NATAL PRESS

Não acredito porque simplesmente ouvi
Não acredito só porque está escrito
Não acredito estar certo o mais bonito
Nem mesmo sei o que é certo e o que é errado
Também não sei o que é viver no pecado
Nem acredito só porque é tradição
Sopesando com a força da razão
Ajudar ao próximo é sempre meu bem maior
É assim que consigo viver melhor
Fazendo sempre o que me dita o coração

Não faço nada no ontem nem no amanhã
Nos outros dias eu vivo intensamente
No meu viver trago sempre em minha mente
Que a vida é breve e existe pra ser vivida
Por isso sempre eu impinjo em minha lida
Muita alegria, esforço e dedicação
Busco viver nutrido de satisfação
Viver o hoje é o que mais me interessa
Eu vivo assim, benfazejo e sem pressa
Fazendo sempre o que me dita o coração.

O que eu penso das cores?
Eu mudo a cada momento
Tiro, ponho pigmento
As vezes as quero vibrantes
Outras prefiro brilhantes
Sempre na hora devida
Alegre ou deprimida
A alma é minha paleta
Meu pincel, minha caneta
Que influi no colorido.

Tenho direito de ser triste
E muito mais de ser feliz
Não interessa o matiz
Cada instante é uma cor
E se o caso for
De realçar a beleza
De se demonstrar firmeza
De se desejar bonança
De sonhar, ter esperança
Sou verde, sou natureza.

Mas, se estou numa fase
Que exija serenidade
Transmito paz, sou verdade
Busco contato com o céu
Se é este o meu papel
É o que busco passar
E, se posso colaborar
Eu abro meu coração
Aí sou música, sou canção
Sou azul da cor do mar.

As cores são sentimentos
Influem no rir, no chorar
Se é tempo de cantar
Eu cantarei, com certeza.
Não importa ter destreza
O todo é que faz o belo
E com a alma eu pincelo
Uma nova cor com alento
E brado junto ao vento
Eu sou o sol, sou amarelo.

Mas se a mente detecta
Desejos, amor, paixão
Coitado do coração
Que não sabe disfarçar.
Começo a gaguejar
Me olho sério no espelho
Com meu eu me aconselho
Olho em volta, busco abrigo
Ligo o alerta do perigo
E dou meu sangue, sou vermelho.

Acho o escuro e o silencio
Indutores do pensamento
De quem busca aprofundamento
Na análise de suas ações.
Cresço nas reflexões
Pois volto amadurecido
A Deus fico agradecido
Aceito o cinza, sou franco
Que é pra tornar de novo branco
Pronto para um colorido.

Foi a escola da vida
Que tudo me ensinou
Que me trouxe a onde estou
E me dotou de saber
Aprendi a conviver
Com o bem, com a maldade
Com a pluralidade
De ideais, de pensamentos
De emoções, sentimentos
Com a mentira e a verdade

Foi a escola da vida
Que me tornou crente e cético
A nunca ficar patético
Ante ao sagrado, ao profano
A entender que o ser humano
Vive em franca evolução
E que às vezes perde a razão
Atenta contra seu eu
Feliz de quem aprendeu
A enxergar com o coração

Aprendi com meus percalços
Meu cair, meu levantar
Vivo sem medo de errar
E num eterno aprender
Assim pretendo viver
Condenando a esperteza
Buscando sempre a beleza
Nas várias situações
Sendo sempre minhas ações
De respeito à natureza

Entendo ser a natureza
A casa que me acolheu
Por isso o respeito meu
E meu cuidado em preservá-la
Aos meus pretendo deixá-la
Para que na posteridade
Não exista dificuldade
Para um salutar bem viver
O caminho a percorrer
É a SUSTENTABILIDADE

Coitado de quem não conhece o orgasmo

Este clímax do prazer e da euforia

Sua ausência chama-se anorgasmia

Muito triste para um nome tão pomposo

Privar-se de algo tão maravilhoso

É algo que não consigo perceber

Exercito sempre em meu viver

A busca deste momento intraduzível

Que reputo como o prêmio mais incrível

Da entrega do amor ao prazer.

O Papa Francisco Primeiro
Com o seu sorriso cativante
Tem de forma irradiante
Demonstrado seu saber
A sua forma de ser
Denota acuidade
Sua sensibilidade
Faz-nos crer em algo novo
Faz ressurgir a fé do povo
Com grande intensidade

Quer a igreja nas ruas
Não quer acomodação
Irmão ajudando irmão
Sem pressa para ouvir
Ele que reconstruir
A paz, a fraternidade
A família, a amizade
Nossa fé em Jesus Cristo
E talvez seja, por isto
O Papa da Humildade.

O combustível do amor
Eu acho ser a verdade
Que aliada à liberdade
O torna alicerçado
Dando ao amante e ao amado
Asas para voar
O prazer sempre é voltar
O outro é seu complemento
Que tem a cada momento
Motivos para ficar

A confiança, a renúncia
Favorece a convivência
O amor na sua essência
É mais que uma aliança
O excesso de cobrança
Não leva a lugar nenhum
Não há motivo algum
Pra ciúme em demasia
O segredo é a harmonia
Para uma vida em comum

Tudo é subjetivo
Não existe regras no amor
E não me venhas por favor
Com segredos, nem receitas
Não existe fórmulas perfeitas
Para a arte de amar
É compreender, renunciar
Valorizar cada momento
O diálogo é o alimento
E o ouvir mais que falar

Conviver em harmonia
A relação não desgasta
O malfazejo afasta
Quem só pensa positivo
Tem que ser compreensivo
Entender, ter humildade
Plantar pra colher verdade
Ter confiança, sem medo
Se a vida tiver segredo
O nome é simplicidade.

É o carrossel do destino
É tudo que fiz e vi
A forma como vivi
Colheita do que plantei
A forma como sonhei
O meu duvidar, o meu crer
Meu tropeçar, meu morrer
O meu andar, meu cair
Meu duvidar, o ressurgir
Minha forma de renascer

Vivi meus altos e baixos
A sorte vai, mas retorna
Sem equilíbrio o caldo entorna
Mas, é fácil recomeçar
Saber cair, levantar
Torna mais firme o crescer
E a alegria do bem viver
É praticar no dia a dia
O sorriso, a alegria
A certeza do renascer

O carrossel do destino
Vai seguir sempre a girar
O céu não vai desabar
Por um percalço da vida
Nem apressar nossa ida
Exercite o seu saber
Pois cair não é perder
O caminhar tem seus tropeços
Tem sempre um recomeço
No ressurgir, no renascer

Picos, vales, montanhas
Não nos fazem tropeçar
Firmeza no caminhar
Nos detalhes, atenção
Confiança no irmão
Mas força no bem querer
E se forte queremos ser
Sejamos limpos, sem entulho
Pois as vezes nosso orgulho
Dificulta o renascer

É normal o sobe e desce
Do carrossel do destino
Vá do fosco ao cristalino
É hora de renascer
Mas só renasce quem crer
E reconhece a dor
Quem acredita no amor
O sofrimento ameniza
O seu sonho realiza
Ressurge com o Salvador

Pra chegar temos que sair
Pra sair temos que entrar
Tudo é recomeçar
É forma de reviver
É batalhar pra vencer
Valorize o que é seu
Nunca ache que perdeu
Cada um faz seu destino
Tire da vida o ensino
Pra alimentar seu novo eu.


Quando o urgente me impede
De me ocupar com o importante
Se o tempo é determinante
Relaxo e sigo em frente
Cônscia está a minha mente
Em tudo eu acho um sentido
E nada é descabido
Tudo tem razão de ser
É assim o meu viver
É como eu tenho vivido

Sem pressa, sem atropelos
Tudo é prioridade
Não me ligo na idade
Eu faço tudo que posso
Deus só dá o que é nosso
E me orgulho em merecer
Nas entrelinhas posso ler
Qual é a minha missão
Me entrego de coração
E busco o bem viver.

Uns chamam de teimosia
E de inércia também
Querendo ir mais além
Eu chamo de esperança
Até onde a mente alcança
Vou e sou determinado
O tempo é aliado
De quem é um sonhador
Faço tudo com amor
Sou esperançoso abnegado

A crença emocional
Que chamamos de esperança
Tem na perseverança
Sua maior aliada
Sem ela resultaria em nada
A alma ficava vazia
Então em desarmonia
Com a paciência e a fé
Desformaria o tripé
E o sonho desabaria

É valioso sonhar
Ser utópico, esperançoso
Ser paciente, teimoso
Persistir na esperança
Não haveria pujança
Na busca da paz e do amor
Não se combate o temor
Se a esperança agoniza
Ela é a perspectiva
E o prazer do sonhador.

Com alma de tecelão
Lido com as tramas da vida
Minha vida é colorida
Pelos pincéis da emoção
Corro, fujo da razão
Se o coração assim diz
Sou fruto, sou flor, raiz
Sou caule e sou semente
Eu cultivo em minha mente
O desejo de ser feliz

O desejo de ser feliz
Eu cultivo em minha mente
Sou caule e sou semente
Sou fruto, sou flor, raiz
Se o coração assim diz
Corro, fujo da razão
Pelos pincéis da emoção
Minha vida é colorida
Lido com as tramas da vida
Com alma de tecelão.

Celso Cruz (Brocoió)



Twitter