arquivo_abruem

O reitor da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Prof. Dr. Pedro Fernandes Ribeiro Neto, participou nesta quarta-feira (29) de reunião da Associação Brasileira de Reitores de Universidades Estaduais e Municipais (ABRUEM).

Pedro Fernandes é presidente da Câmara de Pós-Graduação da ABRUEM e está realizando, junto com o pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UERN, Prof. Dr. Rodolfo Lopes, e da assessora institucional da UERN, Cicília Maia, um diagnóstico da pós-graduação nas universidades afiliadas à Associação.

Trata-se de um diagnóstico amplo envolvendo as ações de pós-graduação, pesquisa, inovação e internacionalização. Segundo Rodolfo Lopes, “o objetivo é conhecer a distribuição dessas ações em torno das associadas e compreender as potencialidades e necessidades de cada uma delas, de modo a viabilizar o firmamento de parcerias robustas, acordos de cooperação, programas em rede, mobilidade acadêmica, de modo a melhorar o coletivo e dirimir assimetrias”.

O diagnóstico já está em fase bem avançada. Das 46 instituições afiliadas à ABRUEM, 24 já concluíram o envio das informações, e o restante dos dados deverá ser coletado até o dia 7 de junho. O resultado final será apresentado no 65º Fórum Nacional de Reitores da ABRUEM, que acontecerá em São Luís do Maranhão, no segundo semestre de 2019.

“Esperamos que já no próximo Fórum de Reitores, que acontecerá dia 13 de junho, na Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), com a presença do seu presidente e dos diretores de avaliação, de programas e bolsas, de internacionalização e de educação a distancia, já possamos falar sobre esse diagnóstico, mas esse é um trabalho que será apresentado somente no 65º Fórum, que acontecerá no segundo semestre, no estado do Maranhão”, explicou o reitor.

Na mesma reunião, o reitor Pedro Fernandes propôs a criação da Câmara de Assistência Estudantil da ABRUEM, com o objetivo de discutir temas como assistência estudantil, como alternativas de moradia que algumas instituições têm adotado, de alimentação, de apoio psicológico, creche, transporte, entre outros assuntos de interesses dos estudantes.

Pró-reitor de Assuntos Estudantis da UERN, Erison Torres avalia a criação da Câmara como um instrumento de discussões e socialização de experiências sobre a assistência estudantil entre as universidades públicas estaduais e municipais, sobretudo neste momento de questionamentos sobre a manutenção das políticas de assistência estudantil. “Será mais um instrumento que possibilitará a construção de uma alternativa para as universidades estaduais, e em um cenário de crise, apontando soluções criativas e inovadoras para que possamos pautar a assistência estudantil não só pela democratização do acesso, mas, principalmente, pela garantia de permanência nas universidades”.

“Nós temos algumas câmaras, mas não temos ainda uma específica para tratar dos assuntos da assistência estudantil. A criação de uma câmara como esta acontece geralmente nos fóruns de reitores. Espero que já nesse próximo fórum, possamos discutir a criação dessa câmara”, afirmou o reitor.