NATAL PRESS

 

Dia mundial do câncer

Nesta segunda, 04 de fevereiro, é o Dia Mundial contra o Câncer. A Casa Durval Paiva apoia a iniciativa realizando durante todo o ano a Campanha do Diagnóstico Precoce, visando chamar a atenção da sociedade potiguar através de palestras, entrevistas, panfletos, busdoor, outdoor, painéis de mensagens variáveis, spots, vts, mobiliário urbano, mídias sociais, dentre outros. Saiba mais sobre os principais sinais do câncer infantojuvenil. https://bit.ly/2BeU5ke


 

Semana Solidária

Muitos corações estarão juntos em mais uma corrente do bem na Semana Solidária Nordestão, que acontece de 04 a 09/02 na loja da Av. Prudente de Morais, em Natal. No stand da Casa Durval Paiva, clientes e colaboradores poderão conhecer mais sobre o trabalho da instituição, bem como, ajudar no suporte às famílias assistidas.


 

Projeto Vida

A Casa Durval Paiva promove, neste mês, visitas sociais aos pacientes assistidos das cidades de Parnamirim, Almino Afonso, João Dias, Pau dos Ferros, Dr. Severiano, Severiano Melo, Umarizal, Patu, Luís Gomes, São Miguel, Marcelino Vieira, Frutuoso Gomes, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Tenente Ananias, São Gonçalo, Ceará-mirim e Extremoz, levando na bagagem muitas doações patrocinadas pelo Instituto Ronald Mcdonald.


 

Passeio e terapia

Em ritmo de férias escolares, as crianças e adolescentes da Casa Durval Paiva participaram recentemente de um passeio terapia especial. Eles tiveram uma aula de Robótica educacional na escola Roboeduc – de programação e robótica. Na ocasião, trabalharam temas como: coordenação motora, matemática, física, colaboração e socialização. A iniciativa faz parte do Projeto Viver Feliz, com o apoio do COMDICA/FIA.


 

Cesta para todos

A última terça de cada mês é sempre marcada pela Reunião da Cesta Básica, para os pacientes de Natal, promovida pelo Serviço Social da Casa Durval Paiva. Um encontro socioeducativo para os familiares dos pacientes da instituição. Além de receber os gêneros alimentícios, os acompanhantes puderam interagir na última edição com a direção, superintendência e o setor pedagógico da Casa.

 

  

Prestar atendimento pré-hospitalar de qualidade às vítimas em situação de urgência na cidade do Natal, buscando restabelecer o seu bem-estar físico com a maior brevidade possível é a característica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Natal (SAMU Natal).  Em 2018, o Serviço atendeu a um total de 54.694 ocorrências. 

O objetivo do SAMU é chegar precocemente à vítima após ter ocorrido um agravo à sua saúde de natureza clínica, cirúrgica, traumática, obstétrica, pediátrica, psiquiátrica, entre outras, que possa levar ao sofrimento, à sequelas ou mesmo à morte, mediante o envio de veículos tripulados por equipe capacitada, acessado pelo número 192 e acionado por uma Central de Regulação das Urgências. 

De acordo com o coordenador, Cláudio Macedo, atualmente o SAMU atende a uma população de aproximadamente 1.300.000 habitantes, considerando a população flutuante, que circula na cidade do Natal diariamente, esse número sofre acréscimo ainda nos períodos de alta estação. “Para atendermos a essa demanda, contamos com nove Unidades de Suporte Básico (USBs), três Unidades de Suporte Avançado (USAs), uma equipe de motolância e um Central de Regulação Médica - CRU e o Serviço de Transporte Sanitário de Natal”. 

“Conseguimos muitos avanços ao longo do ano de 2018, na estrutura, em equipamentos e de recursos humanos, entre eles, a aquisição de novas viaturas; aquisições de alguns equipamentos; implantação do transporte sanitário melhorando as transferências inter-hospitalares; reforma da sala de repouso; revitalização da área externa; reparos manutenção das instalações, incluindo o estacionamento do SAMU; acolhimento de novos servidores, e outros”, destacou Cláudio Macedo. 

 

Por Cinthia Moreno*

 

O câncer e seu tratamento, muitas vezes agressivo, podem comprometer a integridade física do paciente e alterar algumas funções. Em algumas situações a criança e o adolescente podem ficar muito comprometidos, debilitados e até perder algumas funções, como por exemplo, deixar de andar, seja por um procedimento cirúrgico, restrição ao leito ou fraqueza muscular.

A relação entre saúde, deficiência (na estrutura corporal ou em alguma função) e limitação para realizar alguma atividade é algo muito complexo e o fisioterapeuta precisa ter conhecimento e sensibilidade para se comunicar de forma adequada com o paciente e sua família.

Em alguns casos, a limitação apresentada pelo paciente é temporária. A melhora é gradativa e ao final do tratamento clínico ele tem a reabilitação de suas funções. Em outros casos, o paciente ficará com sequelas. Um exemplo é a perda de movimento no joelho em decorrência de tratamento cirúrgico para tumor ósseo. Nas duas situações é comum surgirem dúvidas e anseios sobre quando o filho volta a andar, se vai poder brincar, se tem risco de queda e fratura, se vai poder participar de todas as atividades na escola, entre outras.

O fisioterapeuta deve ter cautela e se comunicar de forma clara e objetiva para que todas as orientações sejam compreendidas. Dizer que a criança logo vai andar pode gerar ansiedade, enquanto afirmar que nunca poderá ficar em pé sozinha pode proporcionar frustração, medo e outros sentimentos e comportamentos que podem prejudicar todo o processo de reabilitação.

Na Casa Durval Paiva, todos que fazem parte da equipe multidisciplinar, utilizam de muita sensibilidade na hora de conversar com a família sobre as limitações do paciente, sejam elas provisórias ou permanentes. O cuidado da família é fundamental, mas não pode ser maior que o estímulo à independência para realizar atividades que realmente podem ser executadas com segurança. Quando existe alguma demanda que não é resolvida no setor de fisioterapia, o paciente é encaminhado para o setor de psicologia, para que seja auxiliado nas estratégias de enfrentamento e aceitação de suas condições atuais.

Diante das consequências do câncer, é fundamental que o paciente seja acolhido, respeitado e estimulado a refletir sobre os momentos de ter cuidado, de enfrentar dificuldades e de experimentar coisas novas, como andar com auxílio de muletas, por exemplo. É importante que os fatores negativos sejam trabalhados, mas chamando sempre a atenção para os fatores positivos, valorizando o lado bom das coisas e celebrando a vida!

 

*Fisioterapeuta – Casa Durval Paiva

CREFITO 83476-F

 

 

Durante o ano de 2018, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aplicou mais de 450 mil doses de vacinas. Os dados foram divulgados pelo Setor de Vigilância Epidemiológica da SMS.  

Das vacinas que fazem parte do Calendário Nacional, foram 462.151 imunizações, sendo Hepatite B a mais buscada, com 50.824 aplicações, seguida por: dT, com 41.126; meningo C, com 28.346; pentavalente, com 25.976; e SCR, com 25.921.  

Ainda foram registradas aplicações de BCG (13.203), febre amarela (15.998), Hepatite A (8.138), HPV (12.437), DTP, (13.959), pneumo 10 (24.887), pneumo 23 (567), VRH (15.684) e varicela (13.257). 

Esses números se juntam aos dados da Campanha Nacional Contra Influenza, que em Natal vacinou 171.828 pessoas, elevando o total de doses aplicadas na capital potiguar em 2018 para 462.151, um aumento significante se comparado com 2017, quando foram feitas 336.289 imunizações.  

Para conseguir alcançar um maior número de pessoas, a SMS desenvolveu ações durante todo o ano, como a parceria com a Clínica do Shopping, que passou a disponibilizar vacinação aos sábados para toda a população.  

O Calendário Nacional de Vacinação contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos, gestantes e povos indígenas. Ao todo, são disponibilizadas 19 vacinas para mais de 20 doenças, cuja proteção inicia ainda nos recém-nascidos, podendo se estender por toda a vida.

O reitor em exercício da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, se reuniu na tarde desta segunda-feira, 14, com representantes da Secretaria de Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte (SESAP - RN), dirigentes dos hospitais universitários e do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da instituição de ensino, com o objetivo de discutir projetos na área de gestão da saúde.

Um dos encaminhamentos da reunião foi o ajustamento dos trabalhos necessários para uma cogestão do Laboratório Central de Anatomia Patológica e Citopatologia. Além disso, a coordenação em conjunto será estendida aos laboratórios do Instituto de Medicina Tropical (IMT) e do Departamento de Infectologia da universidade, o qual atua no Hospital Giselda Trigueiro.

Segundo Daniel Diniz, a instituição de ensino atua como interlocutora essencial no diagnóstico dos problemas da sociedade e de suas possíveis soluções, dessa forma, os problemas e obstáculos devem ser combatidos com diálogo e cooperação. Já na opinião do secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, a parceria deve agir em diferentes dimensões. “A parceria deverá agir não apenas na divisão do espaço físico, mas também na assistência à população e na formação dos futuros profissionais da saúde.”

Após o dimensionamento da atual base de atuação da UFRN e da SESAP – RN, foram ajustados os possíveis caminhos de parcerias entre as duas entidades. Diante do prognóstico, será formado um grupo de trabalho específico para a elaboração das diretrizes necessárias para as atividades em conjunto.

divulgação
 
A Unidade de Saúde da Família de Ponta Negra retomou, nesta segunda-feira(14), o atendimento à população na sede da unidade com a estrutura física totalmente reformada. A unidade passou por uma restauração de toda a estrutura física e ampliação de alguns setores, como forma de melhorar a ambiência e proporcionar maior conforto aos usuários e servidores. 

Ao todo, foram realizados serviços de pintura interna e externa, de salas, consultórios e banheiros; recuperação de fachada, paredes, calçamento; piso e de luminárias; troca de portas, janelas; revisão elétrica e hidrossanitária 

A ambiência está climatizada, com acessibilidade dentro dos padrões da NBR/9050, e as normas da Vigilância Sanitária. A obra da reforma e ampliação foi orçada no valor de R$ 267,298.21, oriundo de recursos da Prefeitura do Natal e do Programa Requalifica Atenção Básica do Ministério da Saúde.  

A USF de Ponta Negra conta agora com quatro consultórios médicos; três salas de enfermagem; uma sala de odontologia com dois gabinetes odontológicos; uma sala de urgência da Atenção Básica (pequenas urgências); um consultório de psicologia; uma de ginecologia; uma farmácia; uma sala de expurgo; uma sala de regulação; um arquivo; uma sala de preparo; uma lavanderia; uma sala de curativo e retirada de pontos; uma sala de vacinação; um salão de convivência; uma sala dos agentes de saúde; uma copa; dois almoxarifados; sala de direção e administração; e, cinco banheiros.  

Durante o período em que a unidade de saúde estava passando por reforma, entre os meses de junho a dezembro de 2018, os serviços continuaram em outros locais da região, devidos as parcerias do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), Escola Municipal Jerônimo Albuquerque e espaço ofertado pela população. Ou seja, a população de Ponta Negra não ficou desassistida. Foi realizado atendimento com consultas médicas com regulação e de psicologia, vacinação, visitas domiciliares, entrega de medicamentos de tuberculose e de insulina, atividades educativas e ações do Projetos Saúde na Praia e Vila em Movimento. 

Atualmente, a Unidade de Ponta Negra oferta serviços de atendimento médico, visita domiciliar da estratégia da Saúde da Família; Crescimento e Desenvolvimento (CD) coletivo; planejamento familiar; vacinação; nebulização; curativo e retirada de pontos; distribuição de sulfato ferroso para gestante; aplicação da vitamina A; teste rápidos de HIV/Sífilis/Hepatite; preventivos; sorologia de gestantes; distribuição de preservativos; e prática integrativas. Além disso, a unidade conta com o suporte de uma equipe do Consultório na Rua - apoio a população em situação de rua aos serviços de saúde. Dispõe dos Projetos “Saúde na Praia” e “Vila em Movimento” e realiza atividades educativas periodicamente.    

O morador José Gabriel de Sousa relatou estar satisfeito com os serviços ofertados. “Nasci aqui em Ponta Negra e estou sempre na unidade de saúde. Sempre que preciso de atendimento em saúde, venho aqui e sou bem atendido. Agora está ótimo porque melhorou a estrutura e isso traz mais conforto e melhora nosso atendimento”. 

“Sou moradora de Ponta Negra há dez anos. Sempre que preciso sou muito bem atendida. Agora o atendimento está excelente, melhorou a unidade de saúde e o atendimento está mais organizado”, declarou Maria Alice da Silva Morais. 

A Unidade de Saúde da Família (USF) de Bom Pastor realizou nesta sexta-feira (28), palestra sobre orientação nutricional para o grupo de idosos e hipertensos e diabéticos, supervisionada pela enfermeira, Luzineide Ferraz.

Da acordo com o diretor da USF de Bom Pastor, Agilson Nascimento o grupo operacional da unidade tem por objetivo estimular o desenvolvimento de ações coletivas para a melhoria da qualidade de vida e o conhecimento no cuidado à saúde.

O grupo se reúne semanalmente para atividades de promoção à saúde, participando de palestras, passeios, eventos, atividades físicas e encaminhamentos aos serviços de saúde, sempres que necessário, acompanhado por uma equipe multiprofissional.

As atividades do grupo do ano de 2018 se encerraram com apresentação de alimentos saudáveis com degustação.  o grupo retoma as atividades em fevereiro de 2019.

rodrigo carvalho

A Prefeitura de Natal e o Estado do Rio Grande do Norte estão obrigados a fornecer, respectivamente, o tratamento ambulatorial e as cirurgias ortognáticas para pacientes com deformidades dento-faciais. A decisão foi proferida pela Justiça em Ação Civil Pública movida pela Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte. Os serviços devem ser contratados na rede suplementar de saúde, enquanto os entes promovem política pública de saúde e prestação.

Na Ação Civil Pública, a DPE/RN demonstrou que os procedimentos preparatórios para a cirurgia eram realizados, no âmbito do Sistema Único de Saúde, exclusivamente por um prestador de serviço da rede privada. No entanto, em 2016, a Secretaria Municipal de Saúde de Natal (SMS) extinguiu o contrato alegando razões orçamentárias.

Na época, todos os pacientes que faziam tratamento ambulatorial tiveram que interrompê-lo e, apesar de utilizarem os aparelhos ortodônticos, deixaram de ser acompanhados pelos odontólogos, cirurgiões, fonoaudiólogos e psicólogos da empresa privada. Os pacientes com deformidade bucomaxilofacial, além de suportarem transtornos estéticos e funcionais, com dificuldade na fonação, mastigação, deglutição, respiração, apneia do sono e dor orofacial, sofrem com outros problemas em decorrência da interrupção do tratamento, incluindo a perda de dentes.

Durante a ação, a Secretaria Estadual de Saúde Pública declarou que a responsabilidade do fornecimento da cirurgia seria da União. No entanto, o argumento não foi acatado visto que os procedimentos pleiteados integram uma lista prevista na Portaria GM/MS nº 2.848, de 06 de novembro de 2007, incluídos pela Portaria nº 1.032, de 05 de maio de 2010.

A ação demonstrou ainda os Estados e Municípios recebem repasses financeiros para fornecimento dos procedimentos e serviços constantes na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do Sistema Único de Saúde. “De modo que possuem a obrigação de direcionar, em seu orçamento, os recursos necessários para a saúde, inclusive para o tratamento ambulatorial e a cirurgia ortognática para pacientes com deformidades”, registra o texto.

A decisão determinou um prazo de 90 dias para a SMS e a Sesap passem a fornecer, respectivamente, serviços ambulatoriais pré-operatórios e cirurgias ortognáticas aos pacientes com deformidade bucomaxilofacial. O descumprimento das obrigações levará a aplicação de multa diária e pessoal no valor de R$ 1.000,00 a incidir sobre os secretários.

O governador Robinson Faria fez nesta quarta-feira, 12, a entrega de 10 novos leitos de UTI Neonatal para o Hospital Regional Mariano Coelho, em Currais Novos. O investimento é no valor de R$ 1.887.063,86 (R$ 1.346.335,86 em obras e R$540.728,00 em equipamentos novos) com recursos próprios.

Os novos leitos integram a primeira UTI Neonatal da região do Seridó, o que torna o hospital Mariano Coelho referência na área materno-infantil. Nos últimos 10 anos a UTI Neonatal era uma estrutura de quatro leitos. A partir de agora os 10 leitos passam a atender a população.

No mês de junho deste ano, a UTI adulto da unidade passou por reforma e teve ampliada sua capacidade de quatro para 10 leitos. O Governo do Estado também instalou a climatização das enfermarias do setor de obstetrícia.

"O Governo do Estado está promovendo grandes melhorias na saúde pública. Aqui em Currais Novos estamos entregando dez novos leitos de UTI neonatal que irão proporcionar atendimento digno e de qualidade para a população da cidade e de toda a região", afirmou Robinson Faria.

Com as reformas, o hospital passa a contar com 100 leitos no total, garantindo atendimento qualificado à população de 60 municípios do RN, sendo 25 da região Seridó.

Equipamentos

Entre os novos equipamentos adquiridos e instalados estão camas elétricas, cardioversor/desfibrilador, monitores cardíacos e Raio X portátil.

O hospital realiza uma média de 3 mil atendimentos por mês nas áreas de urgência, emergência, clínica médica e cirúrgica, cirurgias obstétricas e ginecológicas, internamentos clínicos e pediátricos, além dos serviços de odontologia, fonoaudiologia e psicologia clínica.

A Vigilância Sanitária de Natal segue atuando para garantir que os serviços oferecidos para a população seja o de melhor qualidade possível. Nesta terça-feira (11), o Núcleo de Informação, Comunicação e Educação (NIEC) promoveu uma capacitação com os estabelecimentos que irão trabalhar no Carnatal e Halleluya 2018 na venda de alimentos. 

Com esse tipo de ação, a Vigilância Sanitária busca que os alimentos vendidos por esses estabelecimentos estão dentro do padrão esperado. “São festivais que atraem um grande público. Então, todo o processo, desde a produção dos alimentos até a venda, exige um nível de organização precisa ser muito grande e a Vigilância Sanitária atua para garantir que a população esteja consumindo o alimento em boas condições”, destacou Sônia Fernandes, integrante do NIEC. 

Além da capacitação, a Vigilância também fará a fiscalização no local que os eventos irão acontecer.



Twitter