O prefeito de Extremoz, Klauss Rêgo, esteve nesta sexta-feira, 31, pela manhã, na sede da Cosern para cobrar providências em prol do município, em companhia do secretário de Infraestrutura, Edward Smith. O prefeito foi recebido por Cinthia Anne Rocha, gestora de atendimento ao Poder Público e por Sônia Lúcia Mendes, analista de processos comerciais.

O prefeito pediu a ligação da subestação do Hospital Presidente Café Filho, para que possa dar início ao funcionamento do Raio X, retirada de três postes em vias públicas, rede para que o Posto de Abastecimento de Água do Distrito de Murici possa funcionar bem, deslocamento da rede de baixa tensão na entrada da cidade para termino das obras do Pórtico e melhoramento da rede para suportar a demanda de energia da bomba de óleo e câmara frigorífica na Colônia de Pescadores de Pitangui.

“Temos que dar uma satisfação à população de Extremoz”, disse Klauss. “Houve a instalação da subestação do hospital, mas falta à vistoria final por parte da Cosern para poder funcionar”, ressaltou. “A prefeitura corre o risco de perder o custeio do Ministério da Saúde com relação ao Raio X, que depende da subestação para funcionar”, completou.

Murici

Sobre a rede que possibilitará o abastecimento de água do Distrito de Murici, Sônia Mendes informou que a questão aprovada está em fase de orçamento desde o dia 25. “Faltando apenas a segunda parte do processo”, revelou, adiantando que da mesma forma está a situação do deslocamento da rede de baixa tensão do Pórtico, prometendo, também, concluir o processo de funcionamento da subestação do Hospital Presidente Café Filho.

Sobre o melhoramento da rede para a bomba de óleo e câmara frigorífica dos pescadores em Pitangui, a analista disse que o problema será resolvido. “Vamos colocar um equipamento para equilibrar a situação, mas preciso que a prefeitura faça um levantamento de carga”, disse. “O levantamento será feito pela Secretaria de Infraestrutura no menor prazo”, adiantou o secretário Edward Smith.

Fotos

A reunião não pode ser registrada em fotos porque, de acordo com informações das anfitriãs, a Cosern não permite registros fotográficos no interior de sua sede a não ser com autorização superior, tempo que inviabilizaria a audiência planejada e com horário a ser obedecido. (LS).