Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/natalpre/public_html/site/templates/ja_purity/ja_templatetools.php on line 86

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/natalpre/public_html/site/templates/ja_purity/ja_templatetools.php on line 106
"Aniversário de Martha Wanderley Salem". Por Minervino Wanderley

NATAL PRESS

Hoje é aniversário de Mamãe. Mais um ano que se passa e sua presença continua mais forte do que nunca. Nem poderia deixar de assim ser. Pessoas do quilate de Martha Wanderley Salem nunca morrem. Simplesmente se cansam das tolices do cotidiano e se mudam para outro lugar.

Como filho, amigo e admirador, sempre estou em contato com ela. Não da forma convencional, mas daquele jeito que quem ama conhece. Não é verdade, mamãe?

Transcrevo, abaixo, carta que enviei para ela:

Olá, frau Martha!

Inútil dizer o quanto a senhora representa para seus filhos, parentes e incontáveis amigos. Não há palavras. Para as "meninas" das tardes de pintura ou para aquele sem número de alunos/amigos de alemão, a senhora foi, e é, a grande Mestre.

Seu ombro amigo e suas palavras de conforto serviram, de forma incontestável, de apoio para quem a procurasse em momentos difíceis da vida. Sua inteligência, bem acima da média, foi voltada para coisas boas. Sei que a senhora tentou, de todas as maneiras, contribuir para a construção de um mundo melhor, mais justo e mais lindo, como eram suas pinturas.

Por falar nisso, Mamãe, sua arte singular com os pincéis é exaltada por todos aqueles que tem o privilégio de conhecer suas obras, sabia? E serão mais pessoas que terão acesso à sua expressão da Vida. É verdade, Mamãe. Em novembro, se Deus quiser, graças à generosidade da professora Isaura Rosado, da disponibilidade de Iaperi Araújo, Dione Caldas, Geruza Câmara, entre outros, haverá uma grande exposição na Pinacoteca do Estado. Estamos todos juntando os quadros para compartilhar com os demais.

Passados os dias de visitação, faremos a doação de um quadro para que lá, junto a outras figuras ilustres das artes do RN, a senhora ocupe um lugar que há muito lhe pertencia.

Adoraria conversar mais, mas o dia é difícil. A emoção de mais uma vez lhe escrever no seu aniversário me invade. Não estou triste. As lágrimas que pingam no papel dessa carta são um misto de orgulho, de agradecimento e, por que não dizer, de saudade. Como já lhe disse em outra oportunidade, estou em paz com a vida, feliz e tentando fazer uso da verdadeira herança que a senhora me deixou, com seus ensinamentos, que foi a capacidade de transmitir aos outros a felicidade interior.

De seu filho, que a senhora chamava de Mané, até um dia. Aliás, auf wiedersehen!



Twitter