NATAL PRESS

PF/RN

A Polícia Federal no Estado do Rio Grande do Norte prendeu 5 pessoas e apreendeu 1,2 tonelada de cocaína na madrugada de hoje na grande Natal. A droga estava dividida em quatro locais: um contêiner que era transportado por caminhão ao porto de Natal e atrás de paredes falsas em três galpões em Parnamirim. Na abordagem e prisão dos suspeitos, a PF contou com apoio de policiais do Batalhão de Operações Especiais da PMRN. Com base em levantamentos realizados, a PF começou a acompanhar a movimentação no entorno dos galpões que se revelou atípica, tendo sido descoberto que um deles foi alugado com documentos falsos.

A utilização de galpões na Grande Natal para contaminação de contêineres com cargas refrigeradas de frutas com destino na Europa já havia sido objeto de investigações anteriores da PF que resultaram em apreensões de grande quantidade de cocaína. Na manhã de ontem, foi realizada a ligação de energia em um dos galpões e na madrugada de hoje, foi possível detectar um contêiner adentrando outro galpão. Diante de tais fatos, os policiais resolveram abordar o caminhão e o carro que o acompanhava. No contêiner que era transportado por caminhão para o porto de Natal e tinha como destino final a Dinamarca, foram encontrados diversos tabletes de cocaína misturados a uma carga de melão. Outros tabletes foram encontrados em cômodos escondidos por paredes falsas dentro dos três galpões.


Durante a ação policial, cinco pessoas foram presas. As penas cominadas ao crime de tráfico internacional de drogas e associação ao tráfico, somadas, vão de 10 a 35 anos de reclusão. No ano de 2019 a Policia Federal no Rio Grande do Norte já apreendeu cerca de 5,8 toneladas de cocaína. O combate ao tráfico internacional de drogas é um dos objetivos estratégicos da Polícia Federal.

FONTE: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

REPRODUÇÃO/FACEBOOK

CORONEL WALTERLER SOBRE IDA DO HOSPITAL DA PM PARA O SUS: “O QUE ESTAVA RUIM FICOU PIOR”

O coronel PM José Walterler dos Santos Silva, da reserva remunerada da Corporação, publicou texto que está circulando em grupos de WhatsApp, onde critica o que chama de “desmoronamento da nossa gloriosa PMRN”.

O oficial, que é advogado, escritor e mantém uma academia na Praia do Meio, em Natal, que oferece, entre outros, cursos nas áreas militar e jurídica, denuncia falhas estruturais em prédios, cita o que chama de ciclo desproporcional de oficiais e de praças, critica o fato de o Hospital Coronel Pedro Germano (Hospital da PM) ter passado recentemente para o SUS e diz: “O que me revolta não é o avanço da mediocridade político-partidária corroendo e fragilizando a história da nossa Polícia Militar, mas sim, a omissão pusilânime e o puxasaquismo dequeles que compõem o ‘alto comando’ da Corporação, que só focam seus esforços no atendimento de seus interesses pessoais”.

Walterler questiona, também, o fato de associações que representam oficiais e praças estarem “caladas”.

Abaixo, a íntegra do texto assinado pelo coronel Walterler, exatamente da forma que foi publicado:

“Caríssimos confrades, daqui da praia do meio acompanho, incrédulo e revoltado, o paulatino, gradativo e progressivo desmoronamento da nossa gloriosa PMRN. No campo de RH, temos o ciclo de oficiais e de praças totalmente desproporcional, em face da demanda de serviços. No quesito instalações físicas, não se consegue encontrar termos para definir a imensidão do descaso e da desvalorização, dispensados às sedes das nossas OPM-OBM, a começar pelo QCG, aonde toda a ala aonde outrora funcionava a Banda de Música, e o extinto COPOM, se encontram “desenganadas” estruturalmente; o setor aonde o então CMT G, Cel Josemar, montou um invejável, moderno e eficaz Centro de Manutenção de Viaturas, hoje não passa de ruínas, carimbando, com chave de ouro, a reinante INCOMPETÊNCIA dos gestores atuais e antecedentes mais recentes. 

A sede do 1 BPM, 4 BPM e do complexo do BOPE, na Zona Norte, representam tudo que se alia a DESMOTIVAÇÃO. A outrora menina dos olhos da corporação e hoje maltrapilha APM CEL MILTON FREIRE enche de vergonha e de revolta aqueles que, cono eu, ajudaram a construir parte de sua mística história, hoje não tendo condições, sequer, de ser comparada à Casa de Ensino castrense deste velho Lobo do Mar, quer no aspecto estrutural ou no QUALITATIVO em termos de corpo docente. Retornando aos RRHH, inadmissível a quase total INEXISTÊNCIA de Oficiais subalternos bem como, a insuficiência da base (soldados) para atendimento, de forma satisfatória, da demanda. 

A desmotivação amplia-se diante do comando paralelo tanto em relação a PM como o BM, por parte da pasta de segurança pública, que conduz da forma como QUER E ENTENDE, as duas corporações. Agora, para terminar de fragilizar o já quadro caótico por nós enfrentados, viu-se a entrega de mãos beijadas – como se diz lá em nóis – na sua literalidade, do que ainda restava do outrora mais conceituado hospital público do Estado, o glorioso HPM CEL PEDRO GERMANO DA COSTA que passa a integrar a estrutura do SUS. O que já estava RUIM agora ficou PIOR. 

O mais revoltante, para mim, é ver o puxasaquismo institucionalizado, concedendo_se medalhas a pessoas que não têm qualquer serviço prestado a nossa história, pois, passar o nosso serviço de saúde para dependência total do SUS, no meu ver, NÃO CONSTITUI QUALQUER MÉRITO. Diante desse afrontoso desrespeito a nossa história, sinceramente, não vejo nenhuma justificativa plausível para a existência desse Quadro de Oficiais de Saúde, pois, se até então pouco faziam em prol da Tropa, imagina agora. Seria muito mais importante que o Estado acabasse com esse INEFICIENTE E DISPENDIOSO QUADRO DE OFICIAIS DE SAÚDE e formalizasse um convênio com a UNIMED, AMIL, etc, para atendimento da Tropa, no campo da saúde. 

Outro ponto revoltante, é a omissão do governo em promover a ascensão hierárquica necessária para preencher os mais de CEM claros de 2º tenente, vez que temos um seleto número de subtenentes e sargentos detentores da mais singular capacidade para integrarem o ciclo de oficiais subalternos do QOA. 

Martin Luther King dizia, com clareza meridiana: “O que me preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons”. Valho-me dessa lição para construir pensamento similar: O QUE ME REVOLTA NÃO É O AVANÇO DA MEDIOCRIDADE POLÍTICO-PARTIDÁRIA CORROENDO E FRAGILIZANDO A  HISTÓRIA DA NOSSA POLÍCIA MILITAR, MAS SIM, A OMISSÃO PUSILÂNIME E O PUXASAQUISMO DAQUELES QUE COMPÕEM O “alto comando” DA CORPORAÇÃO, QUE SÓ FOCAM SEUS ESFORÇOS NO ATENDIMENTO DE SEUS INTERESSES PESSOAIS”, com raríssimas e respeitáveis exceções. Aonde estão as até então ferrenhas defensoras dos interesses institucionais, representadas pelas hoje CALADAS associações de Praças e de  Oficiais? Finalizando – Minha nota ZERO para essa infeliz iniciativa de SUS- institucionalizar nosso já combalido serviço de saúde. José WALTERLER. Cel PM R1. Um cuiteense feliz. (E mau pago).”

Por João Ricardo Correia/novo notícias

A Polícia Federal extraditou da Espanha para o Brasil na última sexta-feira, 22/11, um cidadão francês, 39 anos, que havia sido preso recentemente em Madri. O estrangeiro era procurado desde 2011 e figurava na Difusão Vermelha da Interpol, acusado de envolvimento com tráfico internacional de drogas.

O fato teve origem quando em dezembro daquele ano, uma vendedora paranaense foi detida no aeroporto internacional Augusto Severo em Parnamirim/RN, Região Metropolitana de Natal, após desembarcar em um voo vindo de Amsterdã, Holanda, trazendo na bagagem 6,2 kg de ecstasy. 

Autuada em flagrante, a mulher revelou durante o interrogatório na PF não só quem seriam os receptores do ecstasy Brasil (quatro homens que acabaram sendo presos dias depois na cidade do Rio de Janeiro), como também quem havia lhe entregue a droga na Europa. A partir de então, o francês passou a ser procurado, sendo agora preso pela Interpol.

O extraditado, após ser submetido a exame de corpo de delito no Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), encontra-se custodiado na Superintendência da PF em Natal, onde permanece à disposição da 2a. Vara da Justiça Federal/RN.

A Polícia Federal, com apoio da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (SEOPI), Polícia Militar e Polícia Civil do Rio Grande do Norte, bem como, do Departamento Penitenciário Nacional (DEPEN), deflagrou nesta terça-feira, 19/11, a Operação Extração - Fase II, com o objetivo de desarticular célula de organização criminosa paulista com atuação no Rio Grande do Norte. 

Ao todo, foram cumpridos 3 mandados de prisão preventiva e 2 mandados de busca e apreensão deferidos pela 2ª Vara Criminal de Mossoró/RN.

Duas dessas prisões foram efetivadas contra integrantes de uma facção criminosa, inclusive, a de um indivíduo que ocupava a posição de geral da rua, ou seja, aquele que é o controlador da prática de crimes em determinado território dominado pela facção. 

No curso das investigações, ficou demonstrada, também, a participação dos envolvidos no homicídio do motorista de aplicativo Marcos Francisco Dantas, cujo corpo foi encontrado com marcas de tiro, no interior de um automóvel, na Estrada da Raiz, em Mossoró, na data de 07/01/2019.

A Força-Tarefa coordenada pela PF é composta de policiais federais, policiais militares e policiais civis, bem como de agentes penitenciários federais e pela Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública. O escopo da Força-Tarefa é o monitoramento e repressão à ação de facções criminosas no Rio Grande do Norte.

 

FONTE: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feira, 20/11, em Caicó/RN, a operação Bala Perdida com o objetivo de coletar evidências do crime de venda irregular de munições de calibres diversos.

Estão sendo cumpridos 5 mandados judiciais de busca e apreensão expedidos pela 9a Vara Federal em endereços residenciais e comerciais daquela cidade. A investigação, iniciada há dois meses pelas Delegacias de Repressão ao Tráfico de Armas - DELEPAT e Delegacia de Controle de Armas e Químicos - DELEAQ, ambas da PF, aponta que aproximadamente 500 mil projéteis podem ter sido comercializados irregularmente nos últimos 5 anos, conforme dados fornecidos pelo Exército Brasileiro.

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (1/10), a Operação Rodovia visando desarticular uma organização criminosa suspeita de envolvimento em 11 ocorrências de crimes de roubo a veículos dos Correios ocorridas no período de 15.04 a 27.08.2019, nos municípios de Ceará-Mirim, São José de Mipibu, Vera Cruz e Bom Jesus/RN. Cerca de 25 policiais federais estão cumprindo em Natal e São Gonçalo do Amarante/RN, na Região Metropolitana de Natal, 4 mandados de busca e apreensão; 2 mandados de prisão provisória e 1 mandado de prisão preventiva expedidos pela 15ª. Vara Federal de Ceará-Mirim/RN. Os presos responderão por crimes de roubo duplamente qualificado, organização criminosa, adulteração de sinal identificador de veículo e falsidade ideológica.

pf/rn

Policiais da Delegacia da PF em Mossoró/RN prenderam hoje (24/9), na cidade de Fortaleza/CE, dois homens acusados de pertenceram a uma organização criminosa especializada em assaltos a carros-fortes. As prisões foram em decorrência da expedição dos respectivos mandados judiciais de prisão preventiva expedidos pela 10ª Vara Justiça Federal em Mossoró.

Os presos nesta manhã participaram na data de 25/06/2018 da tentativa de roubo ao carro-forte da empresa BRINKS, ocorrida na divisa do Rio Grande do Norte com o Ceará. Naquela ocasião, os criminosos efetuaram diversos disparos de arma de fogo contra os veículos que trafegavam na rodovia, bem como na direção de policiais que atuaram na ocorrência policial.

Muito embora o bando tenha utilizado explosivos para acessar o interior do veículo, o crime não se consumou em virtude da atuação dos policiais que prontamente reprimiram a ação delituosa.

Após os procedimentos de praxe, os presos foram encaminhados ao Instituto Presídio Olavo Oliveira (IPPO II), em Itaitinga, na Região Metropolitana de Fortaleza, onde estão custodiados, à disposição da Justiça.

pf/rn

A Polícia Federal em Mossoró, com apoio da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça (SEOPI), prendeu na madrugada de hoje (17/9) nas proximidades de Assu/RN, a 210 km de Natal, dois motoristas alagoanos, respectivamente de 33 e 35 anos, acusados de contrabando. Com eles, foram apreendidas duas carretas carregadas de cigarros importados que estão sendo contabilizados.

A ação ocorreu por volta das 2h40 quando a PF realizava um patrulhamento de rotina, na BR 304 e fez a abordagem dos caminhões próximo ao trevo de Paraú.

A princípio os motoristas disseram trafegar sem carga alguma, mas como estavam nervosos os policiais desconfiaram e fizeram a vistoria na carroceria, logo encontrando as caixas de cigarros.

Os acusados receberam voz de prisão e foram conduzidos para autuação em flagrante na sede da Delegacia da PF em Mossoró.

Durante o interrogatório, eles confessaram que sabiam que estavam transportando mercadoria de procedência ilícita, cujas carretas lhes foram entregues por “pessoas desconhecidas” em um posto de combustível na cidade de Assu e com a orientação para que seguissem até Patos/PB, onde novas ordens seriam repassadas sobre o destino da carga.

Pelo serviço ilegal, os suspeitos receberiam cerca de R$ 1,5 mil cada e mais despesas de alimentação.

Eles foram indiciados no art. 334 do Código Penal Brasileiro, cuja pena em caso de condenação é de 2 a 5 anos de reclusão.

Os acusados após exames de corpo de delito no ITEP foram encaminhados para a Cadeia Pública de Mossoró, à disposição da Justiça

 

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

pf/rn

A Polícia Federal em conjunto com a Receita Federal realizou na tarde de ontem (5/9) mais uma inusitada apreensão de drogas no Porto de Natal. Desta feita, 70,8 kg de cocaína estavam camuflados em um carregamento de sal que seguiria para Antuérpia, Bélgica.

A descoberta aconteceu durante uma fiscalização e análise de situação suspeita. Ao ser vistoriada a carga de um container, inclusive com a utilização de scanner, surgiram indicações de que alguns sacos de sal continham algo estranho no seu interior. Após devidamente separados e abertos, 66 tabletes da droga foram achados.

Visando aprofundar as investigações, a PF vai instaurar um inquérito policial e busca agora identificar e prender os envolvidos com a carga ilícita. 

Com mais esta ação, a PF ratifica a importância das reuniões da CESPORTOS, que a instituição vem realizando ao longo de 2019 no RN. Tal Comissão, presidida pela PF, tem como missão prevenir e reprimir os atos ilícitos nos portos, terminais e vias navegáveis.

Somente neste ano, mais de 4,4 ton de cocaína foram apreendidas pela Polícia Federal no Porto de Natal.

 

MAIS COCAÍNA

Ainda no dia de ontem, na parte da manhã, a Polícia Federal recebeu uma denúncia anônima de que um caminhão guardado em um galpão no bairro de Emaús, Zona Sul da capital, estaria sendo usado para transportar drogas.

Uma equipe então se deslocou até o endereço mencionado, mas em lá chegando, constatou não haver ninguém no imóvel. Após vistoria do caminhão, os policiais encontraram em um compartimento da boleia, cerca de 12,5 kg de cocaína.

Além da droga foram também apreendidos aquele veículo e uma empacotadora/seladora a vácuo provavelmente utilizada para embalagem da droga.

 

Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte

pf/rn

A Polícia Federal participou hoje (4/9) no Rio Grande do Norte, da 5ª fase da Operação Luz na Infância, deflagrada sob a coordenação do Ministério da Justiça e Segurança Pública - MJSP, com o objetivo de identificar autores de crimes de abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes praticados na internet.

A Operação policial realizada é parte de uma ação integrada e simultânea de forças policiais, nacionais e estrangeiras, destinada à repressão do abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes praticados na internet, cujos países participantes são: Argentina, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Estados Unidos e Brasil.

No RN, a PF cumpriu dois mandados de busca e apreensão, sendo um na Cidade Satélite, em Natal, e o outro em Extremoz, na Região Metropolitana, ocasião em que foram apreendidos HD’s que serão agora submetidos à perícia em buscas dos ilícitos suspeitos.

No Brasil, a pena para quem armazena arquivos pornográficos envolvendo crianças e adolescentes varia de 1 a 4 anos de prisão; de 3 a 6 anos de prisão por compartilhar e de 4 a 8 anos de prisão por produzir conteúdo relacionado aos crimes de exploração sexual.

A operação de hoje foi coordenada a partir do Centro Integrado de Comando e Controle Nacional – CICCN, em Brasília/DF.

 

OUTRAS FASES

A Operação Luz na Infância está na sua quinta fase. Os resultados das anteriores foram os seguintes:

LUZ NA INFÂNCIA 1 - 20 de outubro de 2017. Foram cumpridos 157 mandados de busca e apreensão de computadores e arquivos digitais. Foram presas 108 pessoas.

LUZ NA INFÂNCIA 2 - 17 de maio de 2018. As Polícias Civis dos Estados cumpriram 579 mandados de busca, resultando na prisão de 251 pessoas.

LUZ NA INFÂNCIA 3 - 22 de novembro de 2018. Operação deflagrada no Brasil e na Argentina com o cumprimento de 110 mandados de busca, resultando na prisão de 46 pessoas.

LUZ NA INFÂNCIA 4 – 28 de março de 2019. Operação deflagrada em 26 estados e no Distrito Federal resultou no cumprimento de 266 mandados e 141 pessoas presas.


Fonte: Comunicação Social da Polícia Federal no Rio Grande do Norte



Twitter