NATAL PRESS

O começo da temporada de ventos no Rio Grande do Norte é propício para empinar pipas, uma brincadeira divertida mas que, quando não é feita seguindo algumas regras de segurança, pode causar acidentes, colocar em risco a vida de crianças e adolescentes e interromper o fornecimento de energia elétrica.

 

Um dos alertas permanentes da Cosern diz respeito aos cuidados (confira as orientações abaixo) que todos devemos observar e respeitar ao soltar pipas.

De acordo com dados do Departamento de Operações da Cosern, de janeiro até agora foram registrados 33 desligamentos emergenciais provocados por pipa em todo estado, afetando aproximadamente 55 mil clientes.

A ocorrência de maior abrangência aconteceu no dia 22 de fevereiro, às 13h44, afetando 21.609 consumidores, entre residências e o comércio, nos bairros de Igapó, Nossa Senhora da Apresentação e Potengi, em Natal. 

Para que não haja riscos à segurança das pessoas nem ao fornecimento de energia, a Cosern reforça as seguintes orientações de segurança:

-   Só empine pipas longe da rede elétrica. Procure locais abertos, como parques ou praias.

-   Não use cerol. O cerol é feito com pó de metal ou vidro e pode contar o fio do poste, causando interrupção do fornecimento de energia e ocasionar um acidente.

-   Se a pipa enroscar na rede elétrica ou em algum equipamento, como transformadores, jamais tente resgatar a pipa, pois o risco de choque elétrico é alto e pode ser fatal. Nesses casos, ligue para o 116 da Cosern e fique longe do fio do poste.

-   Caso a pipa caia dentro de uma subestação, jamais tente acessar a área, pois este é um local de alta tensão e o risco de choque elétrico pode ser fatal.

 

Os perigos do cerol

Um dos componentes mais perigosos de uma pipa é o cerol aplicado na linha que pode provocar, além da interrupção do fornecimento de energia, o rompimento dos cabos elétricos da rede e causar choque elétrico. Por conter raspas de vidro e pó metálico adicionado à cola, o cerol se transforma, automaticamente, num elemento condutor que, ao tocar no fio do poste, pode energizar a linha que sustenta o brinquedo e provocar um choque elétrico no usuário. Outro fator preocupante na brincadeira de soltar pipas em locais inadequados é o risco que as linhas com cerol representam para motoqueiros, ciclistas e pedestres, podendo provocar até acidentes com mortes.

 

Para saber mais

Lei municipal aborda o tema em Natal

No dia 26 de agosto de 2016, o então prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves, sancionou a lei 6.635 que autoria o Autoriza o Poder Executivo Municipal a realizar campanhas proibindo o uso de cerol em papagaios e pipas no âmbito do Município de Natal, e dá outras providências.

Confira o texto da Lei:

Art. 1° - Fica autorizado o Poder Executivo Municipal realizar campanhas educativas proibindo o uso de “Cerol” em papagaios e pipas, no âmbito do Município de Natal e dá outras providências.

Art. 2º - O objetivo do projeto é educar a população para a não utilização de “Cerol” ou qualquer produto semelhante que possa ser aplicado em linhas de papagaios ou pipas.

Art. 3º - Após a realização da campanha de prevenção ao período desses produtos cortantes deverá ser feita advertências ao responsável que for flagrado fazendo uso para as práticas de soltar pipas e papagaios.

Art. 4º - A finalidade de realizar campanhas educativas que objetiva conscientizar o não uso do Cerol, como forma de prevenção de acidentes causados de maneira leviana e acidental.

Art. 5º - As campanhas devem ser estendidas às escolas, meios de comunicação, igrejas, encartes educativos e outros.

Art. 6° - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.



Twitter