NATAL PRESS

´´... Mas e quanto a chapa Eleitoral 2014 ´Temerr&Dilma´, sai ou não sai? Vai ver que muita gente ainda deseja continuar naquela casa (undecimal) do ´´Ih!, eu também não sabia´´. Principalmente por causa das divulgadas empreiteiras que bancam os quatro continentes! Se é que não inventaram mais um – feito um ou outro ´´Planeta Cósmico Financeiro´´ apareça de mansinho por conta das investigações da Lava Jato. E o nosso aguardado INSS lá atrás ora fraudado ia ficar de fora dessa? Vai que mais algum deles, por um fio só ($) de bigode, não soubessem de mais essa!

Perguntinha básica ou quem sabe até de áudio – à distância? – na boca do contribuinte é a que sempre amanhece: ´´Será mesmo o Brasil ponto de referência da propina? Dando um banho de golpes nos demais países desenvolvidos nesse quesito. Quanto mais se mexe, mais aparece.

A propósito do que seja também um mero lógico ´´Control V´´, o que mais podemos definir por linha de base aquilo que tamanho se opõe à lógica, à razão? Segundo a boa voz gesticulada presidencial de Michel Temer, chegamos ao fim da recessão. O pior da crise de todos os tempos já passou. Isso (idem) segundo concordâncias afirmativas e bem incisivas de seus ministros apontados em denúncias. Ora essa! Citam apenas oito deles em meio a fatores próprios e impróprios aos outros que seguem o sete ao composto dos noves. Fora, né!

Desculpem, nunca fui mesmo um expert em fazer contas junto aos mínimos, múltiplos até incomuns! Quanto ao bolo maior da armação, do fundo do buraco, sabemos bem quem deve arcar com a despesa a ser novamente coberta. Como se esse cenário já não tivesse sido assistido em outros governos.
Ora! Se não é oito, jamais será coisa de oitenta para quem tem seus salários milionários garantidos enquanto a pasta das nossas finanças aponta para a seta da queda da inflação. Certamente, somos ainda 14 milhões – ou mais – na sala do desemprego e que tanto eles prometem melhorar, do país não derrapar outra vez nos trilhos. Quanto mais em aumentar o grau de pessimismo dos sem carteira assinada.

Ademais e para o fechamento desta e por mais quantas no montante da mágica dos números que eles divulgam – milhões, bilhões – carregados em caixas dois até de sapatos, empilhadeiras (salvem as propinas das empreiteiras, que a tantos elegeram: ´´Há coisas que costumamos pensar durar sempre. Tanto que alguns até arriscam persistir nisso com extrema convicção! Já outras se esfarelam facilmente nesta mesma linha, digamos, de acondicionamento!

– E é osso mesmo!


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista 
www.facebook.com/celsocolunista



Twitter