NATAL PRESS

A equipe de gestores da Universidade Federal do Rio Grande no Norte (UFRN) esteve nessa quinta-feira, 21, no Centro Regional de Ensino Superior (CERES) de Caicó. O objetivo da visita foi consolidar a política de interiorização da Universidade com a discussão de melhorias para o Centro junto aos servidores, alunos e o prefeito do município, Roberto Germano.

A reitora da UFRN, ngela Paiva Cruz, convocou os representantes das Pró-Reitorias, Secretarias e Assessorias da Instituição para a reunião, que durou o dia todo, a fim de que os docentes, servidores técnico-administrativos e estudantes pudessem expor as maiores dificuldades enfrentadas pelo CERES/Caicó.

A principal pauta levantada pelos servidores foi a necessidade de qualificação, já que boa parte das capacitações acontece no Campus Central. A pró-reitora de Gestão de Pessoas (PROGESP), Miriam Dantas dos Santos, falou aos servidores sobre o lançamento da “TV Capacita, que é um programa na modalidade a distância para os servidores da UFRN”, e sobre o projeto de criar um Núcleo de Gestão de Pessoas e de Atenção à Saúde do Servidor, em Caicó.

Os alunos questionaram, principalmente, a estrutura física e a qualidade da internet. A coordenadora acadêmica do Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (REUNI), Virgínia Maria Dantas de Araújo, falou sobre o plano diretor -- um estudo do terreno para a construção dos prédios e blocos de aulas -- que está sendo elaborado. “O projeto está sendo desenvolvido pelo curso de Engenharia Ambiental e depois será discutido com a comunidade acadêmica de Caicó”.

Em relação à internet, o superintendente de Informática da UFRN, Aluízio Neto, explicou que “Caicó não foi contemplada com internet de banda larga porque a rede instalada pela Telebrás só cobre uma distância de até 50 km”. Dessa forma, a solução apresentada seria tentar uma parceria com os governos municipal, estadual e federal, para puxar um cabo de Currais Novos até a cidade, o que garantiria uma internet de banda larga.

Para o prefeito de Caicó, Roberto Germano, a comunidade acadêmica do CERES solicitou a criação de um circular; a construção de uma calçada ao redor do campus; a transformação do Castelo Engady em patrimônio cultural; o tratamento do esgoto sanitário; entre outros pontos. O prefeito se comprometeu a procurar soluções para as questões levantadas e tentar parcerias.

Para finalizar a reunião, a reitora agradeceu as sugestões e críticas e se comprometeu a resolver os problemas e a levar as demandas ao Ministério da Educação (MEC), na sua próxima reunião. “A política de expansão da UFRN visa garantir, criteriosamente, a qualidade. O CERES/Caicó é tão UFRN quanto o Campus Central, a FACISA, o CERES/Currais Novos e nossos demais polos”.

Estiveram presentes na reunião os estudantes do Diretório Central Estudantil (DCE) Adler Barros e Marcos Cauê; a representante da União Nacional dos Estudantes (UNE), Daniella Araújo; e os pró-reitores de Extensão, Edmilson Lopes; Administração, João Batista Bezerra; Graduação, Claudianny Noronha; Planejamento, João Emanuel Evangelista e Jorge Dantas; e de Pesquisa, Jorge Falcão.

Também participaram do encontro o superintendente adjunto de Infraestrutura (SIN), Fred Guedes; o secretário de Relações Internacionais (SRI), Márcio Venício; a secretária adjunta de Educação a Distância (SEDIS) Ione Diniz; a diretora do CERES/Caicó, Ana Aires e a coordenadora administrativa do REUNI, Estela Maria Araújo Carvalho.

alt

Em um ritmo acelerado, a estrutura que será utilizada em mais uma edição da Feira Intermunicipal de Negócios, Educação, Cultura e Turismo do Alto Oeste Potiguar – FINECAP começa a ser montada. A Praça de Eventos Nossa Senhora da Conceição, espaço onde acontecerá o evento, já está sendo preparada para uma das maiores festas do interior do Rio Grande do Norte.

A FINECAP terá início no dia 6 e segue até 8 de setembro, com grandes atrações como Biquini Cavadão, Mastruz com Leite, Magníficos, Rita de Cássia, Dorgival Dantas e tantas outras, com expectativa de atrair um público superior a 40 mil pessoas por noite. Mas o ponto alto da FINECAP será o show do cantor Sertanejo, Luan Santana.

Para este ano, na festa que comemora a emancipação política de Pau dos Ferros, a Prefeitura investe nas festividades, como um evento de negócios. A atração de grandes empresas como patrocinadoras e expositoras, agregam como mais uma grande novidade da FINECAP.

Segundo o Prefeito, Fabrício Torquato, “além de tradicional, a FINECAP é um grande incentivo à cultura e lazer para população, impulsionando todo o comércio de Pau dos Ferros nas suas diversas áreas”, afirmou.

Fabrício ainda acrescentou que todos os visitantes vão sentir a diferença em toda a estrutura do evento. “Com certeza, esta será uma grande FINECAP para todos seus visitantes, assim como também, para quem vai ter este evento como espaço para realização de negócios”, comentou.

alt

O documentário “40 Horas na Memória: Resgate da Experiência dos Alunos de Paulo Freire em Angicos”, produzido pela assessoria de Comunicação da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (Ufersa), foi lançado nesta quinta-feira, no Sertão Central, cenário do método pioneiro do educador.

A platéia lotada foi abrilhantada com a presença dos 19 ex-alunos freirianos, que prestaram depoimento relatando a experiência de ser alfabetizado segundo as lições do mestre Paulo Freire. “Se assistir na parede é mesmo que lembrar de como eram as nossas aulas, que passava as palavras geradoras na parede pra gente desenvolver”, diz dona Pequena, entrevistada.

Uma comitiva com mais de 40 pessoas entre servidores técnico-administrativos, docentes e alunos partiram de Mossoró rumo à cidade de Angicos para acompanhar a solenidade de lançamento do documentário. A noite começou com o pronunciamento do jornalista Passos Junior, diretor do documentário, ao relembrar o processo de criação da obra. “Pensávamos em uma programação para celebrar os 50 anos do projeto ’40 Horas em Angicos’, quando tivemos a ideia de produzir o documentário pra resgatar a memória dos ex-alunos a aquela experiência. A iniciativa foi abraçada pela universidade e Prefeitura de Angicos. Depois de cinco meses de trabalho, estamos apresentando um registro de uma valiosa experiência de educação e cidadania”, ressalta o diretor.

Os relatos foram filmados durante os meses de fevereiro e março e o documentário é ambientado nas residências de cada um dos participantes. “O roteiro abrange cinco temáticas: o cotidiano de Angicos à época; as aulas e o que foi estudado; como era Paulo Freire; o que mais marcou essa experiência e, por último, qual o legado das 40 horas”, explica a jornalista Renata Jaguaribe, roteirista do documentário.

A obra será a primeira peça audiovisual do Memorial Paulo Freire, que está sendo construído na sede da Universidade em Angicos, em comemoração aos 50 anos do projeto 40 Horas. Além dos dezenove ex-alunos freireanos, o filme conta ainda com participação especial do poeta cordelista Hailton Mangabeira, na apresentação, e do músico Carlos Zens, assinando a trilha sonora do documentário. Ambos estiveram na solenidade apresentando o trabalho que compõe o documentário.

O vice-reitor professor Dr. Francisco Odolberto de Araújo, representou o reitor José de Arimatea de Matos e destacou a importância do Projeto de Paulo Freire para a inclusão social a partir da Educação, ressaltando a importância da Ufersa na interiorização do Ensino Superior.

A professora Rita de Ana, coordenadora do projeto de criação do memorial Paulo Freire, exaltou a importância de reunir os ex-alunos como forma de manter vivo o legado do educador Paulo Freire. “A obra de Paulo Freire é de importância não apenas para a Educação, mas é um legado transdisciplinar e o jornalismo é a prova disso com a grandeza documental desse material”, comentou a coordenadora.

Após a exibição do documentário alguns dos ex-alunos presentes expressaram a satisfação de se verem no vídeo. “É um orgulho ver a gente falando sobre um momento tão importante das nossas vidas que foi ter sido alfabetizado por Paulo Freire” afirmou Paulo Souza, ex-aluno do projeto Paulo Freire de Alfabetização.

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), Campus Caraúbas, iniciou nesta segunda-feira, 29, as atividades do Projeto Educação Digital, que oferece aulas de informática gratuitamente a população. Inicialmente, foram formadas cinco turmas com 15 alunos cada. Até o final do ano, a meta é atender 300 pessoas em todas as faixas etárias.

“Nossa única exigência é que a pessoa saiba ler e tenha interesse em aprender os conceitos básicos em informática. Ao mesmo tempo, o projeto tem o objetivo de reverter uma grave defasagem digital em Caraúbas”, explica o professor Luiz Carlos, Coordenador de Extensão e Cultura da Ufersa Caraúbas, comentando que a média na cidade é de 01 computador para cada 120 alunos na zona urbana.

As aulas acontecem durante os três horários do expediente, no Centro de Inclusão Digital, localizado no centro de Caraúbas. As atividades são desenvolvidas com apoio de 15 monitores de segunda a sexta-feira para a comunidade em geral e aos sábados para multiplicadores, através de oficinas avançadas.

O curso tem duração de três meses e uma carga horária de 30h. O conteúdo trabalhado em sala de aula une teoria e prática de forma lúdica e educativa. Todos os alunos também recebem gratuitamente o material didático. “Ninguém paga nada aqui. O curso foi preparado de forma bem simples e prática. Eles recebem o conteúdo teórico e também se exercitam através de jogos que exercitam a digitação, o uso do mouse e outras ferramentas”, destacou Luiz.

Na sala de aula, a atenção é total. Aos 38 anos de idade, a dona-de-casa Maria Cleide está tendo o primeiro contato com o mundo digital. “É uma maravilha isso aqui pra gente. Estou tendo a oportunidade de aprender a mexer no computador”, falou satisfeita.

A dona-de-casa divide o mesmo espaço com o pequeno Sebastião Neto, 12. “Tô gostando muito. Só sentei na frente de um computador uma vez e agora venho todo dia”, comentou.

O Projeto Educação Digital é financiado pelo Edital Proext 2013 MEC/SESU e desenvolvido através de uma parceria da Universidade Federal Rural do Semi-Árido com a Prefeitura de Caraúbas e a EMATER/RN.

Adolescentes e jovens interessados numa formação técnica na área de informática poderão se inscrever para o ingresso no curso Tecnologia da Informação, oferecido pelo Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, em parceria com a Universidade Federal Rural do Semi-Árido. As inscrições vão começar no dia 5 de agosto, prosseguindo até o dia 3 de setembro, no site: estão sendo feita via internet pelo site: www.comperve.ufrn.br .

O curso de Formação Técnico em Tecnologia da Informação é oferecido em duas faixas etárias, a I, para pessoas com idade entre 15 a 20 anos e, a faixa II, para pessoas com mais 21 anos de idade. A escolaridade exigida é o ensino fundamental completo. Para a inscrição é exigida o pagamento de uma taxa de R$ 10,00.

Com metodologia semipresencial, o curso dispõe de 400 vagas para o polo Mossoró e 160 vagas para o polo Angicos. Além de 200 vagas para Caicó e 1.640 vagas para Natal. A maior parte das vagas (70%) é destinada para os candidatos que cursaram integralmente o ensino fundamental em escolas públicas, tendo prioridade os candidatos com renda familiar per capta de até 1 salário mínimo e meio e autodeclarem pretos, pardos e indígenas.

A seleção será feita mediante aplicação de prova objetiva de múltipla escolha, voltada à avaliação das competências e habilidades do candidato em tecnologia da informação. A prova será aplicado no dia 22 de setembro



Twitter