NATAL PRESS

O Instituto do Cérebro (ICe) e o Departamento de Fonoaudiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) abrem processo seletivo simplificado para preenchimento de quatro vagas de bolsistas para atuarem no projeto de pesquisa “Desenvolvimento Cognitivo e Perceptual nos Primeiros 24 Meses de Vida de Bebês com Hiperbilirrubinemia Perinatal”.

Podem se inscrever alunos que estejam regularmente matriculados nos seguintes cursos de graduação da UFRN: Medicina, a partir do 4º período; Fonoaudiologia, a partir do 3º período; Fisioterapia, a partir do 5º período ou da área de Tecnologia (Ciências da Computação, Bacharelado em Ciências e Tecnologia ou Engenharia da Computação, a partir do 5º período, com conhecimento intermediário ou avançado no software E-prime).

A seleção será realizada por meio de análise do Currículo Lattes, do Histórico Escolar, de uma entrevista e de uma carta de interesse em participar do projeto. A carga horária de trabalho é de 20 horas semanais e os candidatos selecionados receberão uma bolsa mensal, de acordo com a tabela da UFRN.

Os interessados deverão entregar a documentação até quarta-feira, 3 de abril, no Departamento de Fonoaudiologia com o servidor Augusto Souza, ou pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A entrevista será realizada no dia 4 de abril, no próprio Departamento.

A assinatura do contrato para a construção da sede do Instituto Internacional de Física (IIF) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) aconteceu no Gabinete da Reitoria. O contrato foi assinado pela Fundação Norte-rio-grandense de Pesquisa e Cultura (FUNPEC), o IFF e a empresa construtora, no valor de R$ 4.789.944,33, com recursos de uma emenda parlamentar.

Segundo a reitora da UFRN, Ângela Paiva Cruz, a construção da estrutura física do Instituto vai viabilizar projetos de formação e de pesquisa “muito importantes não somente para a UFRN como também para o mundo”.

O diretor do IIF, professor Álvaro Ferraz, falou da expectativa da comunidade científica com essa obra, “de visibilidade internacional”, e afirmou que espera que os prazos para construção sejam cumpridos.

A obra está prevista para ser concluída em 360 dias, a contar do próximo dia 8 de abril, ou seja, uma semana (útil) após a assinatura do contrato. Com projeto arquitetônico de Sileno Cirne Trindade (UFRN), a obra será fiscalizada pela Superintendência de Infraestrutura da UFRN.

alt

O Instituto Internacional de Física (IIF), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), encerra nesta quarta-feira, 27, o workshop Novos Horizontes na Teoria de Campos na Rede.


Cerca de cinquenta cientistas do Brasil e do exterior estão reunidos desde o último dia 14, no Auditório do Departamento de Física Teórica e Experimental (DFTE), da UFRN, para discutir acerca da Teoria Quântica de Campos na Rede e suas aplicações.

O principal objetivo do encontro é alavancar essa área da ciência no Brasil, que ainda está dando seus primeiros passos. As palestras foram programadas de modo a fornecer um quadro de aprendizagem ideal para jovens brasileiros pesquisadores e estudantes de doutorado.


Trata-se de um tema ainda de pouca expressividade no Brasil, segundo informou a professora Tereza Mendes, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da USP, que integra o grupo de coordenadores do workshop.

Teoria Quântica de Campos


A Teoria Quântica de Campos seria uma maneira de descrever os surgimentos e aniquilações de partículas, fenômenos cuja compreensão é necessária para entender tais interações. O evento abordou teoricamente as interações fundamentais que ocorrem na natureza, como o magnetismo e a gravitação.

"Embora a gravitação ainda não possa ser explicada, esta teoria é muito bem-sucedida para o eletromagnetismo, pois permite explicar propriedades eletromagnéticas em um alto nível de precisão", segundo a professora Tereza Mendes. "Por outro lado, sua aplicação descreve a chamada "força nuclear forte", necessária para explicar porque os prótons e nêutrons permanecem ligados no núcleo atômico, garantindo sua estabilidade", completou Tereza.

Nesse último caso, explicou a professora, “os métodos usuais de cálculo falham, sendo impossível descrever propriedades importantes das interações fortes. Já no caso da interação nuclear forte, o estudo da Teoria Quântica de Campos associada à QCD (sigla em inglês para cromodinâmica quântica), pode ser feito sem a necessidade de aproximações usuais, mas por meio da teoria na rede e o estudo por simulações computacionais”, finalizou.

Outras informações no site do evento: (http://www.ifsc.usp.br/~lattice/lqcdschool-iip) ou na página do IIF: (http://www.iip.ufrn.br).

O projeto Cidades Digitais, do Ministério das Comunicações, passará a contemplar Natal. A palavra foi dada na tarde desta quarta-feira (20) pelo ministro Paulo Bernardo, em audiência com o prefeito Carlos Eduardo, que entregou um projeto preliminar para solicitar a inclusão da cidade no programa, que possibilita, entre outros serviços, o acesso livre da população à internet.

O plano apresentado por Carlos Eduardo ao Ministério das Comunicações prevê a implantação do programa inicialmente nas redes municipais de Educação e Saúde. A estimativa é de um investimento de R$ 4 milhões nessa primeira etapa. Depois, o programa seria estendido para outras áreas de uso comum, incluindo praças.

Segundo Carlos Eduardo, o projeto da Prefeitura do Natal recebeu uma boa acolhida por parte do ministro, que pediu apenas que a proposta seja desmembrada, contemplando em separado as escolas, na área de Educação, e unidades básicas e maternidades, na Saúde. “O ministro Paulo Bernardo nos disse saber da situação que Natal passou e saber também que a cidade está precisando de um projeto como o Cidades Digitais”, relatou o prefeito, que foi acompanhado na reunião pela deputada federal Fátima Bezerra e pela secretária municipal de Planejamento, Virgínia Ferreira.

O projeto Cidades Digitais tem o objetivo de modernizar a gestão e o acesso aos serviços públicos nos municípios por meio da construção de redes de fibras óticas que possibilitam a conexão entre os órgãos públicos, o acesso da população a serviços de governo eletrônico e a espaços de uso de internet.

alt

O Centro de Biociências (CB), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), realiza nesta quinta-feira, 21, a palestra “Cogumelos da Amazônia: Bioprospecção e perspectivas”. O evento será ministrado pela professora Noemia Kazue Ishikawa, do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), a partir das 16h, na Sala Faveleira do CB.

Noemia possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), mestrado em Microbiologia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa (UFV) e doutorado em Recursos Naturais pela Universidade de Hokkaido (Japão).

Ela é pesquisadora do Laboratório de Microbiologia de Alimentos e participa da Coordenação de Pesquisas em Tecnologia de Alimentos do INPA. Além disso, é especialista no estudo de fungos, especialmente de cogumelos, tendo publicado nos últimos anos vários artigos e pesquisas sobre o assunto.

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido – UFERSA – por meio do curso de Ciência da Computação e do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação, realizou desde a quarta-feira, 13, a III Edição do Workshop Técnico Científico de Computação – WTCC – e o Workshop de Sistemas Embarcados do Semi-Árido do Nordeste – WSESANE, sob a coordenação das professoras Angélica Felix (UFERSA) e Karla Darlene(UERN). O evento promoveu palestras, minicursos e apresentações de trabalhos acadêmicos, prosseguindo até a manhã da última sexta-feira, 15, com a realização da I Amostra Científica de Computação, na qual estudantes da Universidade tiveram a oportunidade de divulgar os seus projetos na prática.

Entre os trabalhos apresentados na amostra, estava o Projeto de Extensão Inclusão Digital Usando Robótica Educacional. “O objetivo maior desse projeto é integrar os alunos das áreas de engenharia e de computação, para que eles lecionem oficinas de robótica nas escolas públicas de Mossoró, despertando nesses alunos o interesse pela área das ciências exatas”, enfatizou a professora Amanda Gondim, uma das responsáveis pelo projeto. Em 2012, esse mesmo projeto foi levado à Escola Estadual Monsenhor Raimundo Gurgel, em Mossoró, por meio de oficinas sobre robótica educacional ministradas por estudantes do curso de Ciência e Tecnologia da UFERSA para os alunos-monitores da escola. Com esse projeto, a escola participou da Olimpíada Científica e conquistou o 2º lugar na etapa estadual desbancando na ocasião muitas escolas particulares.

Os projetos apresentados são frutos do estudo da teoria e dos exercícios desenvolvidos em sala de aula, como por exemplo, na disciplina sobre Jogos ministrada pelo professor Judson Santos do curso de Ciência da Computação. “Eu mostro aos alunos como é que se faz o jogo, como é composto, como é que se programa o jogo, como é que se capta as imagens e projeta na tela, como é que elas se movimentam, tudo isso é mediado na disciplina”.

A partir dessa disciplina, três games foram desenvolvidos pelos próprios estudantes. “Para desenvolver um game é necessário saber um pouco de física, relacionada a colisões, e quanto ao desenvolvimento do jogo”, explica o aluno Luiz Felipe Sampaio, responsável pela criação de um dos games.

Além da exposição dos trabalhos dos estudantes universitários, a feira também contou com a visita de alunos de escolas públicas de Mossoró e de Aracati. Segundo a professora Angélica Felix, a realização dessa primeira edição da amostra científica foi voltada para a participação do aluno do ensino médio, visando que ele desperte o interesse em cursar a graduação em Ciências da Computação.

O reitor da UFERSA, professor José de Arimatea de Matos, esteve presente na amostra e falou sobre a importância do evento. “Qualquer evento dessa natureza que seja em prol do aluno é sempre de grande importância para a Instituição”, afirmou. O reitor ainda parabenizou os organizadores do evento pela iniciativa. “É um evento de grande qualidade pela competência dos professores e pela habilidade dos alunos que trabalham com esses professores”, ressaltou.

O Instituto Metrópole Digital, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), abre inscrições para o processo seletivo para Tutores dos polos de Natal e Centro Estadual de Educação Profissional Senador Jessé Pinto Freire (CENEP). As inscrições estão abertas até a próxima sexta-feira, 22.

No ato da inscrição, o candidato deve escolher com qual habilitação pretende trabalhar, entre elas: inglês, eletrônica, informática para internet, redes de computadores ou automação industrial. O candidato também pode optar por mais de uma habilitação.

As inscrições realizadas online serão validadas somente após a entrega, no escritório do IMD, de uma cópia do documento de identidade e do Cadastro de Pessoa Física (CPF), do diploma (ou de certificado equivalente), do Currículo Lattes, e dos históricos das formações do candidato.

Os aprovados terão uma carga horária de 20 horas semanais, sendo quatro em encontros presenciais e quatro em encontros on-line, além de 12 horas de outras atividades relacionadas ao acompanhamento da turma. A remuneração será uma bolsa de R$ 765 mensais, a ser divulgado na contratação do bolsista, de acordo com as regras das bolsas do programa E-Tec.

O processo seletivo será realizado pela avaliação do currículo e da documentação comprobatória. Após a convocação, os aprovados serão informados sobre os documentos necessários para a implantação da bolsa, no escritório do Metrópole Digital.

O Curso de Formação de Tutores está previsto para acontecer de abril a junho deste ano. Já o resultado da seleção será no dia 28 de junho e o início das atividades ocorrerá de acordo com a necessidade do curso.

O edital está disponível no site do IMD: www.imd.ufrn.br. As inscrições serão feitas por meio de um formulário online disponível, no link: http://goo.gl/ibxIs.

alt

Nesta quinta-feira, 7 de março, o Museu Câmara Cascudo (MCC) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), comemora e homenageia o dia do Paleontólogo, com o PaleoFesta, um evento temático aberto ao público, que reúne exposição oral, mostra do acervo e coquetel.

A solenidade de abertura começa às 9h. Em seguida haverá exposição oral sobre o histórico da pesquisa paleontológica no Rio Grande do Norte e a continuação desse legado pela nova geração de pesquisadores, com a apresentação de seus mais recentes trabalhos.

Em sequência, será exposta parte do acervo da coleção de Paleontologia Onofre Lopes, onde constam fósseis referentes a mamíferos pleistocênicos do RN, como preguiças e tatus gigantes, mastodontes e tigres dentes de sabre; fósseis de peixes da bacia do Araripe; pegadas de dinossauros procedentes de Souza/PB; fósseis de invertebrados da bacia potiguar e de outras regiões do mundo.

Faz parte da mostra a exposição de uma coleção de réplicas de alguns dos fósseis mais importantes da História da Paleontologia, como o crânio do Herrerasaurus, um dos dinossauros mais antigos que se conhece, com cerca de 228 milhões de anos, e o Archaeopteryx, famoso fóssil, que apresenta características intermediárias entre aves e dinossauros, e que por isso já foi considerado “o elo perdido” entre esses grupos.

O evento é promovido pelo Laboratório de Paleontologia e o Setor de Pesquisa e Documentação. A comemoração é um evento aberto ao público e gratuito e será encerrada às 12h, com o coquetel “pré-histórico”.



Twitter