NATAL PRESS

Por ser uma Unidade de Conservação e estar inserido numa Zona de Proteção Ambiental, o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte é cercado de mata e possui vários animais, entre eles as abelhas. Para evitar que ocorra um acidente com os visitantes e os insetos sejam mortos indevidamente, o Parque da Cidade está promovendo um curso de identificação e manejo de enxames para os funcionários da Unidade de Conservação, principalmente, os que trabalham no setor de Manejo e da Educação Ambiental, com o apicultor Josenilson Campos. Serão dois dias de aulas teóricas e prática (segunda-feira e quarta-feira). “O curso será feito em dois dias, mas para tornar-se um apicultor profissional, são necessárias uma carga horária de 80 horas com aulas teóricas e práticas. Estamos repassando para eles apenas o básico de como identificar e fazer o manejo adequado no Parque da Cidade”, explica o professor. Segundo ele, que trabalha como apicultor há mais de 15 anos, o Corpo de Bombeiros do RN é o único do Brasil que está habilitado a fazer a retirada de enxames na área urbana e a demanda é grande. “São três equipes que se revezam e trabalham em dias alternados para atender toda a demanda de Natal e Grande Natal. As equipes, às vezes, não param nem para almoçar”, afirma. 


O curso vai servir para que os funcionários do manejo façam a retirada do enxame com segurança para eles e para os visitantes e minimizar os impactos negativos ao meio ambiente, levando em consideração a responsabilidade de suas ações. Para isso, o funcionário terá que estar habilitado para avaliar os riscos conforme as normas de segurança e utilizar o material adequado para fazer a captura por existirem dois tipos de abelhas: mansas e agressivas (africanas) e a abordagem depende do tipo. E para preservar o meio ambiente, é preciso preferir fazer o manejo, a captura do que o extermínio.  Nesta quarta-feira (17) será a aula prática, com a retirada de um enxame que está se formando no pórtico de entrada do bairro de Cidade Nova.


O Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte tem uma preocupação não só com a fauna e a flora, mas também com a segurança física dos visitantes. Recentemente, foi detectado um enxame na área próxima à entrada de Cidade Nova e foi preciso chamar os bombeiros para fazer a retirada com segurança e, para evitar que algum visitante fosse picado, foi recomendado que o Parque fechasse uma das entradas e limitasse a utilização da trilha pavimentada. “Nós tivemos que fechar a entrada de Cidade Nova e interditar parte da trilha pavimentada por recomendação dos bombeiros. E isso causa um transtorno a quem vem ao Parque fazer exercícios diários nas trilhas. Com esse curso nós vamos poder identificar e fazer o manejo com segurança”, afirma o chefe do Setor de Manejo Ambiental, Uilton Campos.


A apicultura surgiu no Brasil em 1839, pelo Padre Antonio Carneiro, com a introdução de abelhas alemãs no Rio de Janeiro. Em 1956 as abelhas africanas foram trazidas pelo agrônomo paulista Warwick Estevan Kerr, para melhorar a produção de mel, porque elas são mais resistentes às doenças e mais eficientes na produção. Foram 51 rainhas trazidas para o interior de São Paulo. Segundo o apicultor, as africanas são as mais agressivas.



Twitter