NATAL PRESS

descricao descricao descricao

Não vai sobrar parlamentar sobre parlamentar, alerta aquele conselheiro de tão Honrada Casa. Afinal, precisamos repaginar o país, dar uma nova fisionomia e uma roupagem de crescimento sério. Sorriam. É tiro para tudo o quanto é lado desta vez. O principal – óbvio, em terras do nunca antes –, é que não há uma alma viva exercendo mandato por aqueles gabinetes e que seja culpada. Mas por favor, a nossa respeitada política Brasil ainda tem alguma chance quando sustentam que as reformas estão a caminho. Conspiração só do lado da Rússia com o Mc Donald Trump! No Brasil só precisam passar uma borracha no passado que passa a estar tudo limpo. Boas relações, hã? Nada de abuso de autoridade, se é que não fomos Renan e devidamente avisamos pelo Supremo!

Mas como, se nobres indiciados pela PF em ações criminosas, fraudes, compras de votos, ameaças, arrependimentos, cidades sem lideranças, coisa e tal chegam aos nossos ouvidos o que mais além de oferendas vencidas esperamos para este final de ano? Uma ceia extra remodelada?

E vai que essa também é sua, ministro Eliseu Padilha, porque até o Michel Temer pede urgência, urgentíssima na malha fina da coisa. Pois, a voz do bom político, ora, ora, ora, continua sendo a voz do político honesto que não tem nada a ver com pedidos de caixa-2 àquela conhecida ´´Empreiteira Propineira´´, que embolsou a muitos.

Lembremos, por aqui, não podemos sequer descartar, deixar de absolver réus e mais réus abertamente denunciados e que podem virar presidente segundo pesquisas! O que nessa vale até de advogados lulísticos em acabar – vez por outra – bate bocas com juiz Moro. Tudo a exemplo de que Lula ainda esteja livre de qualquer suspeita. O petista mais honesto que já circulou por essas terras não tem para ninguém.
Ou será por que diabos ainda apostam que muita água – e poeira – não vai passar por baixo dessa ponte? Quem sabe lancem breve dizer de slogam, ´´olho por olho, dente por dentadura´´. Não raro, não devemos negar, ainda, de algum banguela na ala de delator possa dar com a língua nos dentes! Democracia tem disso!

Já quanto a ter-se nesse exato momento (e também) o ´´juízo´´ perfeito de tamanhas discussões ficam a desejar. Por aqui, isto sim, o duro e ´´dificílimo´´ é encontrar qualquer Partido que não tenha herdado seu bom puhado ($) além dos caixas e bandejas recheadas de ´´verdinhas´´ de empreiteiras famosas, da mais alta confiança. Aquilo que (idem) seja base de algum superlativo na casa do ´´dificultante´´, ´´dificilérrimo´´, nós jogamos para os discursos de púlpito, de entregas de farpas, acenos e beijos de quem quer tirar o seu da reta.

– Então classe! Vamos à primeira chamada das delações da vez, juntamente com as denúncias acumuladas em andamento? Por codinome, e preferindo, só queremos que ninguém fure a fila, nem bata a boca na ponta do ´´Balcão da Empreiteira´´ em meio às desculpas: ´´Ferrari´´, ´´Babel´´, ´´Justiça´´, ´´Boca Mole´´, ´´Misericórdia´´, ´´Aleluia´´...


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista
Área de anexos

Só para não passar em brancas ondas nuvens que em épocas remotas tal arte seja mesmo para poucos, saber empregar é preciso. Empreender é por demais mesmo que o fechamento do caixa não seja lá esse brilho todo. Sinais de crise – só o das maiores ao menos encorajador. Sinal de arrocho dos piores. Mas vai passar...

E tal ainda o breve confrontar de que a coisa não está fácil para ninguém nem mesmo do grão que outrora enchia o afogado saco hoje temos poucas notícias de multiplicação. Milagre? Da oferta pão e circo em épocas pós o calendário eleitoral 2016 agora as expectativas até por conta de Partidos vitoriosos tidos por minúsculos fica a pergunta do que será mesmo o amanhã. Claro, a onda s ser seguida na linha de cortes. Quando setores e pastas devem cair pelo menos na sua metade. É o que alguns dos prefeitos logo de cara prometem. Contenção de gastos, certamente. Isso até para a onda de encontros ministeriais onde o sabor do quibe cru, do camarão congelado empanado passam longe das badejas de ofertas. Digamos, na sessão boca livre.

Agora, se pela ordem do grande número de votos que não entraram na soma geral mostra uma boa parcela de por quantas baixas anda – e respira – a nossa política Brasil. Dos finalmente? E por que não adotar o voto livre se é o que muitos brasileiros desejam. Democracia, oras bolas! A decepção por essa ou por aquela liderança sempre vai deixar uma brecha a ser tapada com a desempenadeira para o pleito seguinte. E isso não é de hoje como daquele partido que soletramos por ´´Humano. Social´´, a cartilha deva mudar.

O que vendemos, afinal de contas? Algo que dentro do mercado de bugigangas e afins sempre pesam na balança. Em final de feira nem se fala. Promessas milagrosas, emergenciais, primordiais, que expectador deste lado da plateia não deseja? Pois ninguém quer viver à míngua, ao ´´Plano Zero´´ feito aquele Partidão 13 que em uma época teve tudo para dar certo não fosse a ganância – e venda milionária – do poder. Propinas em excesso para ele quando tudo está declarado, é o que sempre respondem na ponta da língua presa. Daí onde podemos dizer no sentido de seguir o exemplo.

Enquanto isso, qual o dito que no país das investigações alguns capítulos tomam continência, o Supremo sempre em evidência, quebras de decoro surgem numa contante por conta de Vossas Excelências. Quem paga o pato? Sapos, todos engolimos e não é só por conta das pérolas que veem do Senado/Câmara, não! Haverá justiça por aqui, hã? Diferenciada alguns até opinam bem como andam as falas e negociatas do dia.

Perguntinha básica aqui entre nós, o Renan Calheiros fica na presidência da Casa sempre em xeque mate para um bom observador? Já que ele destemperou a língua outro dia, bom, o povo talvez vibraria melhor se houvessem resultados imediatos pelos Senhores das Togas. Vender o peixe, todos vendemos. Todos nós queremos. Precisamos. Só que a arte é para poucos, bem pouco. E não adianta querer entrar no mérito aqui daquele dito do ´´Maior vendedor do mundo´´ que não rola. Passemos adiante, sim?


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Coisa que enumerá-los por aqui conforme o tamanho do rombo seja menos passível na casa dos ´mi´´, dos ´´bi´´, quem sabe de alguns mais astutos, chegando à invejada casa dos ´´tri´´., heim? Enfim, do total de ´´Operações´´ até então realizadas, enumerá-los cabeça a cabeça, impossível. Via de regra, é do bem dizer que ´´ladrão que rouba ladrão continua ladrão do mesmo jeito´´! Ou será que eu estou redondamente enganado?

Ora, ora, ora! Não fosse de heróis profissionais da PF em serviço tudo o mais poderia – e estaria – plenamente correndo às 1001 Maravilhas para eles.

E lá pode imaginar o pobre povão aquilo que seja o empilhamento de 128 mil notas novinhas em folha? Por certo só mesmo na imaginação junto a famosa ´blasfêmia´ que sempre surge no canto da boca bem como o arregalar dos olhos: ´´Nossa, que horror, que patifaria, que escândalo´´ e etecetera e tal. Tanto que o Zé Dirceu chegou a pedir soltura para continuar a tocar sua vida, tocar sua nova labuta de trabalho honesto, ir para a fila do desemprego, suplicar uma vaga ao RH e de olho no futuro. Óbvio, de responder sua pena em liberdade!

E vá! Que bater cartão diariamente só vendo o sol nascer quadrado não deve ser nada mole, não! Captamos a mensagem do então ex-ministro ora ´arrependido´, outro dia, ao Juiz Sérgio Moro, que vem limando tudo? Isso sem deixar um recentemente e meio que ´abatido´ Antonio Palocci que arma sua defesa com hábeis adivogados convincentes. Aliás, para que ficar apontando e delatando infratores? São pessoas honestas, de índole, de passado, de bem...

Em outro capítulo recente, a ´´tomada´´ da Polícia do Legislativo. Atentemos. Por onde, na voz do também denunciado/investigado Renan Calheiros para com Moro, ´´Um juiz de meia tigela, para mim ele não vale nada´´. Falam o que bem (e não, idem) entendem e depois vão se encostar nas costas Supremo que, ironicamente, arquivam tudo. Ou será que o velho dito de ´´cutucar a onça com vara curta´´ conta agora com outros elementos de defesa. Repetimos do que falam o que bem entendem e não entendem nada? Favor não pular o Cunha, sim?

Chamaram ao episódio de ´´limpeza de provas´´ também de conhecidos senadores como Fernando Collor, José Sarney e Gleisi Hoffmann! Isso sem deixar os levantes de abuso de autoridade para quem – rouba? – mas tem foro privilegiado até quando permanece de bico calado. E tem mais! Muito mais e que pode ser reprisado a toda hora e a qual parte do dia. Pegadinhas. Tira teimas além dos detalhes adicionais e de quem mais queira limitar as atuações da Lava Jato. Esse empecilho na vida de todo bom corrupto sempre em ação!

– Métodos fascistas? O que são ´´métodos fascistas´´ que o tal irritado presidente do Senado, Renan falou da boca para fora sobre a Polícia Federal, heim? Não tem papas na língua a Vossa Excelência? Ele está acima da lei, feito outros privilegiados, quem sabe do ´codinome-Amigo´, altamente enriquecido, e que continua não sabendo de nada?

– Verdade é que muitos perderam foi a noção do tempo! Parece até que em conjunto, porém separados, e querem mais terminar as carreiras engolidos pela própria língua. Coisa que mesmo das goelas e papas curtas, querem mais, isto sim, driblar o poder e continuar contando seus mais altos pontos! E vamos lá ver e tentar acompanhar daquilo que possa acontecer de hoje para amanhã. Afinal, já que balelas temos aos montões, o desfecho ainda está muito longe de acontecer. Muito além dos ´´chefetes´´ em ação! Vai vendo e é só ir clicando...

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista
www.facebook.com/celsocolunista

Há aqueles que fielmente acreditam que sim; outros que não! Tudo vai de uma questão, às vezes, de ser um bom ouvinte ou do recurso do aparelho que tenha em mãos. Comunicação. Era globalizada. Redes Sociais. Refúgios do dia a dia, minuto a minuto, para não deixar até a peteca cair. De resto também entra em cena aquele tal do ´Banho Maria´, dos panos quentes em cima da mordaça da fala mal politizada. E por que não ainda abusar do refúgio da água e sal só para tirar o encosto do corpo e deixar a coisa fluir?

Tanto que se diz que refletir também seja sentir – no bolso nem se fala –, agora temos PEC 241 APROVADA pela Casa, dos mais de 300 a favor! Os que foram contra e tiraram o seu da reta não precisamos registrar aqui. À boa época das não gastanças muito ainda sonham com a bonança. Recurso para os tantos Partidos é cifra que não deve faltar. Isso até por conta dos mais de 30 deles em voga, com muitos só fazendo sombra. Nessa, querem até algo em torno de 40bi(lhões) para pagar suas futuras campanhas eleitorais. Aliás, 20 anos passam rápidos mesmo para aqueles que já desceram a sepultura e estão mais vivos – recebendo e votando – do que nunca!

Mesmo depois de morto, talvez eu já tenha ouvido isso antes, mas que o João (de Deus nos acuda) continua dando sinais e gozando saúde! Sem SUSto. Ou será que engoli mais um pato nesse minha fala de orelha em pé? Vai vendo que de PEC em PEC tudo parece caminhar para tirar o país do buraco que o tal ´´Vermelho Estrelado´´ deixou. Como nunca antes e aí daquele que botar a mão no ´´resmungão rouco´´ que segue invicto, livre e solto, com suas pérolas diárias nocivas.

´´A internet tem que ser censurada, pois está liberando o demônio do povo´´, pode alguém de sã audição tentar adivinhar quem a pouco soltou mais essa? Se for por falta de denúncias e agora este ter virado réu ninguém está sendo deixado de ser avisado juto aos seus serviças. Porém, nem antes, nem durante, nem depois houve falta de honestidade até por palestras registradas em pauta. Nem jamais existirá às honras de uma fala enganosa.

De tudo, ainda bem que vivemos numa diplomacia bem democratizada! Fato que ser corrupto por essas bandas não seja tarefa tão difícil de ser cumprida assim... Temos delações variadas, e defensores bem articulados para desafiar além PF e Lava Jato, ora bolas...

Divergências quanto a então gastança do banquete presidencial Michal Temer para definir a Emenda dos gastos públicos – 500 condidados, incluindo aqueles ´´boca livres´´? –, a ´´gororoba´´ talvez não saísse por menos de 200 reais/cabeça, enquanto dançamos mais uma vez em Saúde e Educação!
Agora, se vamos mesmo piorar – e muito? Ora bolas, 20 anos passam rápido, num estalo assim! Coisa à toa, muito à toa! O importante é conter os tais gastos, os desgastes do povo...

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Privilegiado, anote-se de cabeceira antes que vá para a linha do esquecimento, sim? E como não podia faltar em todo capítulo final de novela/período de longa cassação, o choro do Eduardo Cunha que livrou o país do PT vem a público! Mas não desta vez o choro de uma Excelência que não mereça toda a nossa atenção! E cadê a atenção daquele a quem a tantos livrou em meio a essa arrancada toda de país falido? Não fosse o Eduardo Cunha, isto sim, o ´´Partidão 13´´ e seu bando ainda estaria reinando. Tomem nota disso! Entramos para a história do líder que aprovou o impeachment ´´Dilmista: uma vez arrogante, sempre arrogante´´.

Certamente e como não poderia deixar de (o) ser, tudo por ´´quebra de decoro parlamentar´´! Contas no Brasil além – e muito além – de paraísos fiscais, e quem não as tem dentro desse círculo vicioso de juntar um bom punhado de dólares para garantir uma aposentadoria tipo presidencial e a altura de um representante do povo. Ah, não, esperteza política quanto ao ´´foro´´ privilegiado não há! De repente, escudo de defesa. Uma artimanha declarada a céu aberto e nada mais. Quiçá, os políticos tem que viver num reinado todo especial, comendo frutos $ e saboreando doces manjares nível Caixas Empreiteiras 1-2-3 dentre outras cositas mas...

Quebra de Decoro Parlamentar, sim senhor, Eduardo Cunha – e considerado por muitos até como mesmo um Herói Bandido! O parlamentar que livrou a cara do país frente a pergunta que por certo ainda ficará entalada na cabeça do eleitor – pobre eleitor – assim: ´´Mas e quanto ao restante investigado (e sabido) de arquivadas/recentes ´´quebras´´, como é que fica?  Cadê demais Vossas Excelências de dedo em riste e nariz empinado?´´
Eis então o grande por que da pergunta do que seria o fim da carreira política de um atuante que cometeu só uns desvios. Coisa pouca. Uma besteirinha nada exorbitante dentre os destaques que estão por lá, jurando através do enfático ´´pelo meu...´´ ao peso do isopor língua-dental a que foram privilegiados. O povo, ora o povo. Se a novela da cassação do Eduardo (nossa tivemos até uma Tia Eron em capítulo de pix esconde numa das Comissões outro dia), durou quase um ano, quantas minisséries não deveriam estar estreando. Aliás, estão, mas estão protegidas por alguns dos canais Supremos Supremacia, algo que extraído do latim Summum Imperium para engordarmos aqui o enredo!

Claríssimo, dito e feito que em festiva votação de intervaldo/virada do dia de 12 para 13 de setembro de 2016, nobres deputados favoráveis à cassação, desferindo palavras de Alto Baixo  Escalão – a de ´´golpista´´ tinha que ser a maior no tempero do sal grosso da rodada... Voilá, até Dilma Roussef deve ter dado seus pulinhos e ´´peidinhos´´ (ops) no sofá pela marca atingida. E se ela não e mais a ´´Presidenta´´ do Brasil, o Eduardo também não é mais o presidente do Congresso Nacional e bico calado!

Em tempo! Como não devo negar aqui – incluindo nesse pacote também a voz de milhares de brasileiros e de Ouvidores-Mor que acompanharam o montante –, importando ou não a soma de dinheiro que do Eduardo Cunha tenha empilhado lá fora, da minha parte merece uma moeda-Brasil! Dessas do tipo bem Cunhadas!

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Risinhos toscos e mal disfarçados que não desçam ladeira abaixo nem caiam tanto em desuso pós o sessão de julgamento histórico do impeachment presidencial, porém, o que estava escrito, estava! E ademais nota de ofício/artifícios de recursos de última hora para salvar-se do ultimato,  quem mais haveria de? Salvá-la? Do então nosso querido país falido, inteiro, poder dar novamente uma volta de 180 dias, digamos, também à estaca Zero? Tudo não parecia estar caminhando tão às ´´Dilmaravilhas´´, foram só umas digitais mal acentuadas. Não, não houve pedaladas. Engulam, nobres senadores com aquilo que ainda lhes restam – a ressaca, a saliva, o mimimi com o enrosco todo.

Tanto que o verso então cantado tempos atrás, ´´Apesar de você´´ e que amanhã deverá ser mesmo outro dia (desde que não mudem ou alterem o andar da coisa), muitos ainda perguntam por que raios o Chico Buarque tinha que inventar de conhecer justamente o Palácio do Alvorada às vésperas do Dia ´´D´´?  ´´Dilma, isso é um ratângulo, e não um quadrado´´.

Numa breve palavra de consolação para os que ficam: ´´O preço da fama muitas vezes é aquele que difama´´. E se muitos ainda não tinham anotado isso em letras graúdas, e não virtuais, mesmo fora de Plenário, façam as honras. Doa a mais quem doer, alguém sempre sai perdendo a boa forma até cônica de detrair, de embromar no ato de articular o verbo. Mas também de trololós e lorotas que jamais saem de cena. Na verdade, muitos dos adjetivos, além dos verbetes e jargões, ganham reforços e até mesmo através de fãs clubes virtuais, com milhares de milhares de curtidas. O preço, claro, é sempre o da fama. Cinco minutos – com direito a réplica e tréplica – além do tira tosse habitual, hummm! Nesse quesito, não há ´´Nobre Excelência´´ em exercíco da palavra que não queira dar com a língua nos dentes. Emendas, ainda que das mais ralinhas, que nos valham!

Querem algo mais ao nível de depoimentos com o que manda a Constituição – acusação/defesa – sem pular um versículo, artigo ou do que deixou de pular no Relatório do Senador Anastasia? Quem sabe decretos, elementos indicativos, Tribunal de Contas, demais análises, contextos etc., com o que mais ainda precisaria ser estudados para continuar o processo de alongamento do histórico ´´rito´´? Facetas sobram aos montões.

Agora se muita água ainda vai passar por baixo dessa ponte – juntados elementos à poeira que se cria e se amontoa ao lado – algum conteúdo proporcional sempre costuma escoar pelas brechas abertas. Haja vista, tudo isso até bem a mais atenta das perícias costumam errar na ponta do lápis.

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

– À boa da alta dos preços, o brinde de bandeja ao consumidor.
 
O que subentende-se que para a verdadeira ´Lei do Equilíbrio´ tudo deve estar sempre dentro do nosso campo de observação. Exatamente como vemos e encaramos tudo à nossa volta. Do contrário algo sempre tende a desmoronar.
 
Elemento inimigo ´´Número Um´´ da palheta de consumo tudo só podia mesmo partir para a sequência dos fatores. Tipo toma lá dá cá! Tal e qual nós não temos que inventar senão colocar muitas vezes a culpa a quem mais com o que devia ter sido feito. Por hora e novamente, te cuida, São Pedro! Porque a conta pode chegar aí por esses dias, tendo Vosso Guardião mais é que voltar a arrastar os móveis aí no céu em forma de trovões. Deixa chovar!
Falamos dos ecos inflacionários, que por sinal sentidos tão próximo ao que esteja no auge do oco do mundo? Bem além da nossa contenção de gastos – forçados, óbvio – ante a gastança desenfreada de ajustes de governo?
 
Bom! Alegria, alegria, pois temos jogos olímpicos para dar com o pau, as varas, os saltos ornamentais dentre outras modalidades mais.
 
Então, para que se preocupar com a mobília da casa, do barraco, bem como do cafezinho com leite que já virou mesmo foi um conta-gotas para lá de minguado! Sacola de feira livre à essa altura do campeonato, hum, deve ter mais é virado saco sem fundo. E não o saco sacaneado do saltitante canguru australiano no prédio 23 da Vila Olímpica que parece ter sido mesmo o escolhido por aqui! Haja laptops...
Mas e quanto a tão aguardada leitura da reprise da Comissão Especial do Impeachment pelo senador Antonio Anastasia, sai ou não sai? Não! Já saiu e vai poder ser ouvida até no repeteco da linha de frente do quinteto Dilma? É golpe! E cadê o dolo pulmonar e que parece que a volta presidencial devia ser triunfal. Nada de pedaladas e/ou carroças emperradas. Feito o Fênix. renascido das cinzas, como disse o agora denunciado Lula. ´´Well, Manuel! O Lula virou réu!´´
 
Daí quando alguém pergunta se de tudo o que já foi dito por aqui cansa, da nossa política igualitária temos dezúzias de notícias. E está escrito! Mas que segundo consta – e em novo sentido ­até renomado – que a arte de pescar os ´´peixe´´ é para poucos! Seja dito. Para muitos poucos. Certo modo, tanto que depois de pescado o bicho que dizem morrer pela boca, resta-nos saber o que bem fazer com ele! Ou que talvez da dura arte da procura mesmo, valemo-nos, meu Deus, da necessidade do mais vala! O déficit, porque sim, e porque não, será sempre público. Well!
 
E findo o fato que a conta vai ser sempre nossa, com ou sem jogos – por favor, mostrem só o lado bonito da coisa. Os cangurus que estão hospedados por lá não são os que saltam deste lado de cá – mas escondam o lado feio da vila armada. Em pouco a vida promete seguir o seu curso e vamos todos capengar na luta. Como grifamos anteriormente, a fita costuma ser rebobinada de múltiplas formas! Ao tamanho que de tudo que está daqui, daqui uns dias – sem querer mal dizer – teremos romances lacrimejantes ao (sic) do melodrama: ´´Amor&Couve-Flor´´!
 
– Mais um cafezinho?
 
– Está coado?
 
Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Follow me: http://twitter.com/celsocolunista
www.facebook.com/celsocolunista

´´Muitos citam que às vezes é melhor pingar do que secar´´.

Já no tocante àquela indiscutível frase se melhorar estraga, pior do que está quem é que garante que não fica? E por ordem em épocas atuais poder garantir aquele bom estado de espírito continua sendo a mais prolongada das missões.

Porém, correm boatos – sempre corre algum até por conta da ordem do dia – que parece da coisa da nossa máquina pública dar sinais de melhoras na sala ´´UTI Financeira Brasil´´. Correm boatos, seja uma vez mais dito, até por contingências da eventualidade, um acaso, fundamento da incerteza do que pode ou não acontecer em dia de votação em Plenário para surprise de líderes partidários na ala dos aliados e dos ´preferenciáveis´ da tropa da Zelite. Os mais chegados, hã!?


– Mas qual foi mesmo à boa pergunta ora feita na escala da raiz quadrada dos números juntamente com o zero à esquerda? Que disse? Por certo todos os políticos são honestos. E esqueçam o peso da negativa por trás das suas consciências. Eles só estão seguindo as ordens, o esquema. Barganhando ora aqui, ora ali e acolá!


Agora se da primeira bonificação, um agrado de empreiteiras, petroleiras, muitos não esquecem nunca, outro grande detalhe é que a maioria (bolas, não vamos ser tão dramáticos, digamos, 99,9%) não são imunes a virtuosas tentações rentáveis. Os tais ´´Caixas Extras´´ não foram criados para juntar vazios e poeira. Quanto menos cachês de horas bem trabalhadas, verbas paletó, auxílio moradia e de outras partículas mais! O que para o pobre do proletariado na casa do desconfigurado ´´Mínimo´´ sempre fica naquela de querer avançar uma casa a mais!


Num breve instante de reclame, aqui, sem plim plim, ´´dó mesmo foi só de ouvir falar que o Juvenal quase morreu´´. Ô dó que deu também em saber que agora não acendemos apenas uma vela para o finado Dariu no conto de Dalton Trevisan! Milhões de brasileiros desafiam esse risco – Brasil? – com a realidade diária. Do pão que comemos certamente não é mais apenas aquele que o padeiro amassou. Nada engraçado para o que disse o FHC que nosso salário é dos melhores em termos de produtividade. E quem é o tal ´´boca mole´´, respeitado, que nunca meteu a mão em cumbuca alheia alguma durante dois mandatos presidenciais, heim?


Sem querer esticar muito na conversa de praxe – adivinha onde? – verdade é que na terra do nunca no meio político nunca se sabe é aonde eles podem chegar. No mais: ´´Hey, Plínio, cadê o Marcos?´´ Vamos ou não vamos poder confiar no STF para a série crescente de julgamentos que não saem do papel? Óbvio, ´´como nunca antes´´, tão bem engavetados na batida do martelo? Risinhos à parte a PF manda prender e supremos que lá estão mandam soltar e haja produção futura e em longa escala para as tais tornozeleiras teleguiadas.

Em tempo! Política por aqui é realmente assim que funciona. Cheia de concordâncias verbais R$ e troca de favores, enquanto os suados pingados sempre sobram na mão vazia do povo. Corrigindo com a maior taxa de tributos que pagamos, se é que sobra algum pelo menos pro saco de arroz e feijão! Ademais é olho por olho, dente por dentadura, alho por bugalho com aquilo que mais ordenar o Seu Ernesto em parceria partidária com o tal de Carvalho! Pingou, chorou...

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Follow me: http://twitter.com/celsocolunista
www.facebook.com/celsocolunista

Favor não esquecer nesta entrada de assunto das famosas argolas e das cifras nos vãos. Certamente com aquelas que nos prendem aos partidos repartidos no país da democracia plena. Obrigatória. Ruim com eles, pior sem eles e não necessariamente nesta ordem, mas, será que merecem nossa confiança? Quando tudo mais parece, isto mais claro do que isolado, um fuzuê de entendimento todo. Quem são os nossos representantes – que auto se carimbam em prol do povo, pelo povo e para o povo –, cuidando em 99,9% do que é deles é a questão!

– Hey psiu! Os Partidos estão ´´Repar-ti-dos´´ em suas mais variadas siglas, prometendo um jogo misto de ilusões e fiéis às suas cartelas de obrigações, bolas, e tão fiéis até certo ponto. Ou que coisa nenhuma...

Tanto que há quem aponte na ponta do dedo mínimo/polegar e no placar imaginário do telão ligado 24 horas D/N em praça pública, assim. Desse jeito e em letras não menos que garrafais: ´´NUNCA ANTES DA HISTÓRIA DESSE PAÍS SE VIU TANTA CORRUPÇÃO EM ANDAMENTO´´. Quanto mais se mexe mais o cheiro costuma exalar vias nariz adentro. Tal a ´Lei do Agravamento Conjunto´ aqui editada isso tudo parece ser mesmo um mal necessário. E pobre do Gerúndio hoje conjugado em qual pessoa do Particípio nada em comum para que querem tantos rios de dinheiro na tocada de Midas! Vamos lá entender...

Via de regra – se de dois, três, quatro, 5 ou 6 – precisamos de alguma fórmula mágica ou antídoto para curar o mal, o engodo necessário dentro dessa escalada a que estamos todos sujeitos? E mesmo continuar (no duplo sentido) a empregar daquele natural com que muitos decoraram a conviver nos macetes e preâmbulos da vida? Não sei responder! Direta ou indiretamente se participamos desse amontoado todo isso são outros 999 utilidades. Mil seria querer desentortar as molas demais.

Tanto do que ora foi dito com o que eles – os políticos dessa nova tiragem – que não tem cura, pois também a fórmula mágica verdadeira está no caráter, na honestidade e vontade de cada um. E não apenas àqueles que aprenderam a conviver com Woltagens de agraves interiores tão naturalmente. Mentir já não é mais um pecado assim. Passou a ser mesmo um estado de benefícios e conveniências! Não duvidamos daquilo que mais pode sair de dentro dessa cartola isso já abominando o saco de maldades disfarçado de governo.

Depois da tempestade em ´´Dilmês´´ que ainda sonha voltar e retornar a mandar junto aos seus súditos, mandatários e rastreadores cabe o dizer, ´´Fazer o bem não custa nada ou mesmo não olhar a quem até no rabo de olho?´´ Porém, é preciso que tomemos alguns tipos de cuidados. O principal deles é não cometer certos exageros para não acabar fora dos eixos, cuidando para não ficar uma vez mais é no prejuízo!

– Mas como? Mais um lote de delações premiadas para hoje? Já não estamos em falta é com o vazio de tornozeleiras no almoxarifado...
– Melhor então da gente cuidar do retoque e reposição no alinhamento das genéricas que vem muito mais surpresas por aí. Se o Marcão Odebrecht resolver abrir o bico, pulando a vez do Eduardo Cunha, o bicho vai pegar! E te cuida, Jacaré...
 
Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
 
 
www.facebook.com/celsocolunista

De cara só não vamos nos esquecer de pular as sombras, as aspas, os colchetes com a larga tiragem das reticências e ricochetes (do verbo richochetear) em andamento. Sem sombras de dúvidas, é claro! Porque o resto, certamente, são avalanches e compras de comida, por exemplo, em exagero por governadores em exercício e merendas alternativas. Tipo ´´Fit´´ Goela Bucal – garganta abaixo. Mas que cesta básica foi aquela do governador pivô do Rio, Francisco Dornelles, para alimentar tantas bocas nervosas do bom e do melhor no Palácio Guanabara, heim? Pula.

Maior, menor ou igual atenção daquilo que ´´rola´´ mais sobre o assunto do dia? Segundo o presidente Michel Temer acharam uma luz – de esperança? – no fundo do túnel. Quando de quebra, porém, nada menos pessimista do jeito que a minha espinhela financeira anda caída, terão eles feito algum curso de eletricista daqueles via kit on line para instalar o interruptor de luz em tão hábil tempo em que parte da parede? Nesse breve lascar de conversa as dívidas dos estados e municípios estão afrouxadas. A serem pagas lá na frente como manda o figurino entendido na tabela e caderninho do correto. Penduramos mais uma! Helô-ou...

Abre aspas. Algo que por um breve desabafo, meu oras bolas, também tenho esse direito, mas o que me causa maior espanto em meio à fonte de tantos dados neste tão vasto mundo é a autenticidade com que agem a maioria das pessoas. Tanto que chega até a doer na pergunta disfarçada de resposta. E como se eu já não tivesse repetido isso por aqui nesta coluna, como pode? Fecha aspas e não toquemos sequer por um fio quanto ao impagável, como sempre, ´´Sindicato dos Corruptos Anônimos e Cia.´´ que pode, no futuro, ser revisto. Desde que não haja novo decreto de prorrogação no tocante ao rol de vossas excelências deduradas. Todos são juramentados de calibrados de chapa honestidade à vista. Todos. Sem excessão!
Ora essa, vamos acender uma vela para mais quem dentro de tão meticuloso Senado quando seus líderes pacientes preferem aguardar (pacientes) tudo durante as averiguações. E por que eles haveriam de torrar, então, o restante de pilhas alcalinas – cerebrais – que lhes restam antes do próximo mandato. A ´´Lei da Inércia e Perfeição´´ de enrolamento também exige precisão até por conta de quem recebe sem fazer nada. Coisa que outro sim, outro não, ainda tem o recurso do foro privilegiado por lei! Desde às cuias, as malas e às cucuias, além dos ovos remexidos. Falar, blasfemar mal dos políticos, sou besta, não. Afinal, eles trabalham sério, ´´serríssimos´´ mesmo quando serenos, idem, investigados.

Reprise. Surprise. Nada duros e muito bem afortunados para o que estão lá (querem que repita quem, quais, quãos, ops), coçando, tirando luvas, cafezinhos, cutículas, o enxerto incômodo das unhas com o conteúdo da cera Poliflor dos ouvidos. Patavinas e bá! Que de resto tudo o mais e a priori é mesmo verossímil! Talvez até batendo de chofre com o repente dos possíveis prováveis com os suportos reprováveis!

Fui!   

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista



Twitter