NATAL PRESS

divulgação

Apesar da suspensão das aulas presenciais, motivada pela pandemia do coronavírus, os colégios CEI Mirassol e Zona Sul, dois dos principais estabelecimentos educacionais da rede privada de ensino, estão disponibilizando para seus alunos, além das aulas virtuais, programas de acompanhamento que durante o período de quarenta são ministrados, via redes sociais, por psicólogo, terapeuta educacional e motivadores, que realizam ações como ginásticas, acolhimento psicológico e até mesmo “aulões” que abordam temas variados, inclusive sobre os impactos geopolíticos do coronavírus. Os profissionais também produzem vídeos que conscientizam os alunos sobre métodos de prevenção e até mesmo hábitos alimentares saudáveis nesses tempos de quarentena.

As iniciativas fazem parte de campanhas virtuais, como “Quem Ama, Escuta”, “Quem Ama, Fica em Casa” e “Quem Ama, Cuida”.

Para a diretora geral dos colégios, Corina Amorim, trata-se de uma troca de experiência que, com a ajuda das mídias sociais, se compartilha estudos e dicas interessantes para a comunidade escolar. “Acreditamos em uma quarentena produtiva e criativa, que pode gerar muito conteúdo interessante. Além do mais, entendemos que vários pais e alunos estão se sentido bastantes ansiosos e apreensivos. Por isso disponibilizamos acolhimento psicológico de segunda a sexta-feira, nos dois turnos, ainda que via telefônica”, ressalta a diretora.

 

FONTE: Assessoria de imprensa do CEI MIRASSOL / ZONA SUL

Todos os cursos são oferecidos na modalidade EAD e possuem certificação


 
Para aproveitar com qualidade o período de quarentena, cursos on-line gratuitos são uma opção para a população que deseja se qualificar. No Rio Grande do Norte, a UnP – integrante da rede Laureate – está com inscrições abertas para 100 opções de cursos livres.
 
Qualquer pessoa, aluno da UnP ou não, pode fazer a inscrição e aproveitar a oportunidade gratuitamente. O interessado poderá escolher um curso livre e terá até 30 dias para concluir os estudos na plataforma on-line.
 
Além disso, ele terá acesso automaticamente a: mais 2 cursos preparatórios para o mercado de trabalho; uma ferramenta com conteúdos de mais de 200 especialistas internacionais; mais 1 curso sobre a pandemia declarada pela Organização Mundial da Saúde.
 
Todos os 100 cursos livres oferecem certificado permitindo que o participante transforme seu currículo e cresça na sua carreira. As inscrições podem ser feitas  no link https://lp.unp.br/unpcontraovirus

divulgação

Com o objetivo de conscientizar alunos e professores sobre a forma de evitar o contágio do Coronavírus, os colégios CEI Mirassol e CEI Zona Sul estão iniciando essa semana a campanha “Quem Ama Cuida”, que irá mostrar os cuidados de higienização que devem ser tomados com relação ao Coronavírus e outras doenças respiratórias.

Além de demonstração sobre a forma correta de higienização das mãos, os alunos vão receber “kits” de álcool gel. Segundo a diretora geral das instituições de ensino, Corina Amorim, trata-se de uma iniciativa importante para garantir a segurança da comunidade escolar. “A transmissão costuma ocorrer a partir do contato com secreções que contenham o vírus. Ou seja, tocar objetos ou superfícies contaminadas e, em seguida, levar a mão à boca, ao nariz ou aos olhos pode deixar alguém doente. Assim, corrimãos e botões de elevadores são vilões dessa e de outras infecções”, lembra Corina, destacando que todos esses ensinamentos preventivos vão ser repassados para os alunos, com a colaboração de profissionais capacitados na área de saúde pública.

A campanha “Quem Ama Cuida” envolve ainda a realização de um “aulão”, que abordará o tema “A História da Humanidade Contada Através dos Vírus – da gripe espanhola até o Coronavírus”. As ações planejadas vão conscientizar alunos de todas as séries de ambos os colégios, permitindo também que eles atuem como multiplicadores das medidas de proteção fora dos muros das escolas.

Corina Amorim revela que as escolas já vêm trabalhando iniciativas para orientar e prevenir o surgimento da patologia. Além de fornecer álcool em gel aos alunos, as equipes das unidades de educação também vão elaborar panfletos para reforçar as orientações aos alunos sobre o Coronavírus.

 

 

FONTE: Assessoria de imprensa dos colégios CEI Mirassol / Zona Sul

 
Williane Silva - Ascom/Reitoria
 
 

Ao infinito e além foi o tema da palestra da Aula Magna da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que ocorreu na manhã desta quinta-feira, 5 de março, e foi proferida pelo engenheiro da NASA Gabe Gabrielle, no auditório da Reitoria. Com a abertura do reitor José Daniel Diniz Melo, o evento tradicional da instituição de ensino foi realizado com o intuito de dar as boas-vindas aos estudantes e iniciar oficialmente o período letivo.

veronica macedo

Publicada no Diário Oficial do Município nesta segunda-feira (17), a Lei nº 7.012/20 autoriza a instituição do Programa Municipal de Saúde Vocal e Auditiva de Professores da rede municipal de ensino de Natal. O Programa objetiva a orientação e o atendimento médico preventivo e corretivo dos problemas vocais e auditivos aos quais estão sujeitos estes profissionais. A Lei é de autoria da vereadora Professora Eleika (FOTO).

Para os fins desta Lei, consideram-se problemas de saúde vocal as disfonias, laringites, alterações vocais como nódulos, diminuição e perda da voz e, de saúde auditiva, a diminuição e perda da audição. De caráter fundamentalmente preventivo, o professor que tiver alguma disfunção detectada terá acesso ao atendimento médico garantido.

O Programa deverá ser composto por campanhas informativas, de orientação e de prevenção sobre doenças profissionais vocais e auditivas mais comuns entre os professores e por atividades de capacitação que deverão ser realizadas por meio de palestras e/ou cursos teóricos e práticos, ministradas por especialistas da área de saúde e que sejam preferencialmente da Rede Pública, com o objetivo de informar, orientar e prevenir os professores quanto aos riscos destas doenças. Além disso, também poderão ser propostas ações preventivas e de medidas que possam ser tomadas para melhorar a saúde vocal e auditiva dos professores.

 Segundo dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), a profissão de professor está entre as mais desgastantes, gerando uma alta incidência de afastamento por licença médica e, em alguns casos, de aposentadoria. Diversas pesquisas apontam, inclusive, que os problemas de saúde mais frequentes entre docentes são: problemas vocais, auditivos e dores em geral.

Autora do projeto que deu origem a Lei sancionada, a vereadora Professora Eleika lembra que a atividade docente requer uso constante e adequado da voz e, consequentemente, da audição, o que insere o profissional de sala de aula em situações de risco necessitando de orientação preventiva e de atendimento médico.

“O docente que adoece precisa ser afastado do trabalho, causando prejuízos ao seu desenvolvimento profissional, ao processo de aprendizagem dos alunos e também ao orçamento público, visto que diante do afastamento do professor, o Município precisa contratar um profissional substituto para assumir as funções daquele que foi afastado. Assim, este Programa visa estruturar uma linha de cuidados integrados para prevenir as principais causas da deficiência vocal e auditiva dos professores, com vistas a minimizar danos na voz e na audição destes profissionais, bem como reduzir prejuízos ao Erário Público”, esclarece a parlamentar.

A formulação de diretrizes para viabilizar a plena execução do Programa Municipal de Saúde Auditiva de Professores da Rede Municipal de Ensino de Natal caberá à Secretaria Municipal de Saúde e à Secretaria Municipal de Educação.

Lidar com a adaptação escolar é um dos maiores desafios enfrentados pelas famílias. No caso das crianças autistas não é diferente: tão importante quanto a escolha do colégio ideal é a paciência e o esforço dos pais para que esta nova rotina seja encarada da forma mais natural e lúdica possível.

 
A pedagoga Lívia Barros, que atua como analista do comportamento e psicopedagoga no Núcleo Desenvolve, trabalha com diversas famílias, auxiliando em rotinas como a escolar. Ela dá algumas orientações de como lidar com a adaptação e transformar o medo em uma experiência de superação e alegria.
 
Autistas podem apresentar dificuldades de adaptação, principalmente os que possuem apego a rituais. "Adaptar-se a uma nova fase pode ser doloroso para eles, mas a família pode ajudar neste processo em casa, utilizando-se da rotina visual e da previsibilidade", explica.
 
Já na escola, a equipe também pode e deve se utilizar de hábitos visuais para facilitar a compreensão das crianças. "Os professores podem verificar com a família e/ou profissionais externos que acompanham o aluno se há algum objeto ou atividade que o regularize e acalme", diz. "Serve para ser utilizado no início e retirado gradativamente, conforme a adaptação ao ambiente, às pessoas e à rotina vá acontecendo".
 
Lívia chama a atenção para que o processo ocorra sem atropelos, aos poucos, e não se torne aversivo. "Sempre vale lembrar: o ambiente escolar, assim como as pessoas que estão lá, precisa ser agradável".
 
A pedagoga afirma, ainda, que a adaptação escolar pode ocorrer tranquilamente para uns e ser torturante para outros. "Conversar com o filho em casa, apresentando pontos positivos sobre a escola, levá-lo previamente para conhecer o ambiente, apresentar o material que levará e utilizará na escola e questionar sobre o que fez são algumas tarefas que os pais podem realizar", ressalta.
 

Ela destaca a importância dos pais passarem segurança para os filhos, sem pressão e sem ansiedade, com muita paciência. Por fim, a escolha da escola deve levar em conta aspectos como o acolhimento, a estrutura física e a proposta pedagógica. "A união dos três vai fazer a diferença na vida do aluno e da família."

 
Marina Gadelha - Agecom 
 

Após o cadastramento dos aprovados na primeira chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), encerrado no último dia 3, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) preencheu 71% das vagas ofertadas para ingresso em 2020. Cerca de 2 mil vagas remanescentes serão ocupadas nas próximas chamadas, para as quais os candidatos devem demonstrar interesse em integrar a lista de espera do Sisu. O procedimento pode ser realizado até esta terça-feira, 4, no portal do Ministério da Educação (MEC). A convocação da segunda chamada na UFRN acontecerá na segunda-feira, 10.

divulgação

Buscando incentivar a educação e dar um destino mais digno aos livros, que ficam “esquecidos” em casa, o Partage Norte Shopping criou a Partageoteca, a biblioteca compartilhada. Um espaço dedicado à leitura, em parceria com a Livraria Câmara Cascudo e Universidade Potiguar (UnP), onde todos os frequentadores do empreendimento poderão ter acesso, de forma gratuita, aos livros expostos. Basta chegar e viajar no mundo da literatura.

Seguindo o conceito de compartilhamento, o empreendimento lança o espaço com mais de 400 exemplares de livros, didáticos e paradidáticos, dos mais diversos autores e temas. O uso do espaço é gratuito, contudo, quem tiver, pode doar exemplares, pois o Partage Norte Shopping vai manter uma arrecadação contínua, a fim de manter a Partageoteca sempre abastecida de novidades. Além disso, quem doa, pode levar um exemplar para casa.

O espaço funcionará diariamente, a partir desta segunda-feira (03), no 2º piso, ao lado da Sport Master, seguindo o mesmo horário praticado pelo Partage Norte Shopping.

 

Serviço:

Partageoteca – Biblioteca Compartilhada

Data: 03 de fevereiro de 2020;

Local: 2º piso do Partage Norte Shopping;

Telefone: (84) 3674.8200 | 98189.8899 (WhatsApp);

Endereço: Av. Doutor João Medeiros Filho, 2395 – Potengi;

Redes Sociais: @partagenatal

Sitewww.partagenatal.com.br

 

 

divulgação

 

Aprovação em curso de medicina, primeiros lugares na UFRN, além de vagas garantidas para o Instituto Federal do RN, e universidades federais da Paraíba e Rio de Janeiro. Esse é o resultado parcial do aproveitamento de alunos dos colégios CEI Mirassol e CEI Zona Sul, escolas que mais uma vez têm a qualidade de ensino destacada no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), divulgado no início da noite da terça feira (28).


A conquista das escolas englobam aprovações nas três áreas científicas de graduação superior (Humanas, Exatas e Biomédica).

Entre os futuros universitários que partem do CEI Mirassol e CEI Zona Sul rumo à vida acadêmica na UFRN estão os alunos Lucas Muller aprovado em 5º lugar em Medicina, Miguel Inácio, aprovado em primeiro lugar no curso de Engenharia Química, Diana Alexia, primeiro lugar em Publicidade e Propaganda e Ana Beatriz Paixão, também primeiro lugar em Ciências Contábeis.

Além de garantir vaga na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, os alunos também foram admitidos nos cursos de Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia Ambiental (1º lugar de Letícia de Melo) e Gestão Pública no Instituto Federal do RN, e em universidades federais da Paraíba (Ana Laura, aprovada em Medicina e João Matheus - primeiro lugar em Administração) e Rio de Janeiro (Hafael Thor – primeiro lugar em Economia e também segundo lugar em Jornalismo na USP).

Após a expectativa em torno da divulgação do resultado, a emoção tomou conta dos estudantes e professores nas unidades de ensino, que entraram em clima de festa com direito a som de DJ´s e o tradicional momento de raspar as cabeças e sobrancelhas dos aprovados.

Um estudante do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Norte (IFRN) conquistou na justiça o direito a conclusão do Ensino Médio após resultado conquistado no ENEM 2019. A decisão atende pedido da Defensoria Pública do Estado do Rio Grande do Norte (DPE/RN) que demonstrou que o aluno atingiu nota suficiente para ingressar nos cursos de medicina da Universidade Federal do Estado do Rio Grande do Norte (UFRN) e do Estado de Pernambuco (UFPE) no Sisu 2020.


O aluno de 17 anos estuda no campus de São Gonçalo do Amarante/RN e comprovou ter realizado as últimas provas do ENEM tendo atingido o ponto de corte dos cursos de medicina da UFRN e UFPE. No entanto, a matrícula na instituição a ser escolhida só poderia ser feita mediante apresentação do diploma de conclusão do ensino médio ou equivalente, documento que o estudante não possuía. A Comissão de Exames de Certificação em Educação de Jovens e Adultos negou ao jovem o direito a realizar a prova para concluir antecipadamente o Ensino Médio por este ser menor de idade.

Segundo o defensor público Rodolpho Penna Lima Rodrigues, no entanto, “o critério não é razoável, pois de caráter apenas etário, tendo o impetrante demonstrado ter capacidade, tal como previsto no art. 208, II, V, da CF/1988”. Com esse entendimento, o defensor impetrou mandado de segurança liminar para garantir ao jovem o direito a realização da prova e possibilitar a matrícula após a divulgação do resultado do Sisu.

“Há relevante fundamento nos argumentos lançados pela Defensoria Pública na petição, posto que o critério legal, repetido pela autoridade administrativa estadual, não é suficiente para medir a capacidade do impetrante para acessar um novo nível de educação, agora superior”, registrou o juiz em sua decisão que validade de mandado, nos termos do Código de Normas da Corregedoria da Justiça do RN.

 



Twitter