NATAL PRESS

divulgação

Os profissionais do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) do Governo de Encanto, aliados à Estratégia Saúde da Família (ESF), estão encerrando nesta semana as ações do quarto grupo de tabagistas, constituído por moradores das zonas urbana e rural.

Na tarde de ontem, 26, a equipe realizou o último encontro envolvendo os usuários residentes na cidade, circunstância em que entregou certificados de participante e ex-fumante àqueles que estiveram comprometidos com as atividades, principiadas no mês de abril.

A eliminação ou controle do vício corresponde ao acolhimento, escuta, avaliação clínica e, em algumas situações, auxílio medicamentoso. Tudo coordenado por um corpo de pessoal competente, dedicado, dentre outras coisas, a reduzir no município o uso do cigarro.

“As reuniões foram semanais, acompanhadas de palestras, rodas de conversa e incentivo para os participantes”, esclareceu a coordenadora, a nutricionista Amannda Keille, revelando que do total de 31 integrantes, houve 98% de êxito.

As práticas grupais representam uma importante metodologia desenvolvida pela Atenção Básica, quando do cuidado aos indivíduos que se utilizam dos serviços de saúde. Inseridos nesse contexto, o Nasf e a ESF desenvolvem um trabalho continuado, apoiados pela secretaria.  

 

Os hospitais universitários federais contarão com um importante reforço financeiro para suas atividades de assistência, ensino e pesquisa. Foram liberados R$ 79,5 milhões para 48 unidades hospitalares por meio de portaria publicada, e o Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), receberá R$ 1.769.641,00. Os recursos são oriundos do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), gerido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

A verba será utilizada para a aquisição de insumos, como medicamentos ou material hospitalar, além de outras despesas relativas às unidades. “A importância desses recursos é que atendem a sobrevivência dos hospitais, como pagamento de contratos e compras de materiais, necessários tanto para sobrevivência administrativa do hospital quanto material de emprego médico”, explicou Eduardo Vieira, vice-presidente da Ebserh e presidente do Comitê Interno do Rehuf.

A liberação dos recursos fazem parte de um planejamento prévio feito pela Ebserh para garantir os investimentos e manutenção dos serviços das unidades. “Estão previstas ainda mais duas descentralizações para custeio nos próximos meses e, posteriormente, liberações de recursos do Ministério da Educação (MEC) e do Ministério da Saúde para investimentos, de acordo com planos de trabalhos produzidos pelos hospitais e que irão priorizar obras ou aquisição de equipamentos. Eduardo Vieira afirmou ainda que “Todas as demandas foram ordenadas de acordo com a necessidade e os critérios estabelecidos” e que nos últimos meses do ano os hospitais vão receber mais recursos de custeio via Ministério da Educação/Ebserh.

Elisa Elsie

 

O Governo do Estado vai fazer o repasse da quarta parcela do convênio com o Hospital Infantil Varela Santiago referente ao ano de 2018 até o próximo dia 15. A decisão foi tomada nesta segunda-feira, 01, em reunião da governadora Fátima Bezerra com a direção do Hospital. “Reconhecemos a importante atuação do Hospital Varela Santiago na atenção à saúde infantil no RN. Apesar das dificuldades e dos atrasos herdados da gestão anterior, o Governo do Estado vai fazer o repasse da quarta parcela do convênio referente a 2018”, afirmou a chefe do Executivo estadual.


A parcela não quitada de 2018 é no valor de R$ 575 mil. Outra medida adotada nesta segunda-feira foi a liberação de R$ 159 mil para o pagamento de quimioterapia. Também ficou acordado que o Governo do Estado vai definir as condições para o convênio referente a 2019 no valor de até R$ 1,15 milhão. O novo convênio será discutido também com a prefeitura de Natal. Ainda ficou definido que a administração estadual dará continuidade ao processo de habilitação de novos serviços a serem prestados pelo Varela Santiago como o de cirurgias lábio palatinas, o que vai evitar o deslocamento dos pacientes e familiares a outros estados e reduzir o custo das cirurgias.

O diretor do Hospital Varela Santiago, médico Paulo Xavier, disse que os principais problemas enfrentados pela instituição foram equacionados e as 80 cirurgias que haviam sido adiadas serão remarcadas. “Vamos imediatamente remarcar as cirurgias. Hoje atendemos crianças de todo o estado. Fazemos 90% do atendimento infantil e utilizando toda a nossa capacidade que é de 110 leitos. A reunião foi muito positiva, os serviços ficam mantidos e as cirurgias serão remarcadas”, afirmou Paulo Xavier.

Na reunião, a governadora Fátima Bezerra esteve acompanhada pelo vice-governador Antenor Roberto, pelos secretários de estado da Saúde, Cipriano Vasconcelos, do Gabinete Civil, Raimundo Alves, secretário adjunto da Saúde, Petrônio Spinelli, e a assessora especial do governo, Laíssa Costa. A Assembleia Legislativa foi representada pelos deputados Francisco Medeiros, Isolda Dantas, Eudiane Macedo, Nélter Queiroz, George Soares e Ubaldo Fernandes.

 

A partir desta segunda-feira, 1º de julho, o Rio Grande do Norte recebe a 4ª edição do “Julho Verde”, campanha de mobilização no combate ao câncer de cabeça e pescoço, coordenada pela Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP) que tem como presidente, o potiguar Dr. Luís Eduardo Barbalho de Mello. A programação inicia já na segunda-feira, no Hospital Luiz Antônio e segue durante todo o mês com atividades em locais como a Escola de Oncologia, Parque das Dunas e também no município de Caicó.

Com o slogan “O câncer tá na cara, mas às vezes você não vê”, a SBCCP, junto com a Associação do Câncer de Boca e Garganta (ACBG) e instituições parceiras fazem apelo à população para que haja atenção aos primeiros sinais da doença e, que assim, o paciente possa ter mais chances da cura. “O nosso intuito é popularizar e aproximar cada dia mais a campanha das pessoas e mostra-las que o tratamento é possível e que está ao alcance de todos”, explica o Dr. Luís Eduardo Barbalho.

As ações iniciam por Natal, no Hospital Luiz Antônio, com a realização do “Anjo Verde”, um amigo secreto entre a equipe multidisciplinar e secretárias, nos três turnos de expediente do local. Faz parte também da programação, a realização do II Simpósio Multidisciplinar de Cabeça e Pescoço, focado para médicos, fonoaudiólogos, odontólogos, psicólogos, enfermeiros, assistentes sociais, nutricionistas, entre outros profissionais da saúde. O Simpósio, composto por mesa redonda, palestras e debates com profissionais renomados, acontece no dia 05 de julho, das 8h às 12h, na Escola de Oncologia, na Av. Miguel Castro – Dix-Sept Rosado. Informações sobre inscrições e detalhes da programação, acesse, escoladeoncologia.liga.org.br.

Já no dia 11, tem “Momento Verde” no Hospital Luiz Antônio; no dia 12, a primeira edição do Simpósio em Caicó; dia 19 Projeto Serviço Social Informa; dia 20, Caminhada Verde no Parque das Dunas, a partir das 8h; dia 27, Dia Mundial de Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço e no dia 30, Café da Manhã no auditório do Hospital Luiz Antônio, encerrando o Julho Verde.

Campanha Julho Verde – combate ao câncer de cabeça e pescoço

O Dia Mundial de Conscientização e Combate ao Câncer de Cabeça e Pescoço é celebrado no dia 27 de julho. O câncer de cabeça e pescoço são tumores que nascem nas regiões aerodigestivas (amígdalas, boca, bochechas, faringe, gengivas, laringe, língua e seios paranasais). É preciso ter atenção com as feridas na boca ou na pele que não cicatrizam, mau hálito frequente, garganta irritada, dificuldade para mastigar ou engolir e rouquidão por mais de duas semanas. Ao identificar tais sintomas, procure um médico.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCa), estima-se que a cada ano sejam diagnosticados 640 mil novos casos de câncer. Sendo o de cabeça e pescoço, o segundo mais recorrente em homens (8,9%) e o quarto com mais incidência em mulheres (6,3%), com exceção do câncer de pele não melanoma, que também é considerado câncer de cabeça e pescoço e um dos que mais matam a população.

Ainda segundo o INCa, é esperado a cada ano 43 mil novos casos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. São 10 mil mortes ao ano, decorrentes do câncer de laringe e cavidade oral. Tudo isso decorrente do diagnóstico tardio.

E é para mudar essa realidade que a SBCCP quer orientar a população através do Julho Verde e demais ações durante o ano. Para detectar, basta se direcionar ao posto público mais próximo de sua casa e procurar por um especialista de cabeça e pescoço. Este tipo de câncer, se tratado tardiamente, deixa sequelas e o tratamento fica muito caro.

Mudanças de hábitos, como alimentação saudável, prática de exercícios físicos, ter uma boa higiene pessoal, cuidados com exposição solar, não fumar, consumir bebida alcoólica com moderação e manter relações sexuais com preservativos, podem contribuir e muito para a prevenção do câncer de cabeça e pescoço.

divulgação

O diretor do Hospital Infantil Varela Santiago, Dr. Paulo Xavier, anunciou nesta quarta-feira (26) a suspensão de 180 cirurgias de crianças de todo o estado por falta de recursos. A situação financeira do hospital se agravou após o Governo do Estado não renovar um convênio anual com a unidade no valor de R$ 2,3 milhões.

“É triste isso, fazemos isso constrangido, porque essas pessoas precisam de assistência. Hoje o Varela Santiago atende a mais de 90% de todos os casos graves do Rio Grande do Norte, nós fazemos 390 cirurgias por mês”, lamentou o diretor.

Segundo Dr. Paulo Xavier, as cirurgias que serão canceladas são as consideradas pequenas, como de fimose, amígdalas e adenoide, por exemplo. Além dessas cirurgias, outras, que necessitam de administração de alimentação parenteral, já estão suspensas, também pela falta de recursos do convênio com o Governo do Estado.

Desde janeiro a solicitação de renovação do convênio está com o secretário de Estado da Saúde Pública (Sesap), Cipriano Maia, mas não ainda não foi assinado. Além disso, o diretor Paulo Xavier tenta desde o início do ano uma audiência com a governadora Fátima Bezerra (PT) para tratar sobre o assunto, mas ela ainda não o recebeu.

O Hospital Varela Santiago é filantrópico, atualmente possui 110 leitos de pediatria e atende exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O período junino é propício ao aumento do número de vítimas de queimaduras tendo em vista o maior manuseio de fogos de artifício, proximidade com fogueiras ou até mesmo recreações tradicionais típicas desta época. Assim, as ocorrências que envolvem vítimas de queimaduras aumentam em razão do manuseio. Segundo dados estatísticos da Central de Regulação de Urgências do Samu Natal, geralmente nesta época, as chamadas pelo 192 aumentam em média 30% em relação a resto do ano. 

O uso de fogos de artifícios pode deixar as comemorações mais bonitas e divertidas, mas é preciso ter muito cuidado, pois o mau uso dos fogos pode trazer graves consequências à saúde como queimaduras, prejuízos à audição e até amputações. Faz-se necessário manter-se afastado do local do disparo do artefato, garantir que não há rede elétrica nas proximidades ou substâncias potencialmente inflamáveis e devem ser manuseados em áreas abertas. Crianças devem se manter distantes de material com perfil explosivo e potencialmente desencadeadores de queimaduras. Lembre-se de em caso de queimaduras ou acidentes durante as festividades juninas acionar o Samu Natal, discando o número 192 de qualquer telefone para acionar o serviço. 

Para evitar acidentes, o Samu Natal alerta para as recomendações de segurança para quem vai soltar fogos de artifícios. São elas: 

 - Não ser manuseado por crianças; 

 - Não ser manuseado por pessoas que ingeriram bebidas alcoólicas; 

 - Não acender os artefatos próximo ao rosto e não apontar em direção a outra pessoa; 

 - Não soltar balões; 

 - Não tentar reacender o produto depois de uma eventual falha; 

 - Não colocar artefatos dentro de latas, entre tijolos ou afins. 

Além disso, a Sociedade Brasileira de Queimados, alerta para os procedimentos em caso de queimaduras: 

 - O primeiro cuidado é extinguir a fonte de calor; 

 - Deve-se lavar o local atingido com água corrente em temperatura ambiente, de preferência por tempo suficiente até que a área queimada seja resfriada; 

 - Buscar o auxílio de um profissional de saúde para evitar o agravamento da lesão; 

 - Se não houver Posto de Saúde nas proximidades, deve-se acionar os serviços de socorro do SAMU 192, Corpo de Bombeiros 193 ou procurar uma Emergência hospitalar de referência; 

 - Não passar no local atingido nenhum produto ou receita caseira; 

 - Não passar nenhuma pomada no local atingido, sem recomendação médica; 

 - Não tente estourar as bolhas provocadas pela queimadura.  Elas são curativos naturais da lesão. Quando o ferimento fica exposto a instrumentos possivelmente contaminados, ele pode infeccionar. 

 - Se houver necessidade de cobrir o ferimento a caminho do serviço de Saúde, o indicado é envolvê-lo em um pano limpo. 

 - Tecidos ou materiais que grudam no ferimento, como o algodão, devem ser evitados. O paciente queimado não deve retirar a roupa que estiver usando, ainda que houver sido atingida pelo fogo. O ideal é molhar a vestimenta e permanecer assim até a chegada ao pronto-socorro, para evitar que as bolhas estourem e que a pele seja arrancada. 

 - Retirar acessórios, como pulseiras e anéis, pois o corpo incha naturalmente após uma queimadura e esses objetos podem ficar presos.

A palavra recidiva, dentro do contexto da medicina significa o reaparecimento de uma doença ou de um sintoma, após período de cura mais ou menos longo. Tal palavra dita para um paciente oncológico e sua família significa o ressurgimento de inúmeras angústias, medo, aflição. Trata-se para eles de um retorno às cenas de filmes já vistos e vividos.

O processo de tratamento contra o câncer é repleto de desafios, o paciente e seus familiares enfrentam diversas dificuldades, mas durante a fase de remissão da doença, a vida começa a voltar ao normal. Os filhos voltam a frequentar a escola, as consultas passam a ser espaçadas, as vezes mensais, e até mesmo anuais. Porém, quando ocorre a recidiva, ou seja, a volta da doença em plena atividade, o chão é retirado mais uma vez, e agora eles sabem onde estão pisando, pois o processo já é conhecido e já foi vivenciado.

Podemos falar que existem diversos fatores da vida desses pacientes e familiares que são afetados, a saber: psicológicos, emocionais e sociais. Eles passam a enfrentar novamente a rotina difícil do hospital: exames, procedimentos cirúrgicos, quimioterapia, enjoos, isolamento devido à baixa imunidade. No entanto, existe um agravante nesse momento, a preocupação com a redução das chances de cura, além do medo da morte, este torna-se mais forte e a cura é vista como algo quase inalcançável. Durante o processo de tratamento, muitos já viram e vivenciaram a perdas de colegas de caminhada num período de recidiva. Existe inclusive o medo de falar abertamente sobre tal situação, pela carga negativa que ela acarreta.

Muitas vezes, para os pais e/ou responsáveis a confirmação da recidiva da doença vem aliada a um turbilhão de sentimentos e frustrações. Nesses casos, a intervenção da equipe multidisciplinar é de extrema relevância, através de um conjunto de saberes e vivências para ajudá-los a enfrentar tão doloroso processo. Não podemos deixar de citar a importância do suporte familiar e emocional, necessário para que eles superem mais uma etapa.

Podemos dizer que o tratamento e a busca pela cura do câncer são assim como uma montanha russa, literalmente, cheia de altos e baixos, além das curvas sinuosas. O diagnóstico é o momento baixo, a remissão o momento alto que vislumbra a cura para doença. Porém, a recidiva é a curva sinuosa, que deixa todos de cabeça para baixo, onde paciente e familiares tomam um verdadeiro susto para voltarem aos trilhos e seguirem até o ponto de chegada.

A vivência e o fazer profissional social no processo de acompanhamento dessas famílias é um universo repleto de aprendizado, desafios, momentos tristes, mas também um espaço de superação, permeado por momentos de alegrias e de conquistas. Podemos afirmar com convicção que aprendemos muito com cada paciente, seus familiares e suas histórias de superação.

 

*Assistente Social – Casa Durval Paiva

CRESS/RN 3592

Os vereadores integrantes da Comissão de Saúde realizaram na tarde desta segunda-feira (17), uma audiência pública para tratar da situação do Hospital Estadual Dr. Ruy Pereira, que foi alvo de visita na última segunda-feira (10). Referência em atendimento e cirurgia angiovascular no Rio Grande do Norte, o local apresenta problemas estruturais e materiais, como a falta de lençóis. Foram convidados representantes de onze instituições ligadas à área da saúde, com foco na busca por soluções para as dificuldades. Apenas três órgãos estiveram presentes, o que de acordo com o vereador Cícero Martins (PSL), representa a falta de compromisso com a saúde pública.
 
“É constrangedor. Nós estamos aqui tratando do possível fechamento de um hospital com oitenta leitos e dez de UTI’s, que custa mais de duzentos mil reais aos cofres dos contribuintes e que existe um grau elevadíssimo de amputações lá dentro. Eu acho que a ausência dos poderes aqui está mais na sensação de impotência em não ter o que justificar, mas o que me preocupa é a ausência do Ministério Público, que deveria estar aqui para ver de que forma poderíamos pautar alguma decisão que houvesse na audiência. O que está acontecendo no Ruy Pereira é uma desumanidade”, disse Cícero Martins.
 
Os representantes do Sindicato dos Servidores da Saúde (SINDSAÚDE), também estiveram presentes e criticaram a falta de compromisso com a saúde pública. De acordo com a diretora da instituição, Kelly Teixeira, quando existe o debate em prol da saúde pública é preciso existir o interesse de todos, principalmente diante da atual situação do hospital Ruy Pereira. “Estamos tratando de um hospital referência, que possui uma extrema importância para a sociedade. O fechamento dessa estrutura vai gerar um caos no estado para os potiguares, diante de um quadro que já vem se originando desde a falta de atenção na saúde básica”, comentou.
 
Durante a audiência pública, o secretário estadual adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, reconheceu os problemas no Ruy Pereira e não descartou as estratégias existentes, para inclusive transferir a estrutura de local. “É notório, temos a comprovação, inclusive com vários laudos, de que realmente temos problemas estruturais no hospital. Mas para nós o importante foi à manutenção do convênio, que ia acabar em fevereiro e foi renovado, pois implantamos de imediato um programa de linhas de cuidado para resolver os problemas desses pacientes na sua casa, na atenção básica, evitando a hospitalização, mas ainda é preciso entender que mantemos o Ruy Pereira do jeito que está, porque a nossa luta é construir uma alternativa mais qualificadora. Nós estudamos todas as alternativas, inclusive de uma estrutura na Av. Afonso Pena, uma estrutura que tenha como foco a boa utilização do dinheiro público e a melhoria da assistência para os pacientes”.
 
O secretário ainda ressaltou a necessidade de investimentos por parte dos municípios no atendimento aos pacientes com diabetes na atenção básica, para evitar que se tenham tantas pessoas internadas com doenças vasculares. “Isso significa que existe alguma coisa errada no nosso estado que precisa ser melhorada. O que precisamos é cuidar dos diabéticos, cuidado que é feito na atenção básica e as pessoas também precisam se cuidar mais. 90% dos pacientes internados no Ruy Pereira estão com diabetes, o que mostra que o problema está na origem. Cuidar bem na atenção básica é o caminho sustentável e mais barato que precisamos seguir”, afirmou Petrônio Spinelli.
 
“É preciso fazer esse debate e a novidade que temos para dar ao povo de Natal é que surgiu um hospital alternativo, porque uma das reclamações durante a visita da comissão foi que o prédio atual é inadequado, sujo, velho, sem acessibilidade, aí surge a possibilidade de um novo prédio que vamos debater aqui. O que não podemos aceitar de jeito algum é essa teoria de que vão espalhar esses pacientes na rede estadual de saúde. Já foi feito isso no passado e não deu certo. Esse é um hospital de referência e de retaguarda com quase cem leitos, que não podem ser fechados numa saúde caótica como a do Rio Grande do Norte”, comentou o Presidente da Comissão, vereador Fernando Lucena (PT).
 
 
Texto: Kehrle Junior

 

divulgação

Com mais de 2 milhões de livros vendidos, dentre eles “Mentes Perigosas” e “Mentes Depressivas”, a Dra. Ana Beatriz Barbosa é referência nacional no tratamento dos transtornos mentais e realiza palestras e consultorias em todo o país. A psiquiatra ministra amanhã (18) a palestra “Mentes Ansiosas - O Medo e a Ansiedade Nossos de Cada Dia”, no Teatro Riachuelo. 

Episódios de medo, estresse e ansiedade são tão comuns que todas as pessoas já vivenciaram pelo menos um deles. Mas o agravamento dos casos pode transformá-los em patologias. Níveis elevados de estresse, dificuldades para dormir, ataques de pânico e batimentos cardíacos acelerados são alguns dos sintomas que atingem pacientes com ansiedade debilitante. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os transtornos de ansiedade atualmente são as doenças mentais mais comuns, à frente dos casos de depressão.

“Mentes Ansiosas” surgiu da interação real e virtual entre Ana Beatriz e o público. Por meio de conversas por redes sociais, e-mails ou durante palestras e em livrarias, a autora reuniu os principais anseios e questionamentos das pessoas acerca do assunto para compor o livro. Por isso, perguntas como “qual a diferença entre ansiedade e medo?”, “quando a ansiedade vira doença?” e “qual a relação entre ansiedade, culpa e depressão?” serviram como ponto de partida para a escritora. 

Sobre a palestrante:

Ana Beatriz Barbosa Silva é médica graduada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com residência em psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É  professora honoris causa pela UniFMU – SP e diretora da clínica ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA – Comportamento Humano e Psiquiatria (RJ). Nascida na cidade do Rio de Janeiro, Ana Beatriz é referência nacional no tratamento dos transtornos mentais. Realiza palestras, conferências e consultorias em todo o país sobre variados temas do comportamento humano e é autora de diversos livros.

 SERVIÇO 

DRA. ANA BEATRIZ BARBOSA - PALESTRA “MENTES ANSIOSAS - O MEDO E A ANSIEDADE NOSSOS DE CADA DIA”

Dia 18 junho, terça-feira, às 20h

Duração: 90 min.

Faixa Etária:
14 anos
Teatro Riachuelo  (Avenida Bernardo Vieira, 3.775 – piso L3 do Shopping Midway Mall – Tirol)
www.teatroriachuelonatal.com.br

Setor

Valor

Meia-Entrada

Plateia A

R$90,00

R$45,00

Plateia B

R$80,00

R$40,00

Camarote

R$80,00

R$40,00

Frisas

R$70,00

R$35,00

Balcão Nobre

R$70,00

R$35,00

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS:

Bilheteria do Teatro: Shopping Midway Mall - Av. Bernardo Vieira 3775 - piso L3 (terça a sábado, das 13h às 21h, domingo e feriado, das 14h às 20h)

Site: www.uhuu.com

Atendimento: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

divulgação

Com mais de 2 milhões de livros vendidos, dentre eles “Mentes Perigosas” e “Mentes Depressivas”, a Dra. Ana Beatriz Barbosa é referência nacional no tratamento dos transtornos mentais e realiza palestras e consultorias em todo o país. A psiquiatra chega a Natal no dia 18 de junho para ministrar a palestra “Mentes Ansiosas - O Medo e a Ansiedade Nossos de Cada Dia”, no Teatro Riachuelo. 

Episódios de medo, estresse e ansiedade são tão comuns que todas as pessoas já vivenciaram pelo menos um deles. Mas o agravamento dos casos pode transformá-los em patologias. Níveis elevados de estresse, dificuldades para dormir, ataques de pânico e batimentos cardíacos acelerados são alguns dos sintomas que atingem pacientes com ansiedade debilitante. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), os transtornos de ansiedade atualmente são as doenças mentais mais comuns, à frente dos casos de depressão.

“Mentes Ansiosas” surgiu da interação real e virtual entre Ana Beatriz e o público. Por meio de conversas por redes sociais, e-mails ou durante palestras e em livrarias, a autora reuniu os principais anseios e questionamentos das pessoas acerca do assunto para compor o livro. Por isso, perguntas como “qual a diferença entre ansiedade e medo?”, “quando a ansiedade vira doença?” e “qual a relação entre ansiedade, culpa e depressão?” serviram como ponto de partida para a escritora. 

Sobre a palestrante:

Ana Beatriz Barbosa Silva é médica graduada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) com residência em psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É  professora honoris causa pela UniFMU – SP e diretora da clínica ANA BEATRIZ BARBOSA SILVA – Comportamento Humano e Psiquiatria (RJ). Nascida na cidade do Rio de Janeiro, Ana Beatriz é referência nacional no tratamento dos transtornos mentais. Realiza palestras, conferências e consultorias em todo o país sobre variados temas do comportamento humano e é autora de diversos livros.

 SERVIÇO 

DRA. ANA BEATRIZ BARBOSA - PALESTRA “MENTES ANSIOSAS - O MEDO E A ANSIEDADE NOSSOS DE CADA DIA”

Dia 18 junho, terça-feira, às 20h

Duração: 90 min.

Faixa Etária:
14 anos
Teatro Riachuelo  (Avenida Bernardo Vieira, 3.775 – piso L3 do Shopping Midway Mall – Tirol)
www.teatroriachuelonatal.com.br

Setor

Valor

Meia-Entrada

Plateia A

R$90,00

R$45,00

Plateia B

R$80,00

R$40,00

Camarote

R$80,00

R$40,00

Frisas

R$70,00

R$35,00

Balcão Nobre

R$70,00

R$35,00

 

50% de desconto UNIMED NATAL, para os primeiros 100 ingressos  para cliente do plano Unimed Natal e médicos cooperados. Desconto válido apenas com a apresentação da carteira (UNIMED NATAL) e CPF. Desconto limitado a 1 (um) ingresso por CPF.

*Descontos não cumulativos a demais promoções e/ou descontos;

** Política de venda de ingressos com desconto: as compras poderão ser realizadas nos canais de vendas oficiais físicos, mediante apresentação de documentos que comprovem a condição de beneficiário. Nas compras realizadas pelo site e/ou call center, a comprovação deverá ser feita no ato da retirada do ingresso na bilheteria e no acesso à casa de espetáculo.

***A lei da meia-entrada mudou: agora o benefício é destinado a 40% dos ingressos disponíveis para venda por apresentação. Veja abaixo quem têm direito a meia-entrada e os tipos de comprovações oficiais no Rio Grande do Norte:

- IDOSOS (com idade igual ou superior a 60 anos) mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

- ESTUDANTES mediante apresentação da Carteira de Identificação Estudantil (CIE) nacionalmente padronizada, em modelo único, emitida pela ANPG, UNE, UBES, entidades estaduais e municipais, Diretórios Centrais dos Estudantes, Centros e Diretórios Acadêmicos. Mais informações: www.documentodoestudante.com.br

- PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E ACOMPANHANTES mediante apresentação do cartão de Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social da Pessoa com Deficiência ou de documento emitido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que ateste a aposentadoria de acordo com os critérios estabelecidos na Lei Complementar nº 142, de 8 de maio de 2013. No momento de apresentação, esses documentos deverão estar acompanhados de documento de identidade oficial com foto.

- JOVENS PERTENCENTES A FAMÍLIAS DE BAIXA RENDA (com idades entre 15 e 29 anos) mediante apresentação da Carteira de Identidade Jovem que será emitida pela Secretaria Nacional de Juventude a partir de 31 de março de 2016, acompanhada de documento de identidade oficial com foto.

- JOVENS COM ATÉ 15 ANOS mediante apresentação de documento de identidade oficial com foto.

PROFESSORES DA REDE PÚBLICA E PARTICULAR DE ENSINO mediante apresentação de carteira funcional emitida pela Secretaria Municipal de Educação de Natal ou holerite acompanhado de documento oficial com foto.

- ACOMPANHANTES DE CADEIRANTES (quando necessário).

DOADORES REGULARES DE SANGUE são considerados doadores regulares de sangue aqueles registrados nos bancos de sangue dos hospitais do município de Natal.

**** Caso os documentos necessários não sejam apresentados ou não comprovem a condição do beneficiário no momento da compra e retirada dos ingressos ou acesso ao teatro, será exigido o pagamento do complemento do valor do ingresso.

CANAIS DE VENDAS OFICIAIS:

Bilheteria do Teatro: Shopping Midway Mall - Av. Bernardo Vieira 3775 - piso L3 (terça a sábado, das 13h às 21h, domingo e feriado, das 14h às 20h)

Site: www.uhuu.com

Atendimento: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.



Twitter