NATAL PRESS

alt

A Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGESP) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou hoje, 8, no Centro de Convivência do Campus Central, diversas ações de promoção à saúde, dentro da programação alusiva ao Dia Mundial da Saúde.

As atividades aconteceram durante toda a toda a manhã, com a participação de estudantes, docentes, servidores técnico-administrativos e pessoal da comunidade que circulam pelas áreas de convivência da Universidade.

Técnicos da Diretoria de Atenção à Saúde (DAS), com apoio da Caixa Assistencial Universitária do Rio Grande Do Norte (CAURN), atendiam em quiosque, realizando exames de sangue, verificação da pressão arterial, imunização de adultos e agendamento de vacinas e massagem laboral. Além disso, os participantes receberam orientações sobre hábitos saudáveis de vida e materiais educativos.

A nutricionista e coordenadora do evento, Natália Leite, falou sobre a importância dessas ações de incentivo: “esse tipo de ação tem a finalidade de incentivar a promoção da saúde do servidor, além de conscientizar as pessoas sobre a importância de hábitos saudáveis”.

O DAS convoca periodicamente todos os servidores da Universidade para realizarem exames clínicos e consultas médicas, com o objetivo de minimizar os problemas de saúde causados pela rotina de trabalho.

Para obter mais informações sobre consultas e exames, entrar em contato, pelo telefone (84) 3215-3663.

No próximo domingo (07) será comemorado o Dia Mundial da Saúde, para marcar a data, o Governo do Rio Grande do Norte realiza uma série de atividades em parceria com a secretaria de Estado de Saúde Pública (SESAP) e a secretaria Municipal de Saúde. A iniciativa partiu do Ministério da Saúde e será realizada simultaneamente nas 12 cidades-sede da Copa do Mundo 2014.


Os eventos têm como objetivo a conscientização da população sobre a necessidade de promover a saúde e prevenir doenças crônicas, através de hábitos saudáveis, como a prática de exercícios físicos e alimentação equilibrada. O tema escolhido “Viver com saúde é uma grande vitória” faz referência ao momento vivido pelo país, com a vinda da Copa das Confederações, Olimpíadas e Paraolimpíadas e o Mundial 2014 são grandes impulsionadores da prática esportiva.

A Programação no Estado será composta por uma caminhada, um passeio ciclístico, atividades educativas, recreativas e esportivas no Parque das Dunas.

Serviço

Caminhada: Concentração às 07h30, em frente ao Campus Central do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e destino ao Parque das Dunas.
Passeio Ciclístico: Concentração às 08h na Praça Cívica (Praça Pedro Velho - Petrópolis) com destino ao Parque das Dunas.
Atividades educativas, recreativas e esportivas no Parque das Dunas, para todas as etárias, das 08h às 13h.

A Incoterm Soluções em Medição apresenta o novo Visomat Handy IV para pulso. Mais moderno, o item é usado para medição de pressão arterial. “Como esse é um dos produtos mais consolidados da marca, a ideia foi agregar novas funções e, ao mesmo tempo, manter algumas características do modelo antigo, como é o caso da braçadeira duplamente moldada, que permanece igual”, explica a coordenadora de Marketing e Vendas da Incoterm, Ana Paula Marquioretto.

Com tecnologia alemã, além das características tradicionais, o modelo possui detector de arritmia cardíaca e sinalizador de pressão arterial, que segue as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS). O produto também detecta a pressão diferencial, ou seja, a diferença entre a pressão alta e baixa. “Essa característica traz um novo conceito em medição de pressão arterial, pois com o resultado da pressão diferencial que o médico consegue detectar várias possíveis doenças que o paciente possa ter”, salienta Ana Paula.

Por Juliana Holanda

Desenvolver um equipamento de baixo custo capaz de auxiliar o diagnóstico da dislexia. Esse é o objetivo do grupo de pesquisadores do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS) do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL).

O problema que atinge de 5% a 10% da população mundial em idade escolar é de difícil avaliação, porque afeta partes diferentes do cérebro e tem características diversas em cada paciente. A análise deve, portanto, ser realizada por uma equipe multiprofissional formada por neurologistas, psicólogos, fonoaudiólogos e pedagogos.

Segundo a fonoaudióloga Sheila Andreoli Balen, o problema não é avaliado adequadamente no Brasil. “Qualquer criança com dificuldade de aprender é considerada disléxica e isso não é verdade”, explica.

De origem genética e hereditária, a dislexia é causada por um mau funcionamento de estruturas do cérebro, gerando dificuldades no processamento da informação. Relacionado à dificuldade de aprendizagem, o problema é normalmente detectado durante o processo de alfabetização.

Pensando na importância de um diagnóstico precoce e correto, o professor do Departamento de Engenharia Biomédica Danilo Alves Pinto Nagem começou a estudar a questão no ano de 2011. A equipe coordenada pelo professor Nagem é formada pelas fonoaudiólogas Sheila Andreoli Balen e Michele Soltosky Peres e pelo mestrando em Engenharia Mecânica Alessandro Marinho de Albuquerque.

A especialista Michele Soltosky ressalta que a aquisição da leitura e da escrita é extremamente relevante para a obtenção da cidadania e da inserção social. “Quanto antes a doença for detectada, mais cedo o processo de intervenção acontece e os profissionais podem trabalhar com esse indivíduo para favorecer um bom desempenho durante o período escolar”, afirma.

Soltosky defende que os ganhos psicossociais de um tratamento precoce são enormes. As pessoas disléxicas que não são diagnosticadas sofrem por toda a vida. Isso repercute em baixa autoestima e pode gerar depressão. A fonoaudióloga ressalta que o paciente muda a forma de ver o mundo quando começa a ser instrumentalizado para lidar com as dificuldades. “Até a postura de andar muda”, observa.

O foco do grupo é desenvolver um equipamento de fácil manipulação que vai custar 90% menos do que os utilizados atualmente. “Queremos ajudar a diagnosticar o maior número possível de pessoas que sofrem com a dislexia. O primeiro passo para massificar o exame é baratear o custo”, enfatiza Nagem.

Enquanto os métodos atuais ficam na faixa de U$ 50 mil, o que está sendo desenvolvido pela equipe deve custar dez vezes menos: em torno de U$ 5 mil. O sistema vai monitorar principalmente a posição do olho durante a leitura de textos, já que disléxicos possuem um padrão de movimentação ocular diferenciado.

O mestrando Alessandro Marinho está finalizando o desenvolvimento do software que irá avaliar a posição do rosto, do olho e da íris durante o exame. O programa vai ser finalizado no mês de junho. “Com a conclusão do software, podemos começar a realizar testes que serão avaliados pelas fonoaudiólogas e por outros profissionais de saúde”, diz.

Como a dislexia envolve os sistemas auditivo e visual, o equipamento deve incluir microfones para gravar a leitura de textos. “Esses dois sistemas se integram. Há disléxicos visuais, fonológicos e mistos, por isso precisamos analisar várias vertentes”, esclarece a fonoaudióloga Michele Soltosky.

Com a finalização do programa, o foco será na estruturação de um hardware simples e barato. O coordenador Nagem explica que pretende desenvolver um sistema que possa ser utilizado com qualquer câmera, o que vai garantir o baixo custo do projeto. “A ideia é que o aparelho possa ser colocado dentro de uma van para sair pelas escolas fazendo testes com alunos e auxiliando o diagnóstico da dislexia”, afirma.

A equipe ressalta que o aparelho vai facilitar o diagnóstico da dislexia fornecendo dados que deverão ser analisados por profissionais da área de saúde. “É uma forma de auxiliar a detecção do problema, mas, por se tratar de uma doença complexa, o equipamento não pode ser utilizado isoladamente”, adverte Nagem.

A previsão é que o sistema de triagem esteja pronto para utilização em até dois anos. “É uma iniciativa muito importante. Qualquer pessoa que tenha dislexia precisa saber que é capaz. Ela apenas tem uma dificuldade que pode ser tratada”, enfatiza a fonoaudióloga Sheila Balen.

alt

A disciplina Atividade Física, Lazer e Cultura do Departamento de Educação Física (DEDFIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove a apresentação de uma Roda de Capoeira, na quinta-feira, 4 de abril, às 17 horas, no Centro de Convivência da UFRN.

O evento ocorre em homenagem ao Dia Internacional da Atividade Física, que acontece na sexta-feira, 6 de abril, a fim de estimular a adoção de um estilo de vida fisicamente ativo, por intermédio da Capoeira.

A programação é realizada pelos 27 alunos da disciplina, envolvendo a capoeira em seus diversos estilos e manifestações culturais. O projeto é destinado à toda comunidade acadêmica da Universidade. Os estudantes são responsáveis pelo planejamento, organização, execução e avaliação da Roda de Capoeira, sob a supervisão do professor Patrick Ramon Stafin Coquerel.

alt

A disciplina Atividade Física, Lazer e Cultura do Departamento de Educação Física (DEDFIS) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove a apresentação de uma Roda de Capoeira, na quinta-feira, 4 de abril, às 17 horas, no Centro de Convivência da UFRN.

O evento ocorre em homenagem ao Dia Internacional da Atividade Física, que acontece na sexta-feira, 6 de abril, a fim de estimular a adoção de um estilo de vida fisicamente ativo, por intermédio da Capoeira.

A programação é realizada pelos 27 alunos da disciplina, envolvendo a capoeira em seus diversos estilos e manifestações culturais. O projeto é destinado à toda comunidade acadêmica da Universidade. Os estudantes são responsáveis pelo planejamento, organização, execução e avaliação da Roda de Capoeira, sob a supervisão do professor Patrick Ramon Stafin Coquerel.

Para desenvolver uma política de prevenção da gravidez na adolescência, a governadora Rosalba Ciarlini e a secretária de Estado da Educação e Cultura, Betania Ramalho, assinaram um termo de cooperação com o Instituto Kaplan para a implantação do projeto Vale Sonhar. A assinatura foi realizada na tarde desta sexta-feira, no auditório Angélica Moura, da Secretaria de Estado da Educação.

Realizado por meio da metodologia de multiplicador, o projeto financiado pela CPFL Renováveis tem o objetivo de desenvolver a responsabilidade pessoal dos alunos a partir da percepção do impacto da gravidez no projeto de vida. O Vale Sonhar irá beneficiar mais de 100 mil estudantes do Ensino Médio distribuídos em 293 escolas dos 167 municípios do Estado. Para capacitar todas as unidades de ensino da rede estadual, será feita a capacitação de agentes multiplicadores, que irão formar os professores de Biologia como agentes de prevenção. No Brasil, o índice de gravidez na adolescência é de 20%. No RN, este número é de 21%, ou seja, a cada 100 crianças nascidas, 21 são filhos de jovens de 10 a 19 anos.

A governadora Rosalba Ciarlini ressalta a importância do projeto para evitar que as adolescentes potiguares tenham um sonho interrompido por conta de uma gravidez não planejada. “Uma das nossas grandes preocupações é a gravidez precoce e nós precisamos, dentro da escola, criar um ambiente propício para orientação e prevenção. Desta forma, as jovens perceberão que uma gravidez na hora errada pode interromper a vida escolar e prejudicar o futuro delas. Queremos que nossas meninas entendam que o caminho é a escola e que o filho fica para quando elas estiverem estruturadas e preparadas para serem mães”, afirmou a governadora.

A titular da pasta da Educação enfatizou que o projeto é inédito no Estado e que chega para ser integrado ao currículo escolar. “A primeira coisa que acontece quando uma jovem em idade escolar passa pela experiência de ser mãe é abandonar o sonho de ser alguém por via da escola. E é isso que queremos evitar, pois o nosso objetivo é evitar a gravidez na adolescência, uma vez que este é o motivo de 25% das meninas que deixam a escola antes do tempo”, lembrou a secretária Betania Ramalho, acrescentando que ações de prevenção e de acompanhamento de doenças ligadas à sexualidade já são trabalhadas na rede pública de ensino.

Também participaram da assinatura do termo de cooperação, o diretor de sustentabilidade da CPFL Renováveis, Tarcísio Borin e a diretora executiva do Centro Estudos da Sexualidade Humana do Instituto Kaplan, Maria Helena Vilela.

O Viver em Harmonia, programa de qualidade de vida da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), está com inscrições abertas até sexta-feira, 22, às 12h, para as turmas de “Exercícios Terapêuticos do Lian Gong” e “Exercícios Respiratórios, de Soltura e de Relaxamento”.

As vagas são limitadas e destinadas aos servidores e terceirizados. São homologadas as vagas dos primeiros inscritos nas turmas. Porém, a permanência do servidor na atividade esportiva depende de sua frequência às aulas. Os servidores que alcançarem mais de 25% de faltas em 45 dias terão sua matrícula cancelada na atividade física e será chamado o próximo inscrito do cadastro reserva.

Os interessados devem acessar o Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH) no endereço www.sigrh.ufrn.br, nas opções > Menu Servidor > Capacitação> Inscrições > Realizar Inscrição.

A relação dos inscritos por turma será disponibilizada na sexta-feira, 22, a partir das 14h, no site www.progesp.ufrn.br. Mais informações por meio do telefone 3215-3271 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Dando continuidade ao trabalho de prevenção contra a dengue, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Sanitária, realiza nesta quarta-feira, 20, a partir das 9h, nova rodada de conversação sobre a temática da dengue nas escolas municipais de Natal. A rodada de conversa será dirigida a cerca de cem alunos do 5º ano do ensino fundamental, na faixa etária de 9 a 12 anos, integrantes do Projeto Vigilante Mirim, das escolas Juvenal Lamartine e Ferreira Itajubá. “A discussão objetiva multiplicar as informações da prevenção contra a dengue, no meio social do alunado, para que os números de casos continuem em baixa e se mantenha o controle da doença em Natal”, destaca o chefe do Núcleo de Informação e Educação em Saúde – NIEC/ SMS, Carlos Magno Oliveira.O encontro distribuirá revistas sobre a dengue, onde alerta sobre os cuidados da doença.

O Programa de Atendimento aos Pacientes Fissurados do Hospital de Pediatria Professor Heriberto Bezerra (HOSPED) recebe entre os dias 21 e 23 de março, visita técnica e científica da coordenadora do Projeto Crânio-Face Brasil, com sede na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), a doutora Vera Lúcia Gil da Silva Lopes.

O Programa recebe também a visita da doutora Isabella Lopes Monlleó, coordenadora local do projeto, na Universidade Federal de Alagoas (UFAL).

A iniciativa é uma parceria entre o Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas (DACT), o Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas (PPGCF) e o Hospital de Pediatria, com o objetivo de inserir o Programa dos Pacientes Fissurados do HOSPED na rede do projeto, no qual já estão inseridos 8 estados brasileiros.

Durante a visita, as professoras Vera Lúcia e Isabella Lopes ministram a palestra “O Projeto Crânio-Face Brasil como Proposta Multicêntrica de Pesquisa e Atenção à Saúde”, que acontece no dia 21 de março às 10h30, no Auditório do Centro de Ciências da Saúde.

As visitantes devem conhecer as instalações do Programa no HOSPED e discutir acerca dos projetos de pesquisa que estão em andamento em parceria com o Projeto Crânio-Face.

O projeto

O Projeto Crânio-Face Brasil tem como objetivo reunir informações sobre tratamento e prevenção de anomalias craniofaciais, auxiliando os pacientes e familiares quanto à assistência necessária, pois os portadores dessas anomalias necessitam de cuidados especiais e por tempo prolongado com profissionais de diversas especialidades como cirurgiões, pediatras, geneticistas, fonoaudiólogos e psicólogos.

O projeto oferece ainda assistência fonoaudiológica a pacientes com fissuras labiais ou palatinas no Brasil por meio de coleta de informações com os familiares e ainda é responsável por promover formações para os profissionais da saúde quanto a melhor forma de diagnóstico e tratamento aos pacientes portadores dessas anomalias.



Twitter