NATAL PRESS

Muitos pesos, poucas medidas.

´´Via de regra quanto a nova e velha política em ação também é bom lembrar que entre uma coisa e outra todos sabemos aonde queremos chegar. Seja pela Ordem da Razão como da Emoção.´´

- Se as contas não fecham isso são outros 500 a serem adicionados. Mas que elas chegam, chegam. Quanto aos recursos que tanto nos valemos, dizem deles serem até humanos. Enfim, Brasil novo, Casas ´´Renovadas´´, transparência e harmonia políticas para todos os lados, o que der e vir, seguindo a costumeira questão. Por certo até mesmo uma democracia censurada em redes sociais para ninguém botar defeito. Internautas e ´´fakes news´´ que se cubram!

Abre aspas. Sobre as nossas constantes barbeiragens versus genialidades políticas, o que mais podemos acrescentar, heim? Principalmente quando conhecidos caciques virar réus, porém, continuam no poder? Fecha aspas. Daí o porquê de dinheiro na cueca, mala de dinheiro em pizzaria, apartamentos, sítios, tríplex etc. e tal! Vai que se o mundo não girasse tanto enquanto de falam em contenção de despesas, cortes – principalmente aqueles da carne! – o quanto não seriamos poupados. Ah, se o mundo político (idem) também não girasse frente a badaladas CPI´s, CCJ´s (aperfeiçoadas), bate-bocas e mais bate-bocas.

Certamente, delações premiadas é fato do que mais temos acompanhado por aqui, e, não mais, empreiteiras na liderança, e, agora, a Gol cita ´´benefícios financeiros´´ ao presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ). Michel Temer na mesma faixa do recebimento de propinas, Eduardo Cunha, Henrique Alves e por aí vai. Enfim, uma verdadeira ´´bonificaçãos de repasses, quando – nada surprendente –, todos negam as acusações. Ou será que mudamos tanto (e portanto?) na ordem dos fatores? Do contrário o mundo financeiro político – mas não de todos eles – não giraria tanto!

Haja visto, em épocas de governo/desgoverno atuais, sequer ´´Bolsonaros´´ eleitos e no poder escapam de, digamos, quebras de sigilo como no caso de Carlos Bolsonaro que volta a atacar o vice Mourão só para aumentar a crise. Lógico, tudo não parecia ser uma incrível maravilha? Seja por ´´Ordem´´ dos mais ´´atípicos´´ ou não!

No mais, to be or note to be muito além – e bem além – do equilíbrio das coisas...

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog: 

Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  

www.facebook.com/celsocolunista



Twitter