NATAL PRESS

Com o período chuvoso em Natal, a Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), tem fortalecido as ações de combate as arboviroses, em destaque para as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.  

Na capital potiguar, a Secretaria Municipal de Saúde utiliza dois programas de reconhecimento nacional que mapeia toda a cidade semanalmente, identificando os pontos de risco. O Vigiadengue, que já foi apresentado, inclusive, em feiras internacionais; e as Estações Disseminadoras de Larvicidas, técnica desenvolvida pela Fiocruz do Amazonas.  

Como exemplo do fortalecimento das ações por parte do CCZ, no último sábado (23), foi feita a coleta de sangue de um grupo de pessoas de uma determinada região do Tirol que têm apresentado sintomas clássicos das arboviroses que já circulam no município (dengue, zika e chikungunya).  

“Vamos ter a confirmação da enfermidade ainda esta semana. Mas, mesmo apenas com a suspeita, estamos fazendo um trabalho no local de mobilização da população, visitas de agentes nas residências, além de operações de UBV portátil e carro fumacê”, destacou Alessandre Medeiros, chefe do CCZ Natal.  

Em 2019, um total de 653 casos de arboviroses ocorreram na capital potiguar, uma redução de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 761. 

A Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, está convocando 12 novos profissionais agentes administrativos de vagas remanescentes do Processo Seletivo Simplificado Nº 001/2015, para contratação temporária. A convocação atende a uma necessidade temporária de excepcional interesse público de não interromper a prestação dos serviços da Rede de Atenção à Saúde.

Os candidatos deverão comparecer ao Setor de Acolhimento da Secretaria Municipal de Saúde de Natal, localizada na Rua Fabrício Pedrosa, 915, Areia Preta, Natal, no prazo de 72 (setenta e duas) horas, a contar os dias úteis, a partir da publicação do Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira,  15 de março de 2019, no horário das 8h às 14h.

Os interessados devem ficar atentos ao Diário Oficial do Município (DOM), no site da prefeitura, e na imprensa, porque em caso do não comparecimento, dentro do prazo de 72 horas dos dias úteis, os imediatamente próximos, classificados da lista serão chamados.

 

Documentos e exames necessários

a) Diploma ou de declaração de conclusão do Curso para o cargo pretendido; b) 02 (duas) fotografias 3 x 4 (iguais). Não serão aceitas fotografias reproduzidas por scanners ou qualquer meio eletrônico semelhante; c) Carteira do respectivo Conselho; d) Comprovante de regularidade junto ao Conselho Regional de sua categoria; e) Carteira de identidade; f) CPF; g) Título de Eleitor com declaração de quitação eleitoral; h) PIS; i) Carteira de Trabalho (CTPS); j) Certificado Militar (para candidatos do sexo masculino); k) Comprovante de Residência; I) Termo de Ciência, Concordância com o Edital e Declarações Negativas (Anexo I) e Declaração de Vínculo Empregatício (Anexo II).

 

Trazer os seguintes exames de saúde: hemograma completo, sumário de urina e VDRL, dosagens bioquímicas de glicose, triglicerídeos, colesterol total, HDL, LDL e RX de tórax, todos com validade de até 90 dias. A critério da avaliação da junta médica do Município do Natal, poderá ser solicitado exames complementares e avaliação de especialistas da área.

Mesmo com a chegada do período chuvoso, Natal tem conseguido diminuir o número de casos de arboviroses - doenças transmitidas por insetos e incluem Zika vírus e dengue - registrados em toda a capital, de acordo com dados divulgados pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).  

No total, 653 casos de arboviroses ocorreram na capital potiguar em 2019, uma redução de 14,2% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram registrados 761. A maior queda foi de zika, que passou de 54 para 17. A dengue caiu de 65 para 39 e chikungunya passou de 642 para 597 este ano. 

Mesmo com os índices apresentando resultados melhores, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) reafirma a necessidade de a população continuar os cuidados para que os mosquito Aedes aegypti, transmissor dessas doenças, não se prolifere, principalmente com a continuidade do período chuvoso na capital potiguar.  

   

Confira algumas dicas:  

- Mantenha a caixa d’água fechada  

- Mantenha tampados tonéis e barris d’água   

- Lave com semanalmente com escova e sabão os tanques utilizados para armazenar água  

- Encha de areia até a borda os vasos das plantas  

- Coloque no lixo todo objetivo que não será mais utilizado e que possa acumular água (latas, garrafas.. 

- Coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada  

- Mantenha as calhas das casas limpas  

- Não deixe água acumulada sobre a laje 

Na próxima sexta-feira, 15, estudantes do curso de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) lançam o Website/Aplicativo de Pediatria denominado PedAjuda. O lançamento acontece às 19h na Associação Médica do Rio Grande do Norte. Na mesma ocasião, também será promovido o lançamento do livro Manual de Urgências e Emergências em Pediatria, da Liga Acadêmica de Pediatria da UFRN (LAPED).
 
PedAjuda é uma ferramenta digital que oferece suporte na prática clínica pediátrica. Ela será disponibilizada para toda a comunidade acadêmica e profissionais médicos e, tem o objetivo, de auxiliar na prescrição dos principais medicamentos utilizados em Pediatria. Além disso, traz no seu conteúdo tópicos importantes da Puericultura e, também, algumas das principais condutas em urgências e emergências em pediatria (asma, diarréia, cetoacidose diabética).
 
O aplicativo é um projeto vinculado à disciplina Internato em Pediatria I, sendo desenvolvido pelos estudantes Jailson Regis, Jaime Diógenes, Lucas de Medeiros, Mateus Silva e Yan Junqueira, sob a orientação do professor Leonardo Moura Ferreira de Souza.
 
Durante o evento, também será publicado Manual de Urgências e Emergências em Pediatria, da Liga Acadêmica de Pediatria da UFRN. Na ocasião, o professor Kleber Giovanni Luz ministrará a palestra Sarampo: desvendando essa ameaça.

Por Lady Kelly Farias da Silva*

 

 

O câncer é o nome dado a um conjunto de mais de cem doenças que tem como manifestação o crescimento desordenado de células, que invadem tecidos e órgãos e que pode chegar até a se propagar para outros locais do corpo. Os tratamentos incluem cirurgia, quimioterapia, radioterapia, transplante de medula óssea e em alguns casos, há necessidade de associar mais de uma modalidade de tratamento.

De acordo com essa realidade, percebe-se que muitas pessoas vivenciam o câncer sem perspectiva de cura, neste caso, passam a necessitar de cuidados que não seja necessariamente a cura, mas sim a busca por redução de conflitos emocionais, melhora na adequação da rotina, de acordo com sua especificidade, acolhimento e atenção que se estende à família, a fim de proporcionar o mínimo de qualidade durante a vida que também envolve a morte sem grandes sofrimentos.

Nesse contexto, existem os cuidados paliativos que tem como princípio o alívio da dor e de sintomas estressores, que considera os aspectos psicossociais e espirituais ao cuidado, trata-se de uma assistência que auxilia o paciente a viver de forma ativa como um suporte durante todo o processo da doença.

Considera-se que pacientes que se encontram vivenciando um processo de finitude frente a uma doença e que não possui possibilidades terapêuticas de cura podem vir a perder o sentido de viver e de realização. Nesse caso, diminuem consideravelmente a participação em ocupações. Um dos objetivos do profissional de terapia ocupacional em cuidados paliativos é o de favorecer a permanência de forma significativa diante das ocupações dos pacientes, adaptando a execução dos fazeres às suas dificuldades.

A ocupação está relacionada a atividade diária, com seus valores e significados e, quando se fala em cuidados paliativos, é necessário que o profissional tenha sensibilidade e vise o paciente como ser único, considere sua subjetividade e singularidade. Na Casa Durval Paiva, é possível vivenciar algumas destas experiências e, geralmente, com a abordagem terapêutica ocupacional centrada no cliente, que é onde o paciente participa ativamente durante a negociação de objetivos, considerando como prioritárias suas necessidades e metas.

Como na instituição o público é composto por crianças e adolescestes, o lúdico, as atividades expressivas e criativas são as que mais desejam executar durante a fase de cuidados paliativos. Durante essa fase, muitos fatores estão envolvidos como a dor, por exemplo, que está relacionada ao físico, ao emocional, a perda da autonomia, momentos de ansiedade, dependência, isolamento social, dentre outros.

Nesse caso, o terapeuta considera que o cuidar deve ter prioridade sobre a cura e que a partir da perspectiva ocupacional, o sentimento de bem estar precisa estar relacionado com as atividades que proporcionem satisfação, plenitude, propósito e sentido de vida. Mesmo para os pacientes em processo de finitude, o objetivo terapêutico é o de proporcionar vida ativa, quando possível, até sua partida, visto que o ser humano vive em uma incessante busca de novos fazeres.

Na prática clínica, o terapeuta ocupacional deve possuir sensibilidade e respeito com relação a todos os sentimentos e objetivos de vida do paciente, cuidando e acolhendo na sua integralidade, enfatizando as ocupações significativas, em busca do cuidado paliativo de qualidade.

 

*Terapeuta Ocupacional da Casa Durval Paiva

Crefito 14295-TO

O deputado estadual Allyson Bezerra (Solidariedade) apresentou nesta terça-feira (12), requerimento solicitando o conserto do tomógrafo do Hospital Regional Tarcísio Maia, em Mossoró. O equipamento encontra-se quebrado desde o dia 4 de março.

No requerimento, o parlamentar justifica que o hospital regional é o que mais recebe demanda da região Oeste do Rio Grande do Norte. É o segundo maior hospital do estado, atrás apenas do Hospital Walfredo Gurgel, localizado na capital potiguar.

O problema no equipamento tem gerado uma série de transtornos aos pacientes, pois quem precisa fazer o exame tem que ser transferido para Natal. “Faço um apelo ao secretário estadual de saúde, ao governo estadual, pela cidade de Mossoró, hoje não é só o tomógrafo que está quebrado, lá está faltando o básico, luvas para os enfermeiros e médicos. Os deputados e a crítica do governo podem aguardar, mas os pacientes que esperam por um leito ou por uma cirurgia não podem esperar, a saúde não pode esperar”, alertou o parlamentar.

Neste carnaval de 2019, as Unidades de Saúde do município de Natal estão organizando uma série de ações de promoção a saúde e prevenção de doenças dentro da temática “Carnaval com Prevenção”, com ênfase para o uso de preservativos, o sexo seguro e a prevenção às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). Os eventos acontecem a partir desta sexta-feira, dia 22 de fevereiro e se estendem ao longo da próxima semana, nos cinco distritos sanitários da capital.  Reunião realizada na manhã desta quarta-feira (20) definiu a atuação da Secretaria Municipal de Saúde no período carnavalesco.

Emilly Miranda, responsável técnica do Programa de IST/Aids e Hepatites virais explica como funcionará as ações no período que antecede o carnaval. “O nosso objetivo é que com essas intervenções possamos fazer com que as pessoas curtam o carnaval de forma mais tranquila e mais consciente. Que elas possam pensar também no lado da saúde quando estiverem brincando o carnaval. Nosso foco é a prevenção, por meio da orientação”. 

As ações incluem distribuição de preservativos, orientação sobre infecções sexualmente transmissíveis, testes rápidos para HIV, AIDS, Sífilis e Hepatites, apresentação de coral, muita música e diversão, entre outras atividades. Todos os usuários poderão participar. 

Entre as ações, destaque para a ação que a Unidade de Mirassol vai realizar nesta sexta-feira, dia 22, no Centro de Convivências da UFRN, das 8h às 12h, bem como a edição de carnaval do projeto Saúde na Praia, que será realizada no dia 28, em Ponta Negra; e o tradicional carnaval da Unidade de Saúde das Rocas, que sai em caminhadas pela orla marítima, distribuindo preservativos e panfletos educativos, com muita alegria e descontração. 

Programação 

22/02- Unidade de Saúde do Jiqui - Saúde na Praça, Unidade de Saúde Rosângela Lima, Unidade de Saúde do Mirassol, Unidade de Saúde do Pirangi 

25/02- Centro de Atenção Psicossocial Oeste - às 9h no Bosque das Mangueiras; Unidade de Saúde do Jiqui (Grupo Hiperdia), Unidade de Saúde de Candelária, Unidade de Saúde de Nova Descoberta, Unidade do Planalto 

26/02 - Centro de Práticas Integrativas e Complementares (Cerpic)- De 26/2 a 01/03. 

28/02 - Centro de Convivência em Saúde Mental, Unidade de Saúde África, Unidade de Gramoré, Unidade de Nova Natal, Unidade de Saúde de Ponta Negra, Unidade de Saúde Lagoa Seca. 

01/03 - Unidade de Saúde de Vista Verde, Unidade de Saúde de José Sarney, Unidade de Saúde de Parque das Dunas, Unidade de Pompéia, Unidade de Cidade Praia, Unidade de Saúde de Rocas. 

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da  Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão (Proex), promove, entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março, a campanha de combate ao Aedes aegypti na instituição. A iniciativa tem como objetivo convidar a comunidade universitária a participar da mobilização nacional pelo combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, com a adoção de todas as posturas possíveis para prevenir focos e eliminar potenciais criadouros.

Agentes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estarão no campus de Natal, durante a semana de campanha, para sensibilizar servidores e alunos em visitas às unidades e na blitz que acontecerá dia 27 de fevereiro. No mesmo período, a equipe da SMS realizará inspeção e diagnóstico de focos ou criadouros do mosquito, cujo trabalho servirá de base para o plano de intervenção a partir de março, quando haverá capacitação da equipe de limpeza por meio da Escola de Saúde (ESUFRN).

Também estão previstos para março um mutirão de limpeza e uma caminhada de mobilização, promovida pelo Programa de Qualidade de Vida no Trabalho (PQVT). A campanha de combate ao Aedes aegypti é uma iniciativa conjunta da Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), Proex, PQVT, ESUFRN e SMS.

Nesta sexta, 15 de fevereiro, é lembrado em todo o mundo o Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância. A Organização Mundial da Saúde, a Sociedade Internacional de Oncologia Pediátrica (SIOP) e mais centenas de organizações em 88 países estão comprometidas e empenhadas para atingir a meta global de reduzir a mortalidade infantil causada pelo câncer.

 

No Rio Grande do Norte, a Casa Durval Paiva – referência nacional no suporte ao tratamento de crianças e adolescentes, desenvolve desde 2002 a Campanha do Diagnóstico Precoce e, neste ano, lança uma cartilha educativa com o apoio da Secretaria da Educação e da Cultura do RN, difundindo os principais sinais de alerta do câncer. A iniciativa faz parte do projeto Aprendendo mais sobre o câncer infantojuvenil, patrocinado pela Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC.

 

A cartilha teve a primeira tiragem com 53.000 exemplares, que serão distribuídos em escolas dos municípios de Natal, Macaíba, São Gonçalo e Extremoz. Haverá ainda uma capacitação para 450 professores da primeira DIREC, que se tornarão agentes multiplicadores das informações sobre o Diagnóstico Precoce. O manual de orientação à escola, ao professor e ao estudante, também está disponível para qualquer pessoa interessada no tema, no endereço: https://www.casadurvalpaiva.org.br/manual-a-escola

 

Segundo dados da Childhood Cancer International (CCI), a cada ano, mais de 300.000 crianças são diagnosticadas com câncer em todo o mundo. Aproximadamente 8 entre 10 dessas crianças vivem em países de baixa e média renda, onde a taxa de sobrevivência é de quase 20%. Isso contrasta com os países de alta renda, onde as taxas de cura excedem 80% para muitos cânceres infantis. O objetivo da iniciativa global é eliminar toda a dor e sofrimento das crianças que lutam contra o câncer e alcançar pelo menos 60% de sobrevivência para todas as crianças diagnosticadas em todo o mundo até 2030. Isto representa uma duplicação aproximada da taxa de cura atual, que poderá salvar mais de um milhão de vidas durante a próxima década.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer – INCA, assim como nos países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte (8% do total) por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. A estimativa é de 12.500 novos casos/ano (2018 - INCA).

 

Frente a essa perspectiva, no Dia Internacional de Luta Contra o Câncer as organizações formam coro para tornar o câncer infantil uma prioridade nacional e global de saúde, como ressalta  Rilder Campos, presidente da Casa Durval Paiva. “Esse é um dia importante onde conclamamos as autoridades, os profissionais liberais, empresários e a sociedade em geral a somarem conosco na garantia do direito ao diagnóstico precoce, ao tratamento adequado e de qualidade, bem como, o direito ao acolhimento, serviços e oportunidades de sobrevivência, com qualidade de vida, dignidade e cidadania. Se cada um fizer a sua parte, haverá reais chances de cura para as crianças e adolescentes com câncer. ” afirma.

 

Quem quiser abraçar a causa e colaborar na divulgação da Campanha do Diagnóstico Precoce pode entrar em contato com a Casa Durval Paiva através do telefone (84) 4006-1600.


 

Sobre o câncer infantojuvenil

O câncer infantojuvenil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. Diferentemente do câncer do adulto, o câncer infantojuvenil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Por serem predominantemente de natureza embrionária, tumores na criança e no adolescente são constituídos de células indiferenciadas, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais.

 

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático).

 

Os pais devem estar alertas ao fato de que a criança não inventa sintomas. Ao sinal de alguma anormalidade, devem levar seus filhos ao pediatra para avaliação. Na maioria das vezes, os sintomas estão relacionados a doenças comuns na infância, mas isto não deve ser motivo para descartar a visita ao médico. Fonte: INCA


 

Confira os principais sinais de alerta do câncer infantojuvenil:

https://www.casadurvalpaiva.org.br/sinais-e-sintomas

Muitas enfermidades estão relacionadas com a nutrição e alterações realizadas nas dietas dos cavalos, tanto dos animais jovens quanto dos adultos. Algumas delas são mais comuns no dia a dia.

Um exemplo, bem conhecido, é a Síndrome Cólica, assim chamada por ser um conjunto de fatores que ocasionam desconforto abdominal.  É uma das mais frequentes e que nos mostra que houve algum problema com o manejo dos equinos. Seja pela quantidade ofertada e/ou pela qualidade dos alimentos fornecidos. Há uma vasta variedade de cólicas equinas, que podem ser causadas por fornecimento de volumosos de baixa qualidade, erros no fornecimento de água, como também do concentrado.

Outra enfermidade relacionada com a alimentação é a Osteodistrofia Fibrosa, comumente conhecida como “cara inchada”. Esta afecção se caracteriza pela reabsorção do cálcio nos ossos, principalmente da face, devido a um desequilíbrio na relação Ca:P (cálcio e fósforo) no sangue. Os animais apresentam aumento de volume nos ossos da face, pela reposição do Ca retirado por tecido conjuntivo. Alguns fatores podem contribuir para esta situação, como a deficiência de Ca e excesso de P na alimentação, ingestão de oxalato que torna o Ca indisponível, e deficiência de vitamina D.

Nos potros podemos falar das Doenças Ortopédicas do Desenvolvimento (DOD’s) muito relacionadas com a nutrição ofertada neste período. As DOD’s de origem nutricional, geralmente, são ocasionadas pelo excesso de energia na dieta desses potros, onde podemos ter um crescimento muito rápido, levando a uma sobrecarga nas placas de crescimento.

Estas enfermidades deixam claro a importância de uma alimentação balanceada para os equinos, onde fornecemos o que é realmente necessário para cada categoria, para sua melhor expressão genética e de desempenho. Como também a realização de um correto manejo, com cuidados no fornecimento de água, volumoso, concentrado e sal mineral (quantidades, frequência e qualidade).

A Guabi apresenta em seu portfólio uma linha completa de rações para equinos desde os primeiros dias de vida até sua fase adulta.

 

Por Luzilene Souza – Veterinária e supervisora técnica de equinos da Guabi Nutrição e Saúde Animal



Twitter