NATAL PRESS

divulgação

O diagnóstico de câncer impõe forte impacto na vida de crianças e adolescentes. O que faz com que eles mereçam atenção não só às necessidades físicas, mas principalmente psicológicas e sociais. Mudanças de hábitos, imposição de restrições, isolamento de parentes e amigos, além do medo e preocupação com o tratamento, faz com que a adaptação à nova rotina cause demasiada insegurança e inquietação, o que exige do profissional de educação hospitalar, acolher e acompanhar esse aluno, ofertando uma prática de ensino flexível e também adaptada para atender a demanda apresentada por eles.

Em se tratando do adoecer, o medo, às incertezas são ainda mais evidentes com as mudanças ocasionadas pelo diagnóstico de câncer e tratamento ao qual eles são submetidos. E restabelecer uma rotina de estudos é algo que causa resistência e inúmeros questionamentos por parte deles.

A Constituição Federal (88) nos diz que “a educação é um direito de todos e dever do Estado e da família”, e dar continuidade ao processo de escolarização ao aluno hospitalizado é um direito garantido pela Lei 13.716/18 que “altera a Lei nº 9.394/96, para assegurar atendimento educacional ao aluno da educação básica internado para tratamento de saúde, em regime hospitalar ou domiciliar por tempo prolongado”. Para garantia desse direito, foram criadas as classes hospitalar e domiciliar que funcionam dentro do hospital e na Casa de Apoio, respectivamente.

A Casa Durval Paiva é contemplada com as duas modalidades de classe, oferecendo um serviço escolar de acompanhamento individualizado às crianças e adolescentes afastados da escola em função do tratamento médico, com professoras vinculadas a rede estadual de ensino em parceria com a Secretaria Estadual de Educação do RN. Através delas, possibilita o acompanhamento escolar dos pacientes, com a importante participação da escola regular, quando envia material (conteúdos e avaliações) visando estabelecer uma rotina de estudos, determinante para manter o processo de aprendizagem e o desenvolvimento dos alunos, estimulando-os a não desistir.

Diante do serviço educacional desenvolvido, é possível promover uma transformação significativa na vida de todos os sujeitos assistidos, pois observa-se em cada aluno, um cidadão que tem direitos e deveres a serem assegurados. Nesse sentido, dar continuidade ao processo educacional das crianças e, principalmente, dos adolescentes, favorece a inclusão deles através da retomada de uma rotina em que possam se desenvolver cognitivamente e socialmente.

 

*Sandra Fernandes da Costa

Coordenadora Pedagógica

Casa Durval Paiva

A Secretaria Municipal de Saúde divulga o balanço da Campanha de Vacinação contra o Sarampo que aconteceu de 7 a 25 de outubro para as crianças com idade entre seis meses e quatro anos e 29 dias; e 18 e 30 de novembro para adultos de 20 a 29 anos, encerrado a campanha.

De acordo com informações do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI) durante a imunização dos menores de cinco anos, Natal ultrapassou a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (MS) de 95%, atingindo 121% de cobertura vacinal. Já a faixa etária de 20 a 29 anos, O MS não estabeleceu meta, apenas atualização do cartão vacinal.

Apesar do encerramento da campanha, a SMS disponibiliza a vacinação nas unidades básicas dentro do calendário vacinal durante o ano todo, no horário das 8h às 16h.

Segundo a chefe do Núcleo de Agravos Imunopreveníveis (NAI) Vaneska Gadelha, os números são considerados excelentes. Ela lembra ainda que os pais devem manter atualizados os cartões de vacina.

O Diário oficial do Município publicou nesta quinta-feira (28), a convocação para nomeação de 11 os candidatos aprovados no Concurso Público de Provas e Títulos da Secretaria Municipal de Saúde - SMS, sendo três Técnicos de Enfermagem, um Técnico de Patologia Clínica quatro Enfermeiros, dois Assistentes Sociais e um Médico Psiquiatra, conforme estabelecido no Edital nº 001/2018 – SEMAD – SMS, de 26 de fevereiro de 2018 e retificações, devidamente homologado, como cargos de provimento efetivo da Secretaria Municipal de Saúde – SMS.

 Os convocados devem comparecer no Auditório da Secretaria Municipal de Saúde, localizada a Rua Fabrício Pedroza, 915, Areia Preta, Natal/RN, das 8h às 13h, de segunda à quinta-feira, a fim de receberem instruções sobre a documentação necessária para a posse. Sob pena de não assim o fazendo perderem o direito a exercício do cargo. 

 Os aprovados precisarão apresentar os seguintes exames: hemograma - tipo sanguíneo; glicemia – VDRL – EAS – EPF – TSH - colesterol – triglicerídeos; eletrocardiograma (laudo e parecer do cardiologista); eletroencefalograma (laudo/parecer do neurologista); laudo de sanidade mental com parecer do psiquiatra; audiometria com parecer do otorrinolaringologista; e Raio X do tórax com parecer do radiologista. 

 Os candidatos após se apresentarem na Secretaria Municipal de Saúde e na Junta Médica do Município, localizada na NatalPrev, Avenida Marechal Floriano Peixoto, 336, Petrópolis – Edifício Prefeito Agnelo Alves, CEP: 59020-035, deverão comparecer ao Setor de Posse da Secretaria Municipal de Administração, Rua Santo Antônio, 665, Centro, das 8h às 13h, de segunda-feira a sexta-feira. Se a Posse não se der dentro do prazo previsto na legislação, o ato de provimento será declarado sem efeito.

Foto: Chico Norberto

Paulo Carvalho e Andrezza Hallax receberam das mãos do Reitor, Prof. Gedson Nunes, troféu de 1º lugar

 

Motivados pela campanha Outubro Rosa, estudantes de Enfermagem de Mossoró desenvolveram uma prótese mamária externa mais viável e de baixo custo, voltada para mulheres que precisam passar pela mastectomia após o tratamento do câncer de mama.

O projeto é liderado por Pablo Carvalho e Andrezza Hallax, que cursam a 10ª série de Enfermagem na UnP, integrante da rede Laureate. E a prótese mamária externa tem como materiais principais, o poliéster e a resina de caju.

“O poliéster é um material amplamente acessível. Ele é impermeável, tem durabilidade, e passou por vários testes nos laboratórios da UnP. Um outro benefício dele é a possibilidade de ser reutilizado e reciclado, tendo ainda uma preocupação com o meio ambiente. E a resina de caju, fruto facilmente encontrado na nossa região, auxilia na moldagem da prótese”, explica Pablo.

Segundo o Coordenador do Curso, Prof. Wanderley Fernandes, o projeto foi criado ainda em 2017, dentro do Prointer Inovação, evento realizado entre os alunos da 3ª a 8ª série de Enfermagem. “Foi então, que um grupo de alunos apresentou essa proposta da prótese mamária externa, feita com um material acessível e de baixo custo. Desde então, o trabalho vem sendo aperfeiçoado”, afirma.

MASTECTOMIA
De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, o Inca, a cada 40 minutos é feita uma cirurgia de mastectomia no Brasil. E dependendo do caráter invasivo do procedimento, pode acarretar em inúmeros problemas psicossociais nas mulheres que perdem a mama, como depressão, perda da feminilidade, entre outros. E foi nesta perspectiva que os alunos desenvolveram a prótese.

“Ela foi criada pra trazer conforto, durabilidade, acesso e baixo custo. Nós a projetamos enquanto solução diante de tanta negligência que essas mulheres vem sofrendo, pois as próteses internas, convencionais são muito caras, e não são acessíveis a todas”, disse a aluna Andrezza Hallax.

O projeto foi apresentado no dia 18 de novembro no II Ginga Tank UnP, e foi o grande campeão. O evento, realizado pelo Centro de Excelência em Empreendedorismo (Empreende) da UnP, reuniu iniciativas de empreendedorismo social que se propõem a transformar (ou já estão transformando) as comunidades onde vivem.

Faltam poucos dias para o I Workshop de Inovação em Saúde de Parnamirim (Workinovas), que será realizado nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro na Vila Feliz, no distrito de Pium (Parnamirim/RN). O evento vai reunir profissionais e estudantes que fomentam inovação, saúde, ciência e tecnologia, tudo de forma integrada, e num lugar inspirador. 


As palestras, mesas redondas, conferências, minicursos e oficinas trarão temáticas como fitoterapia e prescrições fitoterápicas, acupuntura, hipnose, farmácia viva, inovação, empreendedorismo, saúde pública, direito ambiental e biopirataria, ensino e pesquisa em saúde. Além da programação no auditório, que necessita de inscrição prévia, atividades gratuitas e de utilidade pública serão realizadas no complexo e estarão abertas ao público. 

“O workshop é uma oportunidade para toda a comunidade que deseja conhecer mais sobre os temas. Estamos promovendo a interação de inúmeros atores sociais das áreas de saúde, ciência e tecnologia num só evento, dando também subsídio aos que enfrentam o desafio que é inovar e empreender”, afirmou a idealizadora do projeto, Maria Nascimento, que também é graduada em Química, mestre em Ciências Farmacêuticas e especialista em Farmacognosia.
 
Voltado para empreendedores, estudantes e profissionais das áreas de saúde e tecnologia, o Workinovas é uma experiência de imersão no cenário futuro de um sistema de saúde aliado a novos conhecimentos tecnológicos. As inscrições podem ser realizadas pela plataforma Outgo, com valores diferenciados para estudantes.

O evento tem o apoio da Prefeitura de Parnamirim, da Secretaria de Municipal de Saúde de Parnamirim e da InPACTA – Incubadora de Empresas da Escola de Ciência e Tecnologia da UFRN. A programação completa está disponível no site www.workinovas.com.br.
 
Vila Feliz

A arquitetura do lugar, localizado a 15 Km de Natal, remete aos séculos XVII e XVIII. É um complexo de casas circundadas por museu, capela, chafariz, pátio central e árvores, a maioria frutíferas, e exemplares de pavões que atraem a atenção dos visitantes. O posicionamento das construções obedece ao das praças das armas de Portugal e Espanha, um grande retângulo com casas voltadas para o centro. O projeto é inspirado nos aldeamentos missionários jesuítas, capuchinhos e carmelitas encontrados no interior do Rio Grande do Norte. 

Serviço:
I Workshop de Inovação em Saúde
Local: Vila Feliz  (Av. Joaquim Patrício, 594 – Pium - Parnamirim/RN)
Data: 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro de 2019
Incrição: Valores promocionais na aquisição até 25/11 pelo https://outgo.com.br/i-workshop-de-inovacao-em-saude-de-parnamirim
 

Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (DNCCI) é comemorado neste sábado (23). No Brasil, 35 novos casos de câncer são diagnosticados por dia, entre crianças e adolescentes de 01 a 19 anos. Diante dessa realidade, a Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC, juntamente com as 50 instituições e casas de apoio filiadas espalhadas pelo país promovem, amanhã, ações de alerta e conscientização ao diagnóstico precoce.

O Dia de Combate ao Câncer Infantojuvenil entrou no calendário nacional por meio da Lei de Nº 11.650, de 4 de abril de 2008 e continua a atuar, intensamente, na orientação e divulgação de informações em torno da doença que atinge milhares de jovens anualmente. Entre os principais objetivos da data estão o estímulo de ações educativas e preventivas relacionadas ao câncer infantojuvenil; promoção de debates e eventos sobre políticas públicas de atenção integral às crianças e adolescentes com o câncer; apoio as atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil em prol dos pacientes; divulgação sobre avanços técnico-científicos relacionados à doença e principalmente apoio às crianças, adolescentes e seus familiares.

Para o presidente da CONIACC, Rilder Campos, o DNCCI chega para sintetizar todo o processo de trabalho e dedicação que acontece ao longo do ano. “Celebramos a data colocando em vista a divulgação dos sinais e sintomas da doença para que a sociedade desenvolva uma cultura de entendimento de que o câncer infantojuvenil existe e que pode ser curado se o diagnóstico for feito precocemente. Todas as instituições e casas de apoio estarão mobilizadas em divulgar e promover mais um grande Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil”, explica.

Sobre o câncer infantojuvenil

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), haverá mais de 12.500 novos casos de câncer infantojuvenil em 2019 e, com o diagnóstico precoce, em torno de 80% desses pacientes poderão ser tratados adequadamente com a doença ainda no início. Apesar dos dados, segundo a Sociedade Brasileira de Oncologia Pediátrica – SOBOPE, a taxa de cura ainda deixa a desejar mediante a descoberta tardia, sendo o câncer infantojuvenil a segunda causa de morte em crianças menores de 15 anos, perdendo apenas para fatores externos.

A CONIACC, por meio das afiliadas no país, faz o alerta durante todo o ano sobre um dos principais fatores que pode transformar essa realidade e reduzir esse número que é o diagnóstico precoce. Os adultos devem atentar para o possível aparecimento de qualquer um dos sinais ou sintomas em crianças e adolescentes. O diagnóstico precoce em conjunto com o tratamento adequado é fundamental e pode salvar milhares de vidas.

Confira alguns sinais e sintomas: palidez progressiva; sangramentos ou manchas roxas sem relação com traumas; febre prolongada sem causa definida; vômitos e dores de cabeça persistentes, principalmente pela manhã; alteração da marcha ou da visão ou diminuição da força em pernas ou braços; caroços em qualquer lugar do corpo; ínguas; dores no corpo que não passam e atrapalham as atividades das crianças e brilho branco nos olhos quando a criança sai em fotografia com flash.

 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde Pública, assinou, na tarde desta quarta-feira (29), um Termo de Cooperação com a Polícia Militar que insere o Hospital Central da Polícia Militar Coronel Pedro Germano na rede do Sistema Única de Saúde do Rio Grande do Norte e estabelece parceria para o funcionamento pleno da unidade. A mudança era um compromisso do Governo do RN. Com a parceria, serão ampliados os serviços de assistência médica oferecidos a toda população potiguar. Participaram do ato de assinatura do termo, o governador em exercício, Antenor Roberto, o secretário de saúde estadual, Cipriano Maia, o comandante Geral da PM, Alarico Azevedo Júnior, e o diretor de saúde da PM, coronel Roberto Duarte Galvão.

“É com muita alegria que estamos incorporando o Hospital da Polícia Militar ao Sistema Único de Saúde do estado. É um momento de celebrar o SUS e a melhoria do atendimento não só para a Polícia Militar, mas para toda a população”, disse Antenor.

De acordo com Cipriano Maia, a proposta é que com a incorporação da unidade fortaleça a atenção assistencial de média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar no Rio Grande do Norte. “Ampliaremos a oferta em áreas de atenção cirúrgica nas quais hoje temos dificuldades de atendimento, melhorando a resposta da nossa rede hospitalar e aumentando a integração do serviço com linhas de cuidado como a ortopédica e a vascular, por exemplo”.

O Termo de Cooperação contemplou recursos financeiros no montante de R$ 7,8 milhões anual, de acordo com a Portaria nº 2.182 do Ministério da Saúde, e prevê a prestação de serviços de saúde ambulatorial e hospitalar, como assistência médica especializada, internação em leitos de enfermaria clínica e cirúrgica, UTI adulta e neonatal.

"Essa cooperação vai favorecer bastante o atendimento à população, já que o Hospital da Polícia é uma unidade de ponta, mas que precisa de materiais e recursos humanos, o que vai ser melhorado com essa cooperação. Oferecemos, com isso, uma melhor assistência aos policiais militares e a todos os norte-riograndenses", ressaltou o comandante Geral da PM, Alarico Azevedo.

Para o diretor de saúde da unidade, coronel Roberto Duarte Galvão, “esse é um momento extremamente importante, que vai entrar para a história da assistência à saúde da Polícia Militar do RN, uma vez que firmamos o termo de cooperação com a Sesap, um pleito antigo e muito desejado”.

O hospital possui uma estrutura de 130 leitos, dos quais 20 são de UTI, sete salas cirúrgicas e um parque de diagnóstico com aparelho de endoscopia, densitometria óssea, ultrassonografia e raio-x.

O dia 23 de novembro é referendado como o dia nacional, estadual e, em Natal, como o dia de combate ao câncer infantojuvenil. Visando conscientizar a população sobre a importância do Diagnóstico Precoce para aumentar os índices de cura sem sequelas entre crianças e adolescentes, a Casa Durval Paiva realiza na próxima quarta, 20 de novembro, das 9 às 17h, o XIV Fórum do Diagnóstico Precoce, no auditório do CTGás na Av. Capitão-Mor Gouveia, 2770 - Lagoa Nova. Na ocasião, serão capacitados profissionais da saúde, estudantes e demais interessados na temática do câncer infantojuvenil.

Na programação, serão abordados temas como: Diagnóstico diferencial dos tumores ósseos; Manejo ao paciente de tumores ósseos e reabilitação; Como está estruturada a rede de atenção em oncologia infantojuvenil no RN; Linfomas de Hodgkin e Cuidados paliativos – consciência transformadora: cuidados nutricionais. A inscrições podem ser feitas pela internet no link http://bit.ly/2P7HOWi mediante a doação de uma lata de leite em pó, a ser entregue no dia do evento.

No Brasil, 35 novos casos de câncer são diagnósticos por dia, entre crianças e adolescentes de 1 a 19 anos. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), haverá mais de 12.500 novos casos de câncer infantojuvenil em 2019. No Rio Grande do Norte são estimados 150 novos casos/ano. Com o diagnóstico precoce, em torno de 80% desses pacientes poderão ser tratados adequadamente com a doença ainda em estágio inicial. 

A mobilização em prol da causa acontece em todo o país, com a participação de 50 instituições e casas de apoio filiadas a Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC, que promovem neste mês o alerta e a conscientização ao diagnóstico precoce, estimulando ações educativas e preventivas relacionadas ao câncer infantojuvenil; a promoção de debates e eventos sobre políticas públicas de atenção integral às crianças e adolescentes com o câncer; o apoio as atividades organizadas e desenvolvidas pela sociedade civil em prol dos pacientes; a divulgação sobre os avanços técnico-científicos relacionados à doença e, principalmente, o apoio às crianças, adolescentes e seus familiares.

Os adultos devem atentar para o possível aparecimento de qualquer um dos sinais de alerta em crianças e adolescentes, tais como: palidez progressiva; sangramentos ou manchas roxas sem relação com traumas; febre prolongada sem causa definida; vômitos e dores de cabeça persistentes, principalmente pela manhã; alteração da marcha ou da visão ou diminuição da força em pernas ou braços; caroços em qualquer lugar do corpo; ínguas; dores no corpo que não passam e atrapalham as atividades das crianças, bem como, mancha branca nos olhos da criança, registrada em fotografia com flash.

O surgimento desses sinais não indica que a criança ou adolescente está com câncer, mas que o paciente precisa ser avaliado por um oncologista pediatra.

 

XIV Fórum do diagnóstico precoce

Data: 20/11/2019

Local: Auditório CTGás

 

9:00 - Abertura

9:15 – Palestra: diagnostico diferencial dos tumores ósseos – Dra. Simone Aguiar – Hospital Santa Marcelina/SP

10:30 – Coffee break

10:45 – Manejo ao paciente de tumores ósseos e reabilitação – Fisioterapeuta Cinthia Moreno – Casa Durval Paiva – Natal/RN.

12:00 às 14:00 – intervalo

14:00 - Como está estruturada a rede de atenção em oncologia infantojuvenil – Secretaria Estadual de Saúde.

15:00 - Palestra: Linfomas de Hodgkin – Dra. Simone Aguiar – Hospital Santa Marcelina/SP

16:00 - Cuidados paliativos – consciência transformadora: cuidados nutricionais - Nutricionista Jeanina Cotello - Londrina/PR

17:00 – Encerramento

Imagine reunir gente que fomenta inovação, saúde, ciência e tecnologia, tudo de forma integrada e num lugar inspirador. É isso que o I Workshop de Inovação em Saúde de Parnamirim (Workinovas) vai trazer para os potiguares no final deste mês de novembro. Serão três dias - 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro – de palestras, mesas redondas, conferências, minicursos e oficinas na Vila Feliz, localizada em Pium, distrito de Parnamirim/RN.

O evento é voltado para empreendedores, estudantes e profissionais das áreas de saúde e tecnologia, que terão no Workinovas uma experiência de imersão no cen&aacu te;rio futuro de um sistema de saúde aliado a novos conhecimentos tecnológicos. As inscrições já estão abertas e podem ser realizadas pela plataforma Outgo, com valores diferenciados para estudantes.

 Serão discutidos temas como práticas integrativas, direito ambiental e biopirat aria, fitoterapia e prescrições fitoterápicas, tecnologia de fármacos, acupuntura, hipnose, farmácia viva, inovação, empreendedorismo, saúde pública, clínica médica, ensino e pesquisa em saúde. Também estão previstas apresentações culturais para os três dias de evento. Além da programação no auditório, que necessita de inscrição prévia, atividades gratuitas e de utilidade pública serão realizadas no complexo.

Maria Nascimento, graduada em Química, mestre em Ciências Farmacêuticas e especialista em Farmacognosia, é a idealizadora do projeto. “O workshop é uma oportunidade para toda a comunidade que deseja conhecer mais sobre as temáticas. Estamos promovendo a interação de inúmeros atores socia is das áreas de saúde, ciência e tecnologia num só evento, dando também subsídio aos que enfrentam o desafio que é inovar e empreender”, explica.

O I Workinovas conta com o apoio da Prefeitura de Parnamirim, da Secretaria de Municipal de S aúde de Parnamirim e da InPACTA – Incubadora de Empresas da Escola de Ciência e Tecnologia da UFRN. Encontre a programação completa no site www.workinovas.com.br.
 

Vila Feliz

 A arquitetura do lugar, localizado a 15 Km de Natal, remete aos séculos XVII e XVIII. É um complexo de casas circundadas por museu, capela, chafariz, pátio central e árvores, a maioria frutíferas, e exemplares die pavões que atraem a atenção dos visitantes. O posicionamento das construções obedece ao das praças das armas de Portugal e Espanha, um grande retângulo com casas voltadas para o centro. O projeto é inspirado nos aldeamentos missionários jesuítas, capuchinhos e carmelitas encontrados no interior do Rio Grande do Norte. 

 

Serviço

I Workshop de Inovação em Saúde

Local: Vila Feliz  (Av. Joaquim Patrício, 594 – Pium/Parnamirim/RN)

Data: 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro de 2019

Ingressos: Valores promocionais na aquisição até 20/11 pelo https://outgo.com.br/i-workshop-de-inovacao-em-saude-de-parnamirim

A cada ano, aproximadamente 29 mil crianças nascem com cardiopatias congênitas no Brasil. Ocasionadas por defeitos anatômicos no coração, essas anomalias produzem insuficiências e outras consequências graves para os recém-nascidos. Uma maneira eficiente de detectá-las é por meio do Teste do Coraçãozinho, procedimento indolor que usa um aparelho para medir a quantidade de oxigênio no sangue dos neonatos. 

Na última sexta-feira, 27, o projeto Interiorização do Teste do Coraçãozinho, coordenado pela cardiopediatra Gisele Leite, realizou a primeira capacitação voltada para profissionais de saúde lotados fora da região metropolitana. A atividade aconteceu no Hospital Universitário Ana Bezerra (HUAB), no município de Santa Cruz, e contou com a integração do Hospital Universitário Onofre Lopes (HUOL) e da Maternidade Escola Januário Cicco (MEJC). A ação capacitou 37 participantes e recebeu profissionais de saúde de outros municípios da região.

A cardiopediatra Gisele Leite destacou a organização do HUAB, cujo sistema de monitoramento da triagem neonatal inclui o Teste do Coraçãozinho com bons percentuais. “98% de neonatos são triados, desconsiderados os natimortos e os encaminhados à UTI neonatal. É um modelo digno de exemplo para outras unidades”, enfatizou.

O projeto desenvolvido em Santa Cruz deixou importantes contribuições para os profissionais do Ana Bezerra. “Os profissionais da instituição perceberam e pontuaram revisões e melhorias possíveis aos protocolos de realização do Teste do Coraçãozinho, assumindo compromisso de realizar as adequações necessárias”, explicou Gisele.

Além disso, a equipe do projeto recebeu inúmeras demandas de realização da atividade em outras localidades do interior. “Pretendemos atender a todas as solicitações”, garantiu a coordenadora da iniciativa.



Twitter