NATAL PRESS

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio da  Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (Progesp), em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão (Proex), promove, entre os dias 25 de fevereiro e 1º de março, a campanha de combate ao Aedes aegypti na instituição. A iniciativa tem como objetivo convidar a comunidade universitária a participar da mobilização nacional pelo combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, com a adoção de todas as posturas possíveis para prevenir focos e eliminar potenciais criadouros.

Agentes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) estarão no campus de Natal, durante a semana de campanha, para sensibilizar servidores e alunos em visitas às unidades e na blitz que acontecerá dia 27 de fevereiro. No mesmo período, a equipe da SMS realizará inspeção e diagnóstico de focos ou criadouros do mosquito, cujo trabalho servirá de base para o plano de intervenção a partir de março, quando haverá capacitação da equipe de limpeza por meio da Escola de Saúde (ESUFRN).

Também estão previstos para março um mutirão de limpeza e uma caminhada de mobilização, promovida pelo Programa de Qualidade de Vida no Trabalho (PQVT). A campanha de combate ao Aedes aegypti é uma iniciativa conjunta da Diretoria de Atenção à Saúde do Servidor (DAS), Proex, PQVT, ESUFRN e SMS.

Nesta sexta, 15 de fevereiro, é lembrado em todo o mundo o Dia Internacional de Luta Contra o Câncer na Infância. A Organização Mundial da Saúde, a Sociedade Internacional de Oncologia Pediátrica (SIOP) e mais centenas de organizações em 88 países estão comprometidas e empenhadas para atingir a meta global de reduzir a mortalidade infantil causada pelo câncer.

 

No Rio Grande do Norte, a Casa Durval Paiva – referência nacional no suporte ao tratamento de crianças e adolescentes, desenvolve desde 2002 a Campanha do Diagnóstico Precoce e, neste ano, lança uma cartilha educativa com o apoio da Secretaria da Educação e da Cultura do RN, difundindo os principais sinais de alerta do câncer. A iniciativa faz parte do projeto Aprendendo mais sobre o câncer infantojuvenil, patrocinado pela Confederação Nacional de Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC.

 

A cartilha teve a primeira tiragem com 53.000 exemplares, que serão distribuídos em escolas dos municípios de Natal, Macaíba, São Gonçalo e Extremoz. Haverá ainda uma capacitação para 450 professores da primeira DIREC, que se tornarão agentes multiplicadores das informações sobre o Diagnóstico Precoce. O manual de orientação à escola, ao professor e ao estudante, também está disponível para qualquer pessoa interessada no tema, no endereço: https://www.casadurvalpaiva.org.br/manual-a-escola

 

Segundo dados da Childhood Cancer International (CCI), a cada ano, mais de 300.000 crianças são diagnosticadas com câncer em todo o mundo. Aproximadamente 8 entre 10 dessas crianças vivem em países de baixa e média renda, onde a taxa de sobrevivência é de quase 20%. Isso contrasta com os países de alta renda, onde as taxas de cura excedem 80% para muitos cânceres infantis. O objetivo da iniciativa global é eliminar toda a dor e sofrimento das crianças que lutam contra o câncer e alcançar pelo menos 60% de sobrevivência para todas as crianças diagnosticadas em todo o mundo até 2030. Isto representa uma duplicação aproximada da taxa de cura atual, que poderá salvar mais de um milhão de vidas durante a próxima década.

 

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer – INCA, assim como nos países desenvolvidos, no Brasil, o câncer já representa a primeira causa de morte (8% do total) por doença entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. A estimativa é de 12.500 novos casos/ano (2018 - INCA).

 

Frente a essa perspectiva, no Dia Internacional de Luta Contra o Câncer as organizações formam coro para tornar o câncer infantil uma prioridade nacional e global de saúde, como ressalta  Rilder Campos, presidente da Casa Durval Paiva. “Esse é um dia importante onde conclamamos as autoridades, os profissionais liberais, empresários e a sociedade em geral a somarem conosco na garantia do direito ao diagnóstico precoce, ao tratamento adequado e de qualidade, bem como, o direito ao acolhimento, serviços e oportunidades de sobrevivência, com qualidade de vida, dignidade e cidadania. Se cada um fizer a sua parte, haverá reais chances de cura para as crianças e adolescentes com câncer. ” afirma.

 

Quem quiser abraçar a causa e colaborar na divulgação da Campanha do Diagnóstico Precoce pode entrar em contato com a Casa Durval Paiva através do telefone (84) 4006-1600.


 

Sobre o câncer infantojuvenil

O câncer infantojuvenil corresponde a um grupo de várias doenças que têm em comum a proliferação descontrolada de células anormais e que pode ocorrer em qualquer local do organismo. Diferentemente do câncer do adulto, o câncer infantojuvenil geralmente afeta as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Por serem predominantemente de natureza embrionária, tumores na criança e no adolescente são constituídos de células indiferenciadas, o que, geralmente, proporciona melhor resposta aos tratamentos atuais.

 

Os tumores mais frequentes na infância e na adolescência são as leucemias (que afetam os glóbulos brancos), os que atingem o sistema nervoso central e os linfomas (sistema linfático).

 

Os pais devem estar alertas ao fato de que a criança não inventa sintomas. Ao sinal de alguma anormalidade, devem levar seus filhos ao pediatra para avaliação. Na maioria das vezes, os sintomas estão relacionados a doenças comuns na infância, mas isto não deve ser motivo para descartar a visita ao médico. Fonte: INCA


 

Confira os principais sinais de alerta do câncer infantojuvenil:

https://www.casadurvalpaiva.org.br/sinais-e-sintomas

Muitas enfermidades estão relacionadas com a nutrição e alterações realizadas nas dietas dos cavalos, tanto dos animais jovens quanto dos adultos. Algumas delas são mais comuns no dia a dia.

Um exemplo, bem conhecido, é a Síndrome Cólica, assim chamada por ser um conjunto de fatores que ocasionam desconforto abdominal.  É uma das mais frequentes e que nos mostra que houve algum problema com o manejo dos equinos. Seja pela quantidade ofertada e/ou pela qualidade dos alimentos fornecidos. Há uma vasta variedade de cólicas equinas, que podem ser causadas por fornecimento de volumosos de baixa qualidade, erros no fornecimento de água, como também do concentrado.

Outra enfermidade relacionada com a alimentação é a Osteodistrofia Fibrosa, comumente conhecida como “cara inchada”. Esta afecção se caracteriza pela reabsorção do cálcio nos ossos, principalmente da face, devido a um desequilíbrio na relação Ca:P (cálcio e fósforo) no sangue. Os animais apresentam aumento de volume nos ossos da face, pela reposição do Ca retirado por tecido conjuntivo. Alguns fatores podem contribuir para esta situação, como a deficiência de Ca e excesso de P na alimentação, ingestão de oxalato que torna o Ca indisponível, e deficiência de vitamina D.

Nos potros podemos falar das Doenças Ortopédicas do Desenvolvimento (DOD’s) muito relacionadas com a nutrição ofertada neste período. As DOD’s de origem nutricional, geralmente, são ocasionadas pelo excesso de energia na dieta desses potros, onde podemos ter um crescimento muito rápido, levando a uma sobrecarga nas placas de crescimento.

Estas enfermidades deixam claro a importância de uma alimentação balanceada para os equinos, onde fornecemos o que é realmente necessário para cada categoria, para sua melhor expressão genética e de desempenho. Como também a realização de um correto manejo, com cuidados no fornecimento de água, volumoso, concentrado e sal mineral (quantidades, frequência e qualidade).

A Guabi apresenta em seu portfólio uma linha completa de rações para equinos desde os primeiros dias de vida até sua fase adulta.

 

Por Luzilene Souza – Veterinária e supervisora técnica de equinos da Guabi Nutrição e Saúde Animal

 

Dia mundial do câncer

Nesta segunda, 04 de fevereiro, é o Dia Mundial contra o Câncer. A Casa Durval Paiva apoia a iniciativa realizando durante todo o ano a Campanha do Diagnóstico Precoce, visando chamar a atenção da sociedade potiguar através de palestras, entrevistas, panfletos, busdoor, outdoor, painéis de mensagens variáveis, spots, vts, mobiliário urbano, mídias sociais, dentre outros. Saiba mais sobre os principais sinais do câncer infantojuvenil. https://bit.ly/2BeU5ke


 

Semana Solidária

Muitos corações estarão juntos em mais uma corrente do bem na Semana Solidária Nordestão, que acontece de 04 a 09/02 na loja da Av. Prudente de Morais, em Natal. No stand da Casa Durval Paiva, clientes e colaboradores poderão conhecer mais sobre o trabalho da instituição, bem como, ajudar no suporte às famílias assistidas.


 

Projeto Vida

A Casa Durval Paiva promove, neste mês, visitas sociais aos pacientes assistidos das cidades de Parnamirim, Almino Afonso, João Dias, Pau dos Ferros, Dr. Severiano, Severiano Melo, Umarizal, Patu, Luís Gomes, São Miguel, Marcelino Vieira, Frutuoso Gomes, Riacho da Cruz, Riacho de Santana, Tenente Ananias, São Gonçalo, Ceará-mirim e Extremoz, levando na bagagem muitas doações patrocinadas pelo Instituto Ronald Mcdonald.


 

Passeio e terapia

Em ritmo de férias escolares, as crianças e adolescentes da Casa Durval Paiva participaram recentemente de um passeio terapia especial. Eles tiveram uma aula de Robótica educacional na escola Roboeduc – de programação e robótica. Na ocasião, trabalharam temas como: coordenação motora, matemática, física, colaboração e socialização. A iniciativa faz parte do Projeto Viver Feliz, com o apoio do COMDICA/FIA.


 

Cesta para todos

A última terça de cada mês é sempre marcada pela Reunião da Cesta Básica, para os pacientes de Natal, promovida pelo Serviço Social da Casa Durval Paiva. Um encontro socioeducativo para os familiares dos pacientes da instituição. Além de receber os gêneros alimentícios, os acompanhantes puderam interagir na última edição com a direção, superintendência e o setor pedagógico da Casa.

 

  

Prestar atendimento pré-hospitalar de qualidade às vítimas em situação de urgência na cidade do Natal, buscando restabelecer o seu bem-estar físico com a maior brevidade possível é a característica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de Natal (SAMU Natal).  Em 2018, o Serviço atendeu a um total de 54.694 ocorrências. 

O objetivo do SAMU é chegar precocemente à vítima após ter ocorrido um agravo à sua saúde de natureza clínica, cirúrgica, traumática, obstétrica, pediátrica, psiquiátrica, entre outras, que possa levar ao sofrimento, à sequelas ou mesmo à morte, mediante o envio de veículos tripulados por equipe capacitada, acessado pelo número 192 e acionado por uma Central de Regulação das Urgências. 

De acordo com o coordenador, Cláudio Macedo, atualmente o SAMU atende a uma população de aproximadamente 1.300.000 habitantes, considerando a população flutuante, que circula na cidade do Natal diariamente, esse número sofre acréscimo ainda nos períodos de alta estação. “Para atendermos a essa demanda, contamos com nove Unidades de Suporte Básico (USBs), três Unidades de Suporte Avançado (USAs), uma equipe de motolância e um Central de Regulação Médica - CRU e o Serviço de Transporte Sanitário de Natal”. 

“Conseguimos muitos avanços ao longo do ano de 2018, na estrutura, em equipamentos e de recursos humanos, entre eles, a aquisição de novas viaturas; aquisições de alguns equipamentos; implantação do transporte sanitário melhorando as transferências inter-hospitalares; reforma da sala de repouso; revitalização da área externa; reparos manutenção das instalações, incluindo o estacionamento do SAMU; acolhimento de novos servidores, e outros”, destacou Cláudio Macedo. 

 

Por Cinthia Moreno*

 

O câncer e seu tratamento, muitas vezes agressivo, podem comprometer a integridade física do paciente e alterar algumas funções. Em algumas situações a criança e o adolescente podem ficar muito comprometidos, debilitados e até perder algumas funções, como por exemplo, deixar de andar, seja por um procedimento cirúrgico, restrição ao leito ou fraqueza muscular.

A relação entre saúde, deficiência (na estrutura corporal ou em alguma função) e limitação para realizar alguma atividade é algo muito complexo e o fisioterapeuta precisa ter conhecimento e sensibilidade para se comunicar de forma adequada com o paciente e sua família.

Em alguns casos, a limitação apresentada pelo paciente é temporária. A melhora é gradativa e ao final do tratamento clínico ele tem a reabilitação de suas funções. Em outros casos, o paciente ficará com sequelas. Um exemplo é a perda de movimento no joelho em decorrência de tratamento cirúrgico para tumor ósseo. Nas duas situações é comum surgirem dúvidas e anseios sobre quando o filho volta a andar, se vai poder brincar, se tem risco de queda e fratura, se vai poder participar de todas as atividades na escola, entre outras.

O fisioterapeuta deve ter cautela e se comunicar de forma clara e objetiva para que todas as orientações sejam compreendidas. Dizer que a criança logo vai andar pode gerar ansiedade, enquanto afirmar que nunca poderá ficar em pé sozinha pode proporcionar frustração, medo e outros sentimentos e comportamentos que podem prejudicar todo o processo de reabilitação.

Na Casa Durval Paiva, todos que fazem parte da equipe multidisciplinar, utilizam de muita sensibilidade na hora de conversar com a família sobre as limitações do paciente, sejam elas provisórias ou permanentes. O cuidado da família é fundamental, mas não pode ser maior que o estímulo à independência para realizar atividades que realmente podem ser executadas com segurança. Quando existe alguma demanda que não é resolvida no setor de fisioterapia, o paciente é encaminhado para o setor de psicologia, para que seja auxiliado nas estratégias de enfrentamento e aceitação de suas condições atuais.

Diante das consequências do câncer, é fundamental que o paciente seja acolhido, respeitado e estimulado a refletir sobre os momentos de ter cuidado, de enfrentar dificuldades e de experimentar coisas novas, como andar com auxílio de muletas, por exemplo. É importante que os fatores negativos sejam trabalhados, mas chamando sempre a atenção para os fatores positivos, valorizando o lado bom das coisas e celebrando a vida!

 

*Fisioterapeuta – Casa Durval Paiva

CREFITO 83476-F

 

 

Durante o ano de 2018, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) aplicou mais de 450 mil doses de vacinas. Os dados foram divulgados pelo Setor de Vigilância Epidemiológica da SMS.  

Das vacinas que fazem parte do Calendário Nacional, foram 462.151 imunizações, sendo Hepatite B a mais buscada, com 50.824 aplicações, seguida por: dT, com 41.126; meningo C, com 28.346; pentavalente, com 25.976; e SCR, com 25.921.  

Ainda foram registradas aplicações de BCG (13.203), febre amarela (15.998), Hepatite A (8.138), HPV (12.437), DTP, (13.959), pneumo 10 (24.887), pneumo 23 (567), VRH (15.684) e varicela (13.257). 

Esses números se juntam aos dados da Campanha Nacional Contra Influenza, que em Natal vacinou 171.828 pessoas, elevando o total de doses aplicadas na capital potiguar em 2018 para 462.151, um aumento significante se comparado com 2017, quando foram feitas 336.289 imunizações.  

Para conseguir alcançar um maior número de pessoas, a SMS desenvolveu ações durante todo o ano, como a parceria com a Clínica do Shopping, que passou a disponibilizar vacinação aos sábados para toda a população.  

O Calendário Nacional de Vacinação contempla não só as crianças, mas também adolescentes, adultos, idosos, gestantes e povos indígenas. Ao todo, são disponibilizadas 19 vacinas para mais de 20 doenças, cuja proteção inicia ainda nos recém-nascidos, podendo se estender por toda a vida.

O reitor em exercício da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), José Daniel Diniz Melo, se reuniu na tarde desta segunda-feira, 14, com representantes da Secretaria de Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte (SESAP - RN), dirigentes dos hospitais universitários e do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da instituição de ensino, com o objetivo de discutir projetos na área de gestão da saúde.

Um dos encaminhamentos da reunião foi o ajustamento dos trabalhos necessários para uma cogestão do Laboratório Central de Anatomia Patológica e Citopatologia. Além disso, a coordenação em conjunto será estendida aos laboratórios do Instituto de Medicina Tropical (IMT) e do Departamento de Infectologia da universidade, o qual atua no Hospital Giselda Trigueiro.

Segundo Daniel Diniz, a instituição de ensino atua como interlocutora essencial no diagnóstico dos problemas da sociedade e de suas possíveis soluções, dessa forma, os problemas e obstáculos devem ser combatidos com diálogo e cooperação. Já na opinião do secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, a parceria deve agir em diferentes dimensões. “A parceria deverá agir não apenas na divisão do espaço físico, mas também na assistência à população e na formação dos futuros profissionais da saúde.”

Após o dimensionamento da atual base de atuação da UFRN e da SESAP – RN, foram ajustados os possíveis caminhos de parcerias entre as duas entidades. Diante do prognóstico, será formado um grupo de trabalho específico para a elaboração das diretrizes necessárias para as atividades em conjunto.

divulgação
 
A Unidade de Saúde da Família de Ponta Negra retomou, nesta segunda-feira(14), o atendimento à população na sede da unidade com a estrutura física totalmente reformada. A unidade passou por uma restauração de toda a estrutura física e ampliação de alguns setores, como forma de melhorar a ambiência e proporcionar maior conforto aos usuários e servidores. 

Ao todo, foram realizados serviços de pintura interna e externa, de salas, consultórios e banheiros; recuperação de fachada, paredes, calçamento; piso e de luminárias; troca de portas, janelas; revisão elétrica e hidrossanitária 

A ambiência está climatizada, com acessibilidade dentro dos padrões da NBR/9050, e as normas da Vigilância Sanitária. A obra da reforma e ampliação foi orçada no valor de R$ 267,298.21, oriundo de recursos da Prefeitura do Natal e do Programa Requalifica Atenção Básica do Ministério da Saúde.  

A USF de Ponta Negra conta agora com quatro consultórios médicos; três salas de enfermagem; uma sala de odontologia com dois gabinetes odontológicos; uma sala de urgência da Atenção Básica (pequenas urgências); um consultório de psicologia; uma de ginecologia; uma farmácia; uma sala de expurgo; uma sala de regulação; um arquivo; uma sala de preparo; uma lavanderia; uma sala de curativo e retirada de pontos; uma sala de vacinação; um salão de convivência; uma sala dos agentes de saúde; uma copa; dois almoxarifados; sala de direção e administração; e, cinco banheiros.  

Durante o período em que a unidade de saúde estava passando por reforma, entre os meses de junho a dezembro de 2018, os serviços continuaram em outros locais da região, devidos as parcerias do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), Escola Municipal Jerônimo Albuquerque e espaço ofertado pela população. Ou seja, a população de Ponta Negra não ficou desassistida. Foi realizado atendimento com consultas médicas com regulação e de psicologia, vacinação, visitas domiciliares, entrega de medicamentos de tuberculose e de insulina, atividades educativas e ações do Projetos Saúde na Praia e Vila em Movimento. 

Atualmente, a Unidade de Ponta Negra oferta serviços de atendimento médico, visita domiciliar da estratégia da Saúde da Família; Crescimento e Desenvolvimento (CD) coletivo; planejamento familiar; vacinação; nebulização; curativo e retirada de pontos; distribuição de sulfato ferroso para gestante; aplicação da vitamina A; teste rápidos de HIV/Sífilis/Hepatite; preventivos; sorologia de gestantes; distribuição de preservativos; e prática integrativas. Além disso, a unidade conta com o suporte de uma equipe do Consultório na Rua - apoio a população em situação de rua aos serviços de saúde. Dispõe dos Projetos “Saúde na Praia” e “Vila em Movimento” e realiza atividades educativas periodicamente.    

O morador José Gabriel de Sousa relatou estar satisfeito com os serviços ofertados. “Nasci aqui em Ponta Negra e estou sempre na unidade de saúde. Sempre que preciso de atendimento em saúde, venho aqui e sou bem atendido. Agora está ótimo porque melhorou a estrutura e isso traz mais conforto e melhora nosso atendimento”. 

“Sou moradora de Ponta Negra há dez anos. Sempre que preciso sou muito bem atendida. Agora o atendimento está excelente, melhorou a unidade de saúde e o atendimento está mais organizado”, declarou Maria Alice da Silva Morais. 

A Unidade de Saúde da Família (USF) de Bom Pastor realizou nesta sexta-feira (28), palestra sobre orientação nutricional para o grupo de idosos e hipertensos e diabéticos, supervisionada pela enfermeira, Luzineide Ferraz.

Da acordo com o diretor da USF de Bom Pastor, Agilson Nascimento o grupo operacional da unidade tem por objetivo estimular o desenvolvimento de ações coletivas para a melhoria da qualidade de vida e o conhecimento no cuidado à saúde.

O grupo se reúne semanalmente para atividades de promoção à saúde, participando de palestras, passeios, eventos, atividades físicas e encaminhamentos aos serviços de saúde, sempres que necessário, acompanhado por uma equipe multiprofissional.

As atividades do grupo do ano de 2018 se encerraram com apresentação de alimentos saudáveis com degustação.  o grupo retoma as atividades em fevereiro de 2019.



Twitter