No próximo dia 8 de maio fazem setenta anos do fim da Segunda Guerra na Europa. No dia 2 de setembro, setenta anos da rendição do Japão.

O consenso histórico é que a II Guerra Mundial começou na Europa em Setembro de 1939, com o ataque de Hitler à Polônia. Quem sou eu para discutir que não foi assim. Pessoalmente, pelo que tenho lido, pensado, ruminado, acho que ela começou mesmo, embora localizada, com o ataque do Japão à China, pelos idos dos anos 1930. Com seu auge no final dos anos 30 e seguintes.

Com a sua violência estúpida, com o Massacre de Nanquim em 1937, onde cerca de 300 mil pessoas foram torturadas, estupradas, assassinadas, os japoneses criaram um antagonismo terrível, criando inimigos por todos os lados e despertando os Estados Unidos do seu sono de isolamento. E ainda fizeram a estupidez de atacar Pearl Harbor, mesmo com a opinião contraria de Yamamoto, que sabia das coisas.

Por que cargas d’água, especialmente agora quando a água começa a desaparecer, me veio isso à lembrança? Uma insônia, que raramente me pega, mas de vez em quando me chateia. Fiquei rolando na cama, como se dizia antigamente, ao sabor de maluquices, chatices e besteiras. No meio delas, de repente, aparecem coisas que você havia esquecido, mas que adorou relembrar, positivas ou negativas. São parte de sua história e de sua vida.

E veio-me à mente um sonho que tive quando menino, com meus dez anos, na nossa casa de veraneio, em Areia Preta. Verdade, Areia Preta já foi praia de veraneio. Da nossa casa, você saía direto para o mar; não havia o desnível de hoje.

Começo dos anos quarenta. Auge da guerra na Europa, fazendo com que a da Ásia fosse relegada à segundo plano. Por essa época, surgiu um livro chamado “O perigo japonês”. Não me lembro do autor; mas ele não estava só. Vários outros trabalhos apareceram. Descreviam a selvageria dos japoneses com os povos por eles agredidos e dizia da ameaça inerente à imigração deles para o Brasil. Comentavam a tentativa de difundir suas idéias e que se concretizaram posteriormente na criação de uma associação, Shindo Rimei, que defendia o Japão e tentava implantar sua cultura, então fascista, por aqui. E que Getulio desbaratou.

Fiquei impressionado com tudo aquilo e tive um sonho maluco. Os japoneses me amarravam na cama, e derramavam um pote de mel e depois formigas encima de mim. Felizmente, quando elas começaram a me morder, acordei, suado, meio perturbado, assustado. Mas, que alivio! Na minha insônia, voltei a esse sonho, as formigas me aperreando, e só consegui dormir quase ao amanhecer, depois de matar, na unha, cada uma das formigas. Que maluquice.

O Japão hoje é uma democracia exemplar, aprendida durante a ocupação americana, e vigente até nossos dias. E arrependido dos crimes praticados durante a guerra. E, complete-se, seus imigrantes muito têm contribuído para o nosso desenvolvimento. Novos tempos.