Aconteceu com um amigo
Na capital federal
Um fato bem curioso
Veio a fugir do normal
Pois aumentou em muito o custo
De um pretenso bacanal

Contratou ele os serviços
De uma profissional
Até falou a amigos
Ela é sensacional!
Aguardou no apartamento
Até aí, tudo normal.

Tomou logo um viagra
Com uma certa antecedência
Pra fazer a “coisa certa”
E demonstrar competência
E foi assim construindo
O seu ato de demência

Começou a suar forte
Quando a menina chegou.
Eu sou “fulano de tal”
Ele se apresentou
Pode entrar! Fique a vontade...
E logo a porta fechou.

E foi aí que o viagra
Veio a se manisfestar
Esquentou logo as orelhas
Nervoso, pôs-se a suar
Resolveu tomar um banho
E pôr as coisas no lugar

Nervoso, muito agitado
No banho ele demorou
Quando saiu, a surprêsa...
O frigobar ela “zerou”
Veio a consumir tudo!
Nem camisinha ficou
Pois era sabor morango
Ela rasgou e chupou
Diante do desencanto
Não deu outra, ele broxou.

Desencantado, raivoso
Foi somar seu prejuízo
Quando ele me contou
Não pude conter o riso
Coitado... Nosso colega
Além de broxado liso.