Será ele Pinóquio, serei eu Gepetto?

Ao ver seu eleito, meu desafeto,

Conter-me prometo.

De passagem me ocorre o seguinte panfleto

De tão concreto,

Parece abjeto.

Linguajar seleto

E pouco discreto

O truão acalenta  infame projeto

Secreto.

Pretende ser vago mas é bem direto,

Envia um conto , depois um soneto

Devagar bagunçando o coreto....

Ostentando afeto,

Mas quadrado, feito cateto.

Será que politicamente correto,

Quando se diz de paixão repleto?

Desejo esmagar o maldito inseto!

Estranho dialeto

Liquidar este dejeto?

Que triunfo mais incompleto...

Represália melhor arquiteto

Pra liquidar este truque obsoleto

Ao escamotear-lhe da cobiça o objeto.

Humilhado o gajo será... por completo.

Maldade girando no espeto.

Banido por decreto,

Que não admite veto!

 

*Do livro ´´Desespero Provisório´´

Alexandru Solomon, formado pelo ITA em Engenharia Eletrônica e mestrado em Finanças na Fundação Getúlio Vargas, autor de ´´Almanaque Anacrônico´´, ´´Versos Anacrônicos´´, ´´Apetite Famélico´´, ´´Mãos Outonais´´, ´´Sessão da Tarde´´, ´´Desespero Provisório´´, ´´Não basta sonhar´´, ´´Um Triângulo de Bermudas´´, ´´O Desmonte de Vênus´´,(Ed. Totalidade),  ´´Plataforma G´´, ´´Bucareste´´ e ´´ A luta continua´´  (Ed. Letraviva). Nas livrarias Cultura e Siciliano. E-mail do autor: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo." target="_blank">Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..