NATAL PRESS

alt

O Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) viabiliza a implantação da Rede Giga Metrópole, uma rede de alta velocidade que pretende integrar as 631 escolas públicas dos 10 municípios da Grande Natal.

A Rede Giga Metrópole será executada em três etapas. Segundo o diretor do IMD, professor José Ivonildo do Rêgo, a conclusão das duas primeiras fases desse projeto está prevista para junho de 2015, com a integração de 350 escolas, dos campi do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN), Escola Agrícola de Jundiaí e Instituto Internacional de Neurociências, em Macaíba.

Nesta fase, 400 quilômetros de fibra ótica estão em lançamento, que se somam aos 40 quilômetros da Rede Giga Natal, já em funcionamento no município de Natal, interligando instituições de ensino superior e de pesquisa da cidade.

De acordo com estudos realizados pelo IMD, em cada escola pública da Grande Natal constatou-se que metade desse universo não tem conexão com a internet e a outra metade possui uma banda média de menos meio mega, Informou o professor Ivonildo. Ainda segundo o diretor do Instituto, após a implantação da Rede Giga Metrópole, a conexão mais baixa será de 20 mega (Mbps), uma velocidade quarenta vezes superior à existente atualmente.

Na segunda fase do projeto serão interligadas as escolas restantes, através de uma rede banda larga sem fio. O projeto é uma parceria do IMD com a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (SEEC) e com o Ministério da Educação (MEC), sendo este responsável pelo financiamento, com recursos da ordem de R$ 20 milhões. O suporte logístico será garantido por meio de parceria com a Companhia Energética do Rio Grande do Norte (COSERN), que se responsabiliza pelos postes para passagem da rede de fibra ótica.

alt

Nesta quinta-feira, 10, o Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics (CfA) divulgou uma nova amostra de estrelas gêmeas solares, agora com idades determinadas. Os estudos são realizados por uma equipe internacional de cientistas liderada pelo astrônomo brasileiro José-Dias do Nascimento Jr., professor do Departamento de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Usando o telescópio espacial Kepler, da NASA, os astrônomos conseguiram precisar as idades girocronológicas (uma nova técnica para medir a idade de uma estrela usando seu Spin – girocronologia) para 22 estrelas semelhantes ao sol. Estudos anteriores já tinham apresentado apenas as medidas dos Spins e idades de duas estrelas semelhantes ao sol.

Os resultados dessa descoberta serão publicados no Astrophysical Journal Letters (astro-ph), com destaque nas páginas Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics e no Laboratoire AIM, CEA, Univ. Paris Diderot, Saclay, France-Saclay, França.

Mais informações podem ser encontradas na página do GE³ - Grupo de Estrutura & Evolução Estelar da UFRN, no endereço eletrônico: http://astro.dfte.ufrn.br/ .

alt

As inscrições para submissão de trabalhos científicos a serem apresentados na Expofruit 2014 - Feira Internacional de Fruticultura Tropical Irrigada estão abertas até o dia 1º de agosto pelo site – www.expofruitrn.com.br. A Expofruitacontece de 24 a 26 de setembro, no Expocenter/UFERSA, em Mossoró.

Os interessados podem participar em três categorias: estudante de graduação, estudante de pós-graduação e profissional. Os trabalhos podem ser cadastrados dentro dos seguintes temas: Biotecnologia; Defesa Fitossanitária; Propagação e Sementes; Botânica e Fisiologia; Fitotecnia, Solos, Irrigação e Nutrição de Plantas; Colheita e Pós-Colheita e Genética e Melhoramento.

É necessário preencher o formulário existente no site e enviar um resumo com no máximo três folhas e o modelo de banner do trabalho a ser apresentado, comprovante de pagamento da inscrição (valores de acordo com a categoria que variam de R$ 50 a R$ 70) e comprovante de matrícula (para estudantes de graduação e pós-graduação).

Expofruit
A Expofruit 2014 terá como tema “Venha conhecer o precioso sabor da nossa região”, a expectativa de movimentar R$ 20 milhões e de receber um público de 30 mil pessoas nos três dias da feira. A 17ª da feira apresenta algumas novidades, dentre elas a homenagem a um mercado importador a cada edição, que este ano será os Estados Unidos, mercado em crescimento e considerado essencial para os fruticultores locais.

A programação já está sendo fechada e já conta com as seguintes atrações: Encontro da Equipe Técnica do Projeto Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Projeto PAIS), Encontro do Comitê Gestor de Cajucultura, Fórum Internacional da Fruticultura, Encontro da Agricultura Familiar, Apresentação de Trabalhos Científicos (Resumos), Clínicas Tecnológicas (unidades demonstrativas), Rodada de negócios Nacional e Internacional, Central de Negócios, Degustação de Frutas, Caravanas de produtores, Agro Sabor, Unidade Móvel da Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária.

A Expofruit 2014 é realizada por meio de uma parceria entre o Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte (COEX), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte (Sebrae/RN) e a Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA).

anastácia vaz

alt

Jadson Medeiros, no centro, com projeto premiado no Facebook

Criado com o objetivo de integrar inclusão social e digital de jovens do ensino básico com a pós-graduação, pesquisa e inovação em Tecnologia da Informação, o Instituto Metrópole Digital (IMD) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) começa a dar frutos. Um deles é o projeto do estudante Jadson Medeiros, um jovem empreendedor que criou na rede social Facebook a página potiguar com maior número de usuários seguindo suas publicações: a Mustache.

Superando a marca de 1 milhão de “curtidas”, com seguidores de todo o país, a página surgiu de algo inusitado. Jadson conta que pensou em elaborar um portfólio pessoal, onde pudesse postar seus trabalhos como webdesigner e atualidades, como notícias e tirinhas de humor. “Comecei a procurar um nome para o meu portfólio. Foi algo muito difícil, porque eu não tinha noção do que queria, ou o que realmente faria”, relembra.

O nome da page surgiu enquanto o estudante estava navegando pelo Facebook e viu uma foto em que um amigo segurava uma caneca de mustache. “Nesse momento, fui pesquisar sobre mustache e gostei da ideia do bigode, seria um nome novo, ninguém tinha algo parecido”, diz.

A idealização do projeto começou no Twitter, em 2009, quando Jadson elaborava trabalhos de webdesign, produzindo backgrounds (BGs) para pessoas famosas. “Foi nesse tempo que me descobri como designer. Sofri muito no início. Mexer nos programas não requer apenas conhecimento do software, você tem que ter paciência e criatividade”, lembra.

Ele afirma que inicialmente produzir BGs era algo divertido, as pessoas lhe pagavam apenas com indicações de seguidores no Twitter. Com o tempo, Jadson aprimorou seus conhecimentos na utilização de programas para produção de conteúdo. “O tempo foi passando e cansei de trabalhar para os outros sem ganhar nada em troca. Por outro lado, não achava ruim porque via o lado pedagógico e usei a oportunidade pra crescer”, revela.

Com o tempo, Jadson direcionou o foco de suas produções para a rede social Facebook. “No Facebook, fui observando as fan pages e vi que algumas tinham um crescimento estrondoso. Achei que trabalhar na nova rede agregaria valor a meu portfólio, então foquei na produção de conteúdo para a página abordando o lado humorístico”, relata.

Quanto ao êxito da Mustache, Jadson atribui a duas coisas essenciais: trabalho contínuo e foco publicitário. “No começo, eu não tinha noção do que queria, nem do quanto ia crescer. Quando criei a página, em 2012, minha meta era de 100 mil likes, número que conquistei em 4 meses. Hoje temos mais de 1,2 milhões de curtidas, somos a maior página do Rio Grande do Norte, com alcance nacional, e tudo isso foi graças às pessoas que curtem”, enfatiza.

A equipe que trabalha com Jadson Medeiros no gerenciamento e produção de conteúdo para a página é composta por três pessoas. Gabriel Damazio, que elabora os vídeos, e Daiana Carla e Leonardo Araújo.

Fonte: Tribuna do Norte

alt

Nesta sexta-feira, 23, o professor James Chen, da Universidade Stanford, nos Estados Unidos, ministra na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), a palestra I only have eye for ewe: genetic and chemical regulators of the Hedgehog pathway (Eu só tenho olhos para a ovelha: reguladores genéticos e químicos da via Hedgehog).

O evento, promovido pelo Instituto do Cérebro (ICe), acontece às 15h no Anfiteatro das Aves, no Centro de Biociências (CB), Campus Central da UFRN. Na oportunidade, o professor James Chen, que atua nos departamentos de Química e Biologia de Sistemas e de Biologia do Desenvolvimento daquela universidade, descreve como foram utilizados testes genéticos e químicos para identificar novos reguladores da via Hh (The Hedgehog), considerado um dos reguladores chave do desenvolvimento animal.

Como parte das comemorações dos 20 anos do evento, a Comissão Organizadora da Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura (CIENTEC) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) promove, na próxima segunda-feira, 26, palestra gratuita sobre Megaeventos com Luis Cláudio Duarte, produtor de megaeventos como Rock In Rio, Rock In Rio Lisboa, U2 Vertigo Tour, Coldplay no Brasil e Coca-Coca VibeZone. A palestra será ministrada no SEBRAE, no SEBRAE, dia 26 de maio, às 16h.

O produtor Luis Cláudio estará em Natal para ministrar um curso de Gestão e Logística de Eventos, com patrocínio do SEBRAE, que também da UFRN na realização da CIENTEC. O curso traz informações sobre todas as etapas do projeto e planejamento de um evento, da concepção e conceito, passando pelas visitas técnicas, preparação do terreno, montagem e desmontagem de estruturas.

A organização da palestra para os servidores da UFRN é da Coordenadoria de Eventos, Cursos e Fomento à Educação Permanente, da Pró-Reitoria de Extensão da UFRN (PROEX). As inscrições estão abertas para toda a comunidade acadêmica mas são limitadas. As reservas podem ser feitas através do email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo., informando nome, telefone e email. Informações no telefone 3342 2272 (opção 7).

Atividades de extensão compõem a programação comemorativa dos três anos de criação do Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). As ações acontecem dia 16 de maio, na Escola Municipal Juvenal Lamartine, situada no bairro do Alecrim, e no Parque das Dunas no próximo dia 17.

Na sexta-feira, 16, das 8h às 11h, na Escola Juvenal Lamartine, alunos, professores, funcionários e responsáveis participam da oficina “Mapa do Cérebro”, de exibição do filme “O Mundo Real”, de sessão de contação de histórias, de jogos recreativos, e da exposição “Como Cuidar do Seu Cérebro”.

Quem for à escola assistirá ainda a apresentação do funk "Cérebro", pelo grupo “Bonde Dos ZiKa$”, formado pelos alunos Markson Bezerra da Silva, Wesley Pereira Araújo, Ítalo Rodrigo Melo da Silva, Brendo Rocha da Silva e Douglas Messias do Nascimento.

Já no sábado, 17, das 8h às 16h, no Parque das Dunas, a comunidade conta com a seguinte programação: Meditação com o estudante Daniel Almeida; Ilusões da Mão de Borracha, com a aluna de mestrado Rafaela Faustino; Neuroanatomia, com a cientista Renata Anomal; exposição sobre ilusões de ótica, com os pesquisadores Eduardo Sequerra e Sérgio Arthuro e exibição de vídeos sobre Neurociências.

Também no Parque das Dunas, pela manhã, a programação conta com o grupo “Bonde Dos ZiKa$” e a música "Cérebro". Especialmente para comunidade do Instituto do Cérebro, será feita a Trilha Peroba, com 20 vagas.

A Escola Municipal Juvenal Lamartine localiza-se na Rua Presidente Sarmento, 1156, Alecrim, e insere-se no Projeto Escolas Acadêmicas, coordenado pelo ICe.

Mais informações com Débora Koshiyama, no telefone: 8118-2623.

O Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebeu na manhã dessa sexta-feira, 9, a visita de dezessete jornalistas científicos da Suíça.

O grupo, enviado pela Associação de Jornalistas daquele país, veio ao Brasil visitar alguns centros de pesquisas, projetos e comunidades como favelas no Rio de Janeiro. Estiveram em Manaus, São Paulo, Patos e João Pessoa (PB) e encerraram a visita em Natal.

O objetivo é conhecer centros de pesquisas instalados em várias partes do mundo. Os professores e neurocientistas Kerstin Schmidt e Rodrigo Pereira, do ICe, receberam os jornalistas, quando falaram sobre a proposta do Instituto, as pesquisas desenvolvidas e demais ações.

Parte da estrutura que compõe o Instituto Internacional de Física (IIF) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o Altix UV 1000 é um sistema de processamento de dados de alto desempenho, com capacidade para realizar até 12 trilhões de cálculos por segundo. Sua configuração de 2 terabytes (TB) de RAM, 1.024 núcleos de processamento e capacidade de 16 TB de armazenamento de dados.

O equipamento possibilita enormes vantagens para pesquisadores, não apenas do campo da Física Teórica, mas de diversos campos do conhecimento, como Geofísica, Biologia, Matemática, Engenharias e outras áreas. Tamanha capacidade de armazenamento de dados e de respostas vêm auxiliando cientistas a conseguir resultados de forma mais rápida, acelerando o desenvolvimento do conhecimento científico em diferentes tipos de pesquisa.

Atualmente alocado na Superintendência de Informática (SINFO), o Altix UV 1000 está à disposição de qualquer departamento da UFRN ou de Instituições de Ensino e Pesquisa parceiras dentro do setor público. Um equipamento similar é utilizado por instituições como a Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e pela NASA, entre outras de alta relevância para a ciência no mundo.

Segundo Bruno Pacheco, Gerente de Tecnologia da Informação do Instituto, o sistema pode ser utilizado remotamente, por meio da solicitação realizada junto ao Laboratório de Processamento de Dados do IIF. Se o pedido for aprovado, uma senha de acesso é gerada e liberada para o pesquisador solicitante.

Ele explica ainda que “O acompanhamento é feito desde o momento em que o pesquisador pede a abertura da conta para utilização da máquina. Após isso, é feito um monitoramento do desempenho do sistema computacional de acordo com as necessidades do pesquisador”.

O pesquisador que deseja fazer uso do Altix UV 1000 deve enviar e-mail para: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. a fim de receber a autorização de acesso. Um formulário de solicitação será enviado e o interessado deverá entregá-lo no IIF com todas as informações e a lista dos softwares – desde que sejam livres – que pretende utilizar. Dúvidas podem ser esclarecidas diretamente com o Setor do TI do IIF pelo telefone: 3215-9201 (ramal 37).

Os polos a distância de Currais Novos e Nova Cruz da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebem, nos dias 5 e 12 de abril, respectivamente, das 8h às 12h, a palestra Escola de Física CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), apresentada pela professora Amanda Vivian Medeiros de Souza.

Amanda Vivian é professora de Física da rede estadual de ensino e foi a única do Rio Grande do Norte, entre 30 participantes de todo o Brasil, selecionada para participar da Escola de Física CERN (Centro Europeu de Pesquisas Nucleares), localizado na Suíça, no período de 28 de agosto a 6 de setembro de 2013.

O CERN é o maior laboratório de Física do mundo, que recolocou em funcionamento, no ano de 2009, o grande colisor de prótons “Large Hadron Collider” (LHC). Este gigantesco espaço, de 27 km de diâmetro, possui programas de educação destinado a professores de diversos países do mundo, onde acontecem visitas a todas as instalações e laboratórios, além de cursos sobre tópicos de Física, ministrados no idioma dos participantes.



Twitter