Sou um homem feliz por ter sempre muitas mulheres por perto. Durante toda a existência de minha mãe tivemos relação super bacana, carinhosa e cheia de trocas constantes de amor profundo e respeitoso. As relações em todos os níveis, com o sexo feminino, foram e são permeadas das melhores energias disponíveis no universo. Com a partida da mama, tenho hoje por perto a esposa Deinha e a filhota Mel. Somos grudadinhos, coladinhos, estamos sempre juntinhos.


Que dizer e não ser repetitivo, uma vez que elas estão sempre presentes em minhas crônicas, repito incessantemente meu amor por todas todos os dias, ao ponto de Mel dizer: - eu sei papai. Ou então quando aproximo minha boca da orelha dela, já vai logo dizendo: - já sei que vai dizer que me ama.


E assim nosso dia das mulheres são todos eles, pois convivemos, viajamos, dialogamos, sorrimos, vivenciamos a vida em sua mais maravilhosa expressão: o amor. E seguirei repetindo exaustivamente que amo, estando perto, lambendo, escrevendo, fotografando, sorrindo, me encantando com elas, querendo mais, sempre mais. E não são só elas, tem as duas cadelas, igualmente mulheres em minha existência.


E a todas as demais, meus parabéns gerais.
Amoooooooo