Prefiro o espelho interno

Onde o meu eu é refletido

Onde não sou abduzido

Onde eu sou o que sou

É nele que sempre vou

Aquilatar o meu viver

Aonde busco o saber

Que eu ponho em cada ação

Onde abasteço o coração

Com o rejuvenescer

Não curto o espelho externo

Forjado pelo martelo

Pois ele reflete o belo

Dos acordos sociais

Ele esconde os lamaçais

O caráter não é mostrado

É sempre manipulado

Pra se enxergar o que se quer

O que ele depuser

Estará sempre inacabado

Qual a beleza dos pés

Senão o rumo que é tomado

É no que foi caminhado

Que enxergamos a grandeza

O conceito de beleza

Rico em subjetividade

Não dá credibilidade

Para um relacionamento

Ele retrata um momento

Mas nunca espelha a verdade

Sopesado com a razão

Prefiro o espelho do olhar

Ele consegue retratar

Com a clareza de uma tela

É da alma sua janela

E denota com acepção

Uma completa revelação

Do que no ser está contido

O seu brilho é o colorido

Reflexo de um coração.