NATAL PRESS

descricao descricao descricao

Sobremaneira que as derrapagens da nossa exemplar política de cada dia vivem sujeitas a mudanças, no tocante às tais – por parte do governo – jamais estaremos livres. Ou que nossos mais experts pilotos de prova, sic, ministeriais vivem mesmo fazendo de reajustes. Isso porque, em época de crise profunda, garantem ainda que estamos de volta aos trilhos. Seja pela voz marcante e gesticulada de imponderável presidente Michel Temer, pelo Henrique Meirelles, como do Ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que volta a surgir nos holofotes das frementes notícias. As Reformas tem que sair do papel antes que sejam melhor ´´achatadas´´ (e levadas) além do rodapé de mais uma página virada. Até setembro ou esticando um pouco mais, de outubro não pode passar.
 
Isso também agora incluído o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que determinado passou a ocupar o espaço de avalista das reformas – especialmente da Previdência – e consequentemente, do próprio governo. Tal aquela história do ponto ou banca para ninguém botar defeito no montante de articuladores em evidência, claro! Se denunciados/apontados por recebimento de propinas, pede-se não incluir nesse parágrafo. Afinal, estamos falando de manobras. ´´Às manobras, os bons manobristas escalados a pista, aos volantes e pastas, certo?´´
 

Algo mais para se relaxar os nervos até por conta dos aumentos tipo ´´vaivem´´ no preço dos combustíveis, nos ligamentos e desligamentos levados ao Supremo que parece ninguém mais entender? Prende-se daqui, soltam-se e, ora pois! Prisões e delações de bandeja relâmpagos. Não é à toa que apregoam e passaram a rosnar/lamuriarem por aí que deu louca na coisa da máquina política. O que segundo o Michel Temer também passou a existir o bordão do ´´nós contra eles´´, pós sua primeira (no voto de Minerva de Gilmar  Mendes no STF) e agora segunda absolvição e arquivamento de denúncia comum na Câmara. Aquela tal do ´´pelo, pela, pelos, pelas´´ de outro dia e mui bem comprada.

 

Mas para não tomar mais o tempo de ninguém na sequência daquilo que está por vir – graças à Lava Jato – em ação, e sobre as manobras, acordos e acordões versus Centrôes, que o uso do ´´bafômetro´´ oferecido por eles a cada discurso vazio, é que o sempre ´´Admirável Círculo Político Novo´´ entre Vossas Excelência irá continuar batendo de frente com quem mesmo? Ora, pois, com as desigualdades e desníveis sociais, ora essa!

 

Ah, sim! Ia quase me esquecendo de filosofar por um breve, aqui, assim: Por vezes, tão vagamente, divagamos também com a mente. Até mesmo com a dor que tão vagamente fingimos não sentir, mas, que tanto sentimos. Já quanto à ´´Lei dos Contrários e Prontos´´, talvez devo mesmo estar seguindo da direção certa. E quiçá, ainda bem que tenho muiamigos que quase sempre me indicam uma nova direção s ser tomada! O que mais estiver sobrado pode ficar mesmo por conta dos calçamentos e desníveis rotineiros...



Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog: 

´´Não jogar a toalha é que é a questão. Ou será que já zeramos a coisa para melhor passar?´´

1.2.3.4. Placar final 4x3 o que já se era imaginado no que se podia ter se tornado o ´´Julgamento do Século´´ no Brasil. Claro, como nunca antes! E não foi, repetimos, como do esperado aguardado sobre a cassação da ´´Chapa Dilma&Temer 2014´´ pelo TSE deu no que deu. Aplausos para o glorioso e impiedoso Supremo que emplacou mais uma. Não fosse a perspicácia do seu relator ministro Herman Benjamin a saraivada de denúncias teria ido aos extremos.

Nesta fala, o duro é que todos sabiam – e sabem – de provas não incluídas da Odebrecht no então processo e que manterá a cobertura de novo embate, agora, ou talvez, para a Câmara dos Deputados resolver. Página virada? Esperamos que não, principalmente por parte de ´´supremos dispostos a lutar pela verdade´´, como de Gilmar Mendes ou do ´´degolador´´ Nicolao Dino, só para registrar na lista dos seus entendimentos. Página virada, claro que não.

Um governo ungido à base de caixa dois, via caixa um, a indicação só podia mesmo ser aquela da propina institucionalizada que beira o país! Candidaturas então bancadas por meio empreiteiras temos às dúzias perdidas de notícias. Coisa que eleger mais alguém, por exemplo, numa geral para 2018 deve também entrar na pauta de interrogações. Tanto que os nossos políticos enrolados com denúncias na Lava Jato querem o pacote fechado. ´´Você vota em um deles e leva uma bagagem de ´malas´ por completo´´. Vale a confiança para entrar neste futuro ringue, do jeito com que a coisa – emperrda – da máquina caminha?

1.2.3.4. Um brilhante Quatro a três até mesmo daquilo que sabe-se como fraudado mas que muitos vão preferir levar para a sepultura de outras falcatruas politiqueiras. Ou que só faltam dizer que o jogo é limpo? Daí outro porque da frequência repetitiva de que está tudo declarado no Tribunal Eleitoral. Negar as acusações, balelas até mesmo por conta da carne ($) que é fraca. O povo é que se vire para pagar-lhes as contas até o útimo dia D suas aposentadorias. Afinal, somos obrigados ainda a votar. No obrigatório da lei que tange e tinge o país em furtas/grosseiras cores, timbrados, caleidoscópios e mesmo nos afins!

Numa breve filosofia de ponta de estoque, aqui, pessimista e cético por natureza que sou: ´´Quanto a esperança? Ora, igual a um pisca-pisca de lojas de fast foods de esquina! Ora apaga, ora acende e pisca! Por vezes parece que só pisca. Vai que dias destes soframos mais uma noite de apagão em rede nacional´´...

– Mas como, Abuelito, não fizeram novo pedido de vista sobre isso? Nem mesmo de vistas grossas e deixar a coisa descambar ladeira abaixo desse jeito? Principalmente no Brasil que está voltando aos trilhos, com mais de 14 milhões de desempregados, as reformas aí pedindo passagem na voz do presidente enrolado, senadores, suplentes ´´malas´´, carregando malas de propinas...

– Por ordem do assunto, o que mais pretendem é zerar os zeros. Tanto os da direita como aqueles da esquerda, e fingir que tudo de agora em diante vai correr bem. Até mesmo com aquelas que se espremem pelos meios sem fim! Vai vendo, mas só não joguem a toalha para as tais vistas além daquilo que esteja mais embaçado!
Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista 
www.facebook.com/celsocolunista

´´... Mas e quanto a chapa Eleitoral 2014 ´Temerr&Dilma´, sai ou não sai? Vai ver que muita gente ainda deseja continuar naquela casa (undecimal) do ´´Ih!, eu também não sabia´´. Principalmente por causa das divulgadas empreiteiras que bancam os quatro continentes! Se é que não inventaram mais um – feito um ou outro ´´Planeta Cósmico Financeiro´´ apareça de mansinho por conta das investigações da Lava Jato. E o nosso aguardado INSS lá atrás ora fraudado ia ficar de fora dessa? Vai que mais algum deles, por um fio só ($) de bigode, não soubessem de mais essa!

Perguntinha básica ou quem sabe até de áudio – à distância? – na boca do contribuinte é a que sempre amanhece: ´´Será mesmo o Brasil ponto de referência da propina? Dando um banho de golpes nos demais países desenvolvidos nesse quesito. Quanto mais se mexe, mais aparece.

A propósito do que seja também um mero lógico ´´Control V´´, o que mais podemos definir por linha de base aquilo que tamanho se opõe à lógica, à razão? Segundo a boa voz gesticulada presidencial de Michel Temer, chegamos ao fim da recessão. O pior da crise de todos os tempos já passou. Isso (idem) segundo concordâncias afirmativas e bem incisivas de seus ministros apontados em denúncias. Ora essa! Citam apenas oito deles em meio a fatores próprios e impróprios aos outros que seguem o sete ao composto dos noves. Fora, né!

Desculpem, nunca fui mesmo um expert em fazer contas junto aos mínimos, múltiplos até incomuns! Quanto ao bolo maior da armação, do fundo do buraco, sabemos bem quem deve arcar com a despesa a ser novamente coberta. Como se esse cenário já não tivesse sido assistido em outros governos.
Ora! Se não é oito, jamais será coisa de oitenta para quem tem seus salários milionários garantidos enquanto a pasta das nossas finanças aponta para a seta da queda da inflação. Certamente, somos ainda 14 milhões – ou mais – na sala do desemprego e que tanto eles prometem melhorar, do país não derrapar outra vez nos trilhos. Quanto mais em aumentar o grau de pessimismo dos sem carteira assinada.

Ademais e para o fechamento desta e por mais quantas no montante da mágica dos números que eles divulgam – milhões, bilhões – carregados em caixas dois até de sapatos, empilhadeiras (salvem as propinas das empreiteiras, que a tantos elegeram: ´´Há coisas que costumamos pensar durar sempre. Tanto que alguns até arriscam persistir nisso com extrema convicção! Já outras se esfarelam facilmente nesta mesma linha, digamos, de acondicionamento!

– E é osso mesmo!


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista 
www.facebook.com/celsocolunista

Nem Proteu, nem Prometeu, quanto menos Orfeu!

Mitologias que fiquem um pouco mais à parte para os personagens – políticos? – que velam por nós cotidianamente, por que falar grego se tão bem sabemos nós da deidade titânica-Brasil como estamos sendo tratados? Exemplos supra supremos de verdades e inverdades chegam aos nossos ouvidos como nunca antes. Na história deste país, claro. Como alguns arriscam, Lula na liderança. Não apostamos de onde, quando nem porquê.

Agora se deu a louca até por conta de alguma falsidade cronológica, próximos do que seja de ideológico, presos e mandantes do crime declarado, por aqui, agora são vítimas! Aliás, viraram vítimas com o aval de ministros de tribunais e tudo. Mecanismos de uso imediato viraram ordem assinada e rubricada do dia. E hora de libertar mais figuras enjauladas quando arriscam palavras como de ordem (sempre ela) e crescimento.

Abre aspas. ´´Vamos tirar licença médica para qual aliado ministeriável renomado de governo nesse dia´´? Fecha aspas. Isso antes que mais celebridades da tal Casa e dos Três Poderes queiram ´´limar´´ mais a vontade e o clamor da população que parece não valer mais quase nada. Devemos novamente ir para as ruas com milhões de braços dados, ou ficar esperando julgamentos que não dão em muito no bico? Ou que se apresentem de copo presente aqueles corajosos responsáveis pela tal da Justiça que tarda – ah, e como tarda – e permanece engavetada. Se ficar (ao que indica) o bicho já cansou de pegar!

Para quem pegou na jogada do que estamos falando por essas entrelinhas, algum gol pode (e como) vir de placa! O Bruno na soltura da arena? Outros casos que sejam menos emergenciais que permaneçam na fila. Pretendendo, nessa nova leva de solturas, soltem uma vez mais até Barrabás! Ou, que o Kraken resolva respirar outros ares por oceanos!
Bolas, se nossa lista de escândalos é das mais crescentes, como combater a corrupção amplamente declarada, a pobreza e os baixos níveis de qualidade daqueles que mais necessitam. Tanto que ouvimos falar que seja bem capaz de presidiários ganharem aposentadoria por tempo de cadeia! E só para não deixar de grifar, R$ 10,2 bilhões/ano são destinados ao Congresso – na maioria dos casos para baterem boca. Qual Partido livre de denúncias fica impossível daqui ser apontado.

Fato é que se muita água – e principalmente poeira – ainda vai passar por baixo desta ponte, sem descontar os engasgos da sociedade que não serão poucos, disfarçar que tudo pareça estar com o Pib versus Selecic/Inflação nos pinos, bolas, nem na pele de Proteu, nem dePrometeu, quanto menos Orfeu! Na sobra é ir procurar acertando os eixos de sobra e no que faz jus a eterna briga pelo poder em nome dos nossos titãs (supremos julgadores) em pleno exercício das suas funções.

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Segundo os nossos nobres ministeriáveis – aqueles bem mais ´´entendidos´´ – desse nosso (des)governo, a Ordem é enxugar os gastos, conter os ´´custos´´, ´´enxugar a máquina´´ emperrada, para que o país volte a crescer. Entendemos por meados de que tal crescimento! Certamente, não por parte dos nossos políticos corruptos atuantes com que contamos. Ora, se o enxugamento da máquina não segue o exemplo, seguir quem a de? Como sempre, a coisa vem do mais Alto Escalão, da ´´grã-finagem´´ garantida que consomem do bom e do melhor durante reuniões. Acreditamos nisso.

Quanto ao Sergio Cabral, bolas, esse só não descobriu o caminho das pedras porque não tinha mais. Porém, ora preso, não perdeu ´´parte´´ das suas regalias. Já o ´´Bob´´ Eike Batista, por certo, seguiu mesmo caminho das Minas do rei Salomão além dos galões de petróleo escasso! E qual mais ´´presidenciável´´ que não enganou o povo brasileiro, como por exemplo, querendo dar cabo da Lava Jato? Bem sabemos com aquilo que não há mais o que Temer. Quem mais? São muitos os outros beneficiados, idem, ora e sabemos.

Daí quando volto a perguntar sobre os nossos Excelentíssimos da Casa quem sabe mais vigiada do país. ´´Mas de onde diabos a grande maioria deles foram inventados?´´ São mímicos até por conta de virtudes compradas em nome do voto obrigatório? Por acaso eles tem papas - de sobra? - na ponta da língua para negar todas e quaisquer acusações? Sinceramente, ateu e pessimista que ando poupo a resposta transformada em pergunta.

Ah! Sim, ia me esquecendo! Conforme declaração do nosso presidente esses dias todos os ministros apontados em denúncias serão sumariamente afastados dos seus postos. Daí o porque, então, de apontar que vão deixar um vazio imenso em Plenário. O que vai também sobrar espaço para os que sobrarem andar distribuindo cafezinhos de bandeja. Valeu o recado versus o ´´oba oba´´ da vez?

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Filosofia de ponta – de estoque – ou não, podemos concluir quem tem oras que sim, tem oras que não. Tato que viciar em algo que não leva a nada não deve ser uma constante. Porém, não custa dizer que seja de tarefas das mais difíceis assim. O que também leva a observar o ponto de onde se partiu talvez até para não se perder nas contas! Falei? Um, dois, três...

Coisa que por hora ainda persista a dura e inevitável missão de se encontrar a agulha fincada no palheiro, talvez (idem) acolhamos, ´´mas onde diabos está escondido o tal palheiro? Só não duvidamos que surpresas costumam também ser sempre bem vindas. Tanto que por parte do governo o índice de repetições taxativas de que vamos crescer alguns ´´zeros/vírgula alguma coisa´´ neste começo de ano turbulento de 2017 é o de sempre. Nossos ilustres ministros Elizeu&Henrique andam iluminados na projeção que é uma coisa na onda (há quem aposte) de operações tapa buraco quando tudo parecer mais estar é descendo ladeira abaixo. As decisões pesadas, amiúdes, ficam por conta do gesticulador/mímico do Michel Temer tão decisivo na hora de nomear novo ministro Supremo. Mas quem, se a denúncia pesa na balança federal?

Voilá! Dente por dente, dentadura por dentadura – postiça, né! E isso é fórmula básica daqueles que parecem não estar apontados em nenhuma ´´Operação´´ e que querem tirar o pescoço debaixo da guilhotina da pagadora de propinas, a Odebrecht bem como a Petrobras , OAS, entre outras. Infelizmente, não temos muito para onde fugir quando a malha fina de tributos tem de ser paga pelo acuado contribuinte ou que ainda falam em ´´Cofres Públicos´´. Arrecadar dos pobres para dar aos ricos sempre foi preciso, não fujamos à quebra de regras, por favor. Somos uma democracia que não escapa às desigualdades sociais, hã!?

O sistema continua falido, a maquina emperrada em pleno emendar século 21, quando o montante de atrasos somados: Saude, Educação, Segurança, Moradia, etecetera, coisa e tal passam sempre batidos. Ou que se vivemos o transe de fusão de ´´Alcatraz versus Alcaçuz´´ quantas autoridades de governo já não sabiam do pavio aceso de quadrilhas organizadas? Parece mesmo, isto sim, que não crescemos quando as coisas ficam (?) mais fáceis! Os desafios continuam para que tenhamos progresso!

Agora se os dias parecem mesmo virar séculos quando andamos em círculos, onde está (centrada) a saída de emergência em andamento? Apelemos para algum recall de grau menos progressivo de Mr Magoo com o que mais de vergonhoso e desastroso que vivemos a pão e água? Wow! O Brasil precisa voltar a crescer! Michel Temer não pode cair na prórpia armadilha! O Mc Donald Trump está no mais alto poder mundial! Vai que ele resolva apertar algum botão, bom!

Pois sim, com o recesso dos nossos ministeriáveis mais apontados, apostamos em alguma ´´folga´´ no andamento da corrupção frente a Lava Jato. Com a morte do Ministro Teori Zavascki soa nos ar e bem alhures sobre uma possível teoria da conspiração! Como se isso já não existisse por aqui desde então, lá longe, muito longe, muito além, bem além e de quem mais promete mostrar serviço – já devidamente encomendados aqueles de outrora, no poder, encharcados de lágrimas encomendadas! E vamos lá, minha gente, circulando – e de olhos super abertos!

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Mas afinal de contas, quem é que paga sempre as contas – só para não doer nesse início de conversa de 2017 – por parte do governo? Adivinha quem? Grife-se lá, ´´esse tamanho do rombo não é meu´´, por certo rosnaria logo de cara algum herói da resistência ao final da fila para não perder a viagem, ouvindo a voz do ´Mago´ Ministro Elizeu Padilha que tudo vai se acertar. Não fui eu quem gastou demais daquilo que enormemente se arrecadou, torrou e embolsaram até aonde não deviam. Luz para o ano que se inicia além dos escândalos em escala progressiva, mortes nos presídios etc. coisa e tal...

Segue o esquema. O que é para mais também pode ser para menos e/ou na banda dos calotes forçados, certo?
Por outro lado, favor não esquecer, dizem que é melhor prevenir do que intermediar como saber parcelas. Principalmente quando entramos no patamar da prioridade máxima ao que já era aguardado acima de uma tragédia anunciada. Dinheiro público? Ora, pois! Só não toquem na ferida, por exemplo, do que seja lá auxílio moradia em apartamentos funcionais para parlamentares quando a ordem é conter o que mesmo? Sim, os gastos. ´´Os nossos políticos vivem num reino´´! Custo zero para eles, coisa que esses não precisam meter as mãos nos bolsos para nada. São nossos escolhidos representantes, ora, ora, ora!

Agora, maiores linhas de expressão para surpresa da população que vai à luta, os verdadeiros filhos da pátria que a tanto relutam, quem duvida!? Claro, rugas e mais rugas de preocupação se avolumam, além dos mares e das marés de asfalto cor de terra, cor de cinza que se levantam dia a dia. Maré baixa não é maré alta talvez até devamos abreviar num lapso de segundo.

Como? Segredos de um bom planejamento financeiro e que temos de compreender a sazonalidade que afeta o nosso bolso a cada início de ano? Compreender é possível. O duro é ir quitando para quem está de bolsos vazios, desempregado, comendo o pouco que o padeiro amassou – à espera de um milagre. E ergam os braços aquele que não estiverem com os nervos endurecidos, para lá das alturas. ´´Valhe-me Deus´´...

Mas, na lista, o de sempre: PTU, IPVA, Matrícula, Compra do material escolar, do uniforme, sem esquecer do ´´cachorro quente´´ na merenda de cada jornada. Dá para querer escapar também um tanto assim – ó – quanto a ordem do ponto ou banca? Enfim, ano novo e tudo de novo! Salvo no teclado e das ferramentas de trabalho ao que mais vem em alta. Sempre!

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Não vai sobrar parlamentar sobre parlamentar, alerta aquele conselheiro de tão Honrada Casa. Afinal, precisamos repaginar o país, dar uma nova fisionomia e uma roupagem de crescimento sério. Sorriam. É tiro para tudo o quanto é lado desta vez. O principal – óbvio, em terras do nunca antes –, é que não há uma alma viva exercendo mandato por aqueles gabinetes e que seja culpada. Mas por favor, a nossa respeitada política Brasil ainda tem alguma chance quando sustentam que as reformas estão a caminho. Conspiração só do lado da Rússia com o Mc Donald Trump! No Brasil só precisam passar uma borracha no passado que passa a estar tudo limpo. Boas relações, hã? Nada de abuso de autoridade, se é que não fomos Renan e devidamente avisamos pelo Supremo!

Mas como, se nobres indiciados pela PF em ações criminosas, fraudes, compras de votos, ameaças, arrependimentos, cidades sem lideranças, coisa e tal chegam aos nossos ouvidos o que mais além de oferendas vencidas esperamos para este final de ano? Uma ceia extra remodelada?

E vai que essa também é sua, ministro Eliseu Padilha, porque até o Michel Temer pede urgência, urgentíssima na malha fina da coisa. Pois, a voz do bom político, ora, ora, ora, continua sendo a voz do político honesto que não tem nada a ver com pedidos de caixa-2 àquela conhecida ´´Empreiteira Propineira´´, que embolsou a muitos.

Lembremos, por aqui, não podemos sequer descartar, deixar de absolver réus e mais réus abertamente denunciados e que podem virar presidente segundo pesquisas! O que nessa vale até de advogados lulísticos em acabar – vez por outra – bate bocas com juiz Moro. Tudo a exemplo de que Lula ainda esteja livre de qualquer suspeita. O petista mais honesto que já circulou por essas terras não tem para ninguém.
Ou será por que diabos ainda apostam que muita água – e poeira – não vai passar por baixo dessa ponte? Quem sabe lancem breve dizer de slogam, ´´olho por olho, dente por dentadura´´. Não raro, não devemos negar, ainda, de algum banguela na ala de delator possa dar com a língua nos dentes! Democracia tem disso!

Já quanto a ter-se nesse exato momento (e também) o ´´juízo´´ perfeito de tamanhas discussões ficam a desejar. Por aqui, isto sim, o duro e ´´dificílimo´´ é encontrar qualquer Partido que não tenha herdado seu bom puhado ($) além dos caixas e bandejas recheadas de ´´verdinhas´´ de empreiteiras famosas, da mais alta confiança. Aquilo que (idem) seja base de algum superlativo na casa do ´´dificultante´´, ´´dificilérrimo´´, nós jogamos para os discursos de púlpito, de entregas de farpas, acenos e beijos de quem quer tirar o seu da reta.

– Então classe! Vamos à primeira chamada das delações da vez, juntamente com as denúncias acumuladas em andamento? Por codinome, e preferindo, só queremos que ninguém fure a fila, nem bata a boca na ponta do ´´Balcão da Empreiteira´´ em meio às desculpas: ´´Ferrari´´, ´´Babel´´, ´´Justiça´´, ´´Boca Mole´´, ´´Misericórdia´´, ´´Aleluia´´...


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista
Área de anexos

Só para não passar em brancas ondas nuvens que em épocas remotas tal arte seja mesmo para poucos, saber empregar é preciso. Empreender é por demais mesmo que o fechamento do caixa não seja lá esse brilho todo. Sinais de crise – só o das maiores ao menos encorajador. Sinal de arrocho dos piores. Mas vai passar...

E tal ainda o breve confrontar de que a coisa não está fácil para ninguém nem mesmo do grão que outrora enchia o afogado saco hoje temos poucas notícias de multiplicação. Milagre? Da oferta pão e circo em épocas pós o calendário eleitoral 2016 agora as expectativas até por conta de Partidos vitoriosos tidos por minúsculos fica a pergunta do que será mesmo o amanhã. Claro, a onda s ser seguida na linha de cortes. Quando setores e pastas devem cair pelo menos na sua metade. É o que alguns dos prefeitos logo de cara prometem. Contenção de gastos, certamente. Isso até para a onda de encontros ministeriais onde o sabor do quibe cru, do camarão congelado empanado passam longe das badejas de ofertas. Digamos, na sessão boca livre.

Agora, se pela ordem do grande número de votos que não entraram na soma geral mostra uma boa parcela de por quantas baixas anda – e respira – a nossa política Brasil. Dos finalmente? E por que não adotar o voto livre se é o que muitos brasileiros desejam. Democracia, oras bolas! A decepção por essa ou por aquela liderança sempre vai deixar uma brecha a ser tapada com a desempenadeira para o pleito seguinte. E isso não é de hoje como daquele partido que soletramos por ´´Humano. Social´´, a cartilha deva mudar.

O que vendemos, afinal de contas? Algo que dentro do mercado de bugigangas e afins sempre pesam na balança. Em final de feira nem se fala. Promessas milagrosas, emergenciais, primordiais, que expectador deste lado da plateia não deseja? Pois ninguém quer viver à míngua, ao ´´Plano Zero´´ feito aquele Partidão 13 que em uma época teve tudo para dar certo não fosse a ganância – e venda milionária – do poder. Propinas em excesso para ele quando tudo está declarado, é o que sempre respondem na ponta da língua presa. Daí onde podemos dizer no sentido de seguir o exemplo.

Enquanto isso, qual o dito que no país das investigações alguns capítulos tomam continência, o Supremo sempre em evidência, quebras de decoro surgem numa contante por conta de Vossas Excelências. Quem paga o pato? Sapos, todos engolimos e não é só por conta das pérolas que veem do Senado/Câmara, não! Haverá justiça por aqui, hã? Diferenciada alguns até opinam bem como andam as falas e negociatas do dia.

Perguntinha básica aqui entre nós, o Renan Calheiros fica na presidência da Casa sempre em xeque mate para um bom observador? Já que ele destemperou a língua outro dia, bom, o povo talvez vibraria melhor se houvessem resultados imediatos pelos Senhores das Togas. Vender o peixe, todos vendemos. Todos nós queremos. Precisamos. Só que a arte é para poucos, bem pouco. E não adianta querer entrar no mérito aqui daquele dito do ´´Maior vendedor do mundo´´ que não rola. Passemos adiante, sim?


Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista  
www.facebook.com/celsocolunista

Coisa que enumerá-los por aqui conforme o tamanho do rombo seja menos passível na casa dos ´mi´´, dos ´´bi´´, quem sabe de alguns mais astutos, chegando à invejada casa dos ´´tri´´., heim? Enfim, do total de ´´Operações´´ até então realizadas, enumerá-los cabeça a cabeça, impossível. Via de regra, é do bem dizer que ´´ladrão que rouba ladrão continua ladrão do mesmo jeito´´! Ou será que eu estou redondamente enganado?

Ora, ora, ora! Não fosse de heróis profissionais da PF em serviço tudo o mais poderia – e estaria – plenamente correndo às 1001 Maravilhas para eles.

E lá pode imaginar o pobre povão aquilo que seja o empilhamento de 128 mil notas novinhas em folha? Por certo só mesmo na imaginação junto a famosa ´blasfêmia´ que sempre surge no canto da boca bem como o arregalar dos olhos: ´´Nossa, que horror, que patifaria, que escândalo´´ e etecetera e tal. Tanto que o Zé Dirceu chegou a pedir soltura para continuar a tocar sua vida, tocar sua nova labuta de trabalho honesto, ir para a fila do desemprego, suplicar uma vaga ao RH e de olho no futuro. Óbvio, de responder sua pena em liberdade!

E vá! Que bater cartão diariamente só vendo o sol nascer quadrado não deve ser nada mole, não! Captamos a mensagem do então ex-ministro ora ´arrependido´, outro dia, ao Juiz Sérgio Moro, que vem limando tudo? Isso sem deixar um recentemente e meio que ´abatido´ Antonio Palocci que arma sua defesa com hábeis adivogados convincentes. Aliás, para que ficar apontando e delatando infratores? São pessoas honestas, de índole, de passado, de bem...

Em outro capítulo recente, a ´´tomada´´ da Polícia do Legislativo. Atentemos. Por onde, na voz do também denunciado/investigado Renan Calheiros para com Moro, ´´Um juiz de meia tigela, para mim ele não vale nada´´. Falam o que bem (e não, idem) entendem e depois vão se encostar nas costas Supremo que, ironicamente, arquivam tudo. Ou será que o velho dito de ´´cutucar a onça com vara curta´´ conta agora com outros elementos de defesa. Repetimos do que falam o que bem entendem e não entendem nada? Favor não pular o Cunha, sim?

Chamaram ao episódio de ´´limpeza de provas´´ também de conhecidos senadores como Fernando Collor, José Sarney e Gleisi Hoffmann! Isso sem deixar os levantes de abuso de autoridade para quem – rouba? – mas tem foro privilegiado até quando permanece de bico calado. E tem mais! Muito mais e que pode ser reprisado a toda hora e a qual parte do dia. Pegadinhas. Tira teimas além dos detalhes adicionais e de quem mais queira limitar as atuações da Lava Jato. Esse empecilho na vida de todo bom corrupto sempre em ação!

– Métodos fascistas? O que são ´´métodos fascistas´´ que o tal irritado presidente do Senado, Renan falou da boca para fora sobre a Polícia Federal, heim? Não tem papas na língua a Vossa Excelência? Ele está acima da lei, feito outros privilegiados, quem sabe do ´codinome-Amigo´, altamente enriquecido, e que continua não sabendo de nada?

– Verdade é que muitos perderam foi a noção do tempo! Parece até que em conjunto, porém separados, e querem mais terminar as carreiras engolidos pela própria língua. Coisa que mesmo das goelas e papas curtas, querem mais, isto sim, driblar o poder e continuar contando seus mais altos pontos! E vamos lá ver e tentar acompanhar daquilo que possa acontecer de hoje para amanhã. Afinal, já que balelas temos aos montões, o desfecho ainda está muito longe de acontecer. Muito além dos ´´chefetes´´ em ação! Vai vendo e é só ir clicando...

Celso Fernandes, jornalista, escritor. Colunista de Moda, TV e Literatura. Assessoria de imprensa. Blog:
Follow me: http://twitter.com/celsocolunista
www.facebook.com/celsocolunista



Twitter