NATAL PRESS

'Fora dos trilhos'

Disseram-me que com a idade
A vida perde a direção
Sem bussola e sem timão
Perdemos-nos no navegar
Fica o nosso caminhar
A depender de neto ou filhos
Tudo vira empecilhos
O corpo de tudo reclama
Tudo excede a “medida”
É como se a nossa vida
Saísse fora dos trilhos

Só, que com “a vida fora do trilhos”
Posso ir a qualquer lugar
Posso cantar, sorrir, dançar
Extravasar minha alegria
Posso amanhecer o dia
Sempre em um novo caminho
Receber, fazer carinho
Voar como um rouxinol
Dormir ao nascer do sol
Dentro ou fora do ninho

Seguir minha intuição
Dormir até acordar
Viver sem medo de errar
Nada é muito ou demais
Aos acordos sociais
Darei a importância devida
Mas eu que darei a medida
Dentro do que eu achar certo
Do que achar mais correto
E que der mais sentido a vida

Com os filhos criados pro mundo
Calarei a voz da razão
Só ouvirei o coração
Afinal o destino é meu
De mãos dadas com o meu eu
Me jogarei mundo afora
Tendo o aqui e o agora
Como objetivo do viver
Sorrindo sem padecer
Do medo de ir embora.



Twitter