. Neste dia 1º de janeiro de 2017, quando os novos prefeitos e vereadores tomaram posse em todo país, os agentes federais celebraram.

No Rio Grande do Norte foram eleitos quatro agentes federais, que foram inseridos na política e conseguiram a vitória nas urnas. Foram eles: o novo prefeito de Jundiá, José Arnor (PSD), o novo prefeito eleito em Pureza, Neto Moura (PRP), além dos vereadores Oscar Paulino (PMDB) em Macau, e o vereador Genildo Medeiros (PDT) eleito em Ouro Branco e também eleito presidente da Câmara Municipal daquele município para o biênio 2017-2018.  

Em todo Brasil foram eleitos seis prefeitos, um vice-prefeito e 13 vereadores.  Neste dia 1º de janeiro de 2017 todos eles tomaram posse dos devidos cargos.

O presidente do Sinpef/RN, José Antônio Aquino, classificou a eleição dos policiais como uma grande vitória e lembrou a atuação de outros nomes da Polícia Federal na política nacional, além de ressaltar a força da imagem da Polícia Federal. “O resultado positivo nas eleições demonstra a força da imagem da Polícia Federal, que está relacionada às marcas da ética no combate a corrupção, à Operação Lava Jato, à Operação Zelotes, ao combate e repressão ao tráfico e uso de drogas”, disse Aquino.

divulgação

cadeias

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte conseguiu a liberação de R$ 50 milhões do Fundo Penitenciário Nacional que estava retido pelo Governo Federal. A liberação é resultado de uma ampla articulação iniciada ainda em 2015 pelo Governo do RN que identificou uma decisão do Supremo Tribunal Federal determinando o repasse pela União aos Estados dos recursos que estavam retidos para promover superávit primário.

Diante da decisão do STF, o governador Robinson Faria reuniu os demais governadores e pediu mobilização para liberar os recursos. E sugeriu adoção de todas as medidas possíveis, inclusive jurídicas. Mas não obteve o apoio necessário, vez que alguns tinham como prioridade a renegociação da dívida com a União, como, por exemplo, o Rio Grande do Sul, que tem dívida de mais de R$ 50 bilhões, Minas Gerais e Rio de Janeiro com dívidas superiores a R$ 80 bilhões.

O Governo do RN, então, através da Procuradoria Geral do Estado iniciou uma articulação com os demais procuradores dos Estados. “E conseguimos uma mobilização e esforço conjunto, que resultou na liberação”, explica o procurador-geral do Estado do RN, Francisco Wilkie.

A administração estadual também procurou e obteve o apoio do Ministério Público Estadual e do Ministério Público Federal, inclusive o contato direto com o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot.

O governador Robinson Faria e o procurador Francisco Wilkie, que é presidente do Colégio Nacional de Procuradores dos Estados, também fizeram gestões junto ao STF. “Fizemos uma mobilização muito forte e quando a ministra Carmem Lúcia assumiu a presidência do STF o govenador Robinson Faria e os demais governadores foram a ela mostrar a importância da liberação para os Estados”, explicou Wilkie.

Robinson Faria destaca que “O RN teve participação efetiva e decisiva no processo para liberação dos recursos do Funpen ainda no primeiro ano da nossa gestão. Uma luta de mais de um ano do nosso Governo, que agora se mostra vitoriosa e que vai permitir novos investimentos e melhorias nos serviços prestados pelo Estado”.

Planejamento para aplicação dos recursos

O secretário de Estado de Justiça e Cidadania, Walber Virgolino informou hoje (29) que a administração tem um plano de aplicação dos recursos do Funpen. O plano contempla a construção de unidades prisionais para até 200 apenados em todas as regiões do Estado, Centro de Detenção Provisória em Natal e penitenciária em Mossoró. Além disso os recursos também serão empregados no aparelhamento do sistema penitenciário, equipamentos de raio-x, aquisição de armamento, viaturas. “Nosso objetivo é criar três mil vagas no sistema, dentro das regras da Lei de Execuções Penais”, afirmou Walber Virgolino.

Ele acrescentou que o Governo do Estado continua trabalhando para melhorar seus serviços e lembrou que em 2016 foram reduzidas em 80% as fugas, instalados bloqueadores de celular, impedidas as ameaças a autoridades e ordens para crimes oriundas de dentro dos presídios, reativada a escola penitenciária, instalada a Unidade Básica de Saúde dentro dos presídios para evitar o deslocamento de apenados e ampliado o uso de tornozeleiras eletrônicas.

A Polícia Federal prendeu na madrugada deste sábado, 24/12, no aeroporto Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, um instalador hidráulico, 22 anos, catarinense, que vinha da Europa e foi flagrado com cerca de 50 mil comprimidos de ecstasy na bagagem.

A prisão do suspeito aconteceu quando era feita uma fiscalização de rotina na área do desembarque internacional. Ao ser preliminarmente entrevistado, o passageiro, que conduzia duas malas e vinha de Lisboa, Portugal, ficou bastante nervoso, caindo em contradição algumas vezes e levantando fortes suspeitas de que estivesse transportando algum tipo de droga, o que foi confirmado, logo em seguida, após a realização de uma minuciosa revista na sua bagagem, quando foram encontrados os comprimidos prensados em forma de tabletes (barras) e ocultos nos fundos falsos das duas malas.

De imediato, o acusado recebeu voz de prisão e foi levado para autuação na sede da PF. Durante o seu interrogatório, ele se recusou a responder todas as perguntas que lhe foram formuladas e invocou o direito constitucional de permanecer calado e só falar em Juízo.

Indiciado por tráfico internacional de drogas, o acusado, que não registra antecedentes criminais, foi submetido na manhã de hoje, a exame de corpo de delito no ITEP e permanece custodiado na Superintendência da PF, à disposição da Justiça.

Esta foi a segunda maior apreensão de ecstasy já realizada pela Polícia Federal no Rio Grande do Norte em toda a sua história. O recorde, que é de 58 mil comprimidos, aconteceu em maio de 2007, no antigo aeroporto Augusto Severo, em poder de um empresário holandês que na ocasião também desembarcava de um voo procedente da Europa.

A Polícia Federal prendeu ontem (12/12) em uma oficina de conserto de ar condicionado em Candelária, Zona Sul de Natal, um homem, 44 anos, acusado de assaltos a banco e formação de quadrilha. Contra ele, existiam dois mandados de prisão em aberto expedidos pela Justiça do Piauí e Maranhão.
A prisão do suspeito foi possível após investigações realizadas por policiais da Delegacia da PF em Mossoró, as quais levantaram os prováveis endereços onde ele poderia estar escondido na capital potiguar, uma vez que era procurado por crimes cometidos nos municípios de Jaicós/PI e Vitorino Freire/MA.

Durante as diligências para localizá-lo, também foram cumpridos, com apoio da DEICOR, dois mandados de busca expedidos pela Justiça em endereços residenciais de alguns dos seus parentes, inclusive, o de uma filha, onde foram apreendidos:  R$ 27 mil em espécie, balaclavas, luvas, documentos falsos, rádios comunicadores, etc.

Pesa ainda contra o homem agora detido, a acusação de envolvimento no assassinato de um soldado da polícia militar ocorrido em fevereiro de 2011 em Jaguaribara/CE, quando uma quadrilha da qual ele fazia parte invadiu aquela cidade para assaltar a agência do Banco do Brasil. Na ocasião, duas outras pessoas saíram baleadas durante a ação dos criminosos que conseguiram fugir.
O preso permanece custodiado na Superintendência Regional da PF, onde aguardará o pronunciamento da Justiça.

pf/rn

darknet

A Polícia Federal cumpriu na manhã desta terça-feira, 22/11, em Natal, Monte Alegre e São José de Mipibu no Rio Grande do Norte, 5 mandados de busca e apreensão da Operação Darknet II deflagrada hoje no Rio Grande do Sul e em mais 15 estados, visando combater crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes através da internet.

BALANÇO

Dos 5 mandados de busca cumpridos no RN, 3 resultaram na apreensão dos seguintes aparelhos e materiais:

- 4 Celulares

- 2 Notebooks

- 5 HD de computador

- 2 Máquinas fotográficas

- 21 mídias CD/DVD

- 1 Pen Drive

divulgação

cortinade

Diante do expressivo aumento de explosão em agências de banco, as instituições bancárias vão passar utilizar uma nova tecnologia para minimizar a ação de criminosos especializados no manuseio de dinamites para explodir caixas eletrônicos. Trata-se da chamada “cortina de fumaça”, um sistema de segurança que será automaticamente acionado diante de tentativa de sabotagem dos terminais de autoatendimento. O sistema gera uma densa nuvem de fumaça, que tira a visão dos criminosos, impedindo a realização do assalto.

A novidade foi discutida no último sábado, em Natal, durante o “Seminário de Segurança Empresarial”, promovido pela empresa potiguar Interfort Segurança de Valores, em parceria com a Caixa Econômica Federal (CEF). O evento reuniu no auditório da Caixa Econômica, na Avenida Roberto Freire, especialistas em segurança bancária como Rosalvo Cordeiro Nogueira (Caixa Econômica), Reinaldo Santos (Interfort) e Evandro Pedro (Polícia Federal).

Até o momento, o novo sistema de segurança está em funcionamento apenas nas agências da CEF, instituição que registra um volume muito baixo de ações criminosas. Outros bancos públicos, como o Banco do Brasil, e privados, devem nos próximos meses implantar o serviço.

No seminário, o agente da PF, Edvan Pedro, destacou que a explosão caixas eletrônicos representa uma “evolução” do ataque de criminosos às instituições bancárias. “Em outras épocas, se praticava sequestro de gerentes das agências, depois surgiram os roubo à mão armada durante pleno horário de expediente, na presença de clientes. Em seguida foi a vez das “Saidinhas de Banco”, ação que vitimava os clientes. Por último, agora o que está em evidência é a utilização de artefatos explosivos, como a dinamite, para explosão das agências, preferencialmente nas madrugadas”, explica.

Para o consultor Reinaldo Santos, da Intefort, as explosões de caixa eletrônico estão migrando das capitais para cidades do interior, tendo em vista a fragilidade do aparato policial existentes nessas localidades. Segundo ele, apesar de as agências serem equipadas com central de monitoramento 24 horas, dispositivos de câmeras e sistemas de alarme, o tempo de resposta das forças policiais é demasiadamente longo para coibir a maioria das ocorrências. Além disso, os armamentos utilizados pelas forças policiais são inferiores aos que os criminosos geralmente utilizam.

O Superintendente Regional da Polícia Federal no Rio Grande do Norte, Wellington Clay Porcino Silva empossa nesta quarta-feira, 26/10, o novo chefe da Delegacia da PF em Mossoró, o delegado federal Samuel Elânio Oliveira Júnior. A solenidade, marcada para as 11h, acontece no auditório do Tribunal do Júri do Fórum Desembargador Silveira Martins, Bairro Costa e Silva, naquela cidade.

Estão sendo convidadas para participar do evento diversas autoridades civis e militares das esferas municipal, estadual e federal, membros dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, integrantes das Forças Armadas, dos Ministérios Públicos Estadual e Federal, das Polícias Civil e Militar, da Procuradoria da República, da OAB, além de representantes de órgãos de imprensa, entidades, servidores e associações de classe.

Graduado pela Universidade de Fortaleza (UNIFOR), com especialização em Direito e Processo Administrativo, cearense, 35 anos, Elânio exerceu a advocacia no período de 2004 a 2007 em Fortaleza/CE. No ano de 2008, ingressou na Polícia Federal como agente. Posteriormente, aprovado em novo concurso público em 2009, assumiu o cargo de delegado no Amapá, onde chefiou a delegacia de Oiapoque de 2010 a 2013 e, no mesmo período, também coordenou a operação Sentinela, cuja ação permanente na Região Norte do País é integrada pela Polícia Federal e Força Nacional.

O novo dirigente teve como última lotação a Delegacia de Juazeiro do Norte/CE, onde vinha exercendo suas atividades há três anos. Ele será o 8º delegado a chefiar a Unidade da PF em Mossoró desde que a Instituição foi instalada na cidade no ano de 2004.

g1

incendio

O Governo do Estado, por meio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Norte, confirmou, na manhã desta segunda-feira (10), que foi controlado o incêndio da Mata do Pilão, inserida na reserva ambiental da Área de Proteção Ambiental Estadual (APA) piquiri-Una formada por mais de 40 mil hectares, abrangendo cinco municípios (Goianinha, Canguaretama, Espírito Santo, Pedro Velho e Várzea).

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, Otto Saraiva, foram apagados os últimos focos durante a manhã de hoje com ajuda do helicóptero potiguar 01 e caberá à Polícia Civil investigar o que originou o incêndio.

Por determinação do governador Robinson Faria, foi instaurado um comitê de crise que monitorou e conduziu as ações para o controle do incêndio e as medidas relacionadas ao problema. Durante o fim de semana, órgãos do Governo foram mobilizados para conter as chamas o mais rápido possível. O comitê de crise foi formado pelo Gabinete Civil; Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesed), Defesa Civil; Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); o Governo contactou ainda a Marinha Brasileira, o Ibama, o projeto SOS Mata Atlântica e o ICMBio (órgão de conservação da biodiversidade do Ministério do Meio Ambiente).

Em nome do comitê, o secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Mairton França, informou que o Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) formou uma equipe para a elaboração dos projetos de recuperação da área degrada.  “Quando a equipe entrar em atividade teremos um diagnóstico mais completo sobre os impactos ambientais causados”, explicou reforçando que não há espécies endêmicas – aquelas que só existem em determinada região – na extensão de terra atingida pelo incêndio.



Twitter