NATAL PRESS

A primeira edição do HackFest MPRN 2019, maratona de programação voltada para a criação de projetos tecnológicos de combate à corrupção, começou nesta quinta-feira, 18, nas dependências do Instituto Metrópole Digital (IMD). Realizado pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN), em parceria com o IMD, o evento se estende até o sábado, 20, com a participação de programadores, estudantes e profissionais ligados ao desenvolvimento de softwares.  No último dia, serão conhecidos os três melhores projetos apresentados, que serão premiados com valores que somam R$ 10 mil.

A abertura do HackFest foi realizada pelas autoridades do MPRN e de entidades parceiras, e contou com as presenças do procurador-geral de Justiça do Rio Grande do Norte, Eudo Rodrigues Leite e do reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), professor Daniel Diniz.  Ao saudar os participantes  ele agradeceu a organização do evento e destacou o número de equipes inscritas, 16 ao todo.  Em seguida, ressaltou a importância de eventos como o HackFest, segundo ele, “oportunidades para aproximar da sociedade tanto o Ministério Público como a Universidade.” Sobre o objetivo da maratona disse: “Esses protótipos de aplicativos que aqui serão desenvolvidos, destinam-se aos cidadãos comuns, para que estes possam, através do controle social, contribuir com o combate à corrupção. São 16 equipes, então teremos necessariamente 16 soluções tecnológicas.” 

O reitor da UFRN, José Daniel Diniz, além de destacar a importância científica do evento, ressaltou que a maratona poderá proporcionar ações cidadãs. Sobre a participação da Universidade, por meio do IMD, disse ser motivo de reconhecimento e prestígio. “Aqui teremos um movimento tecnológico, cujo propósito remete ao combate direto à corrupção. Então, serão três dias destinados a essa nobre finalidade e, como reitor da Universidade, que tem primado por zelar pela boa administração pública, devo confirmar meu entusiasmo e minha alegria com essa realização aqui no nosso Instituto Metrópole Digital”. 

A programação da manhã teve continuidade com as palestras magnas “O Conselho Nacional do Ministério Público e o Combate à Corrupção”, ministrada pelo promotor de Justiça Octávio Paulo Neto, e “Investimento em TI e inovação no âmbito do MPRN - resultados e perspectivas”, conduzida pelo procurador-geral, Eudo Rodrigues. 

Também estiveram presentes na abertura do evento o senador Jean-Paul Patres, o conselheiro do Conselho Nacional do Ministério Público Federal (MPF) Sílvio Amorim, o superintendente da Controladoria-Geral da União (CGU), Marcelo Borges, a superintendente da Polícia Federal do Rio Grande do Norte (PFRN), Tânia Fogaça, o chefe da Procuradoria Regional do Trabalho no RN, Luís Fabiano Pereira, e o promotor de justiça Rafael Galvão. 

Contribuições

De acordo com o professor Nélio Cacho, que faz parte da organização, a maioria das equipes inseridas no hackthon são formadas por profissionais oriundos dos cursos do IMD, em especial, e da UFRN de modo geral, dado que, segundo ele, permite perceber como a Universidade vem contribuindo para suprir as necessidades de formação na área de Tecnologia da Informação (TI).  

Já para o vice-diretor do IMD, professor Adrião Duarte, a parceria com o MPRN para a realização do HackFest marca mais um passo nos avanços e contribuições que o Instituto vem promovendo em relação ao âmbito jurídico potiguar.   “Para o Rio Grande do Norte, o evento tem uma importância muito grande. Primeiro, a Tecnologia da Informação, por ser uma área transversal, ou seja, aplicada em diferentes setores, têm encontrado na área jurídica um elemento fértil para o desenvolvimento de novas tecnologias, que auxiliam a prática em diferentes setores, desde a tramitação de processos até a organização institucional”, avalia o vice-diretor. 

Paralelo à maratona, o Hackfest conta com uma programação com painéis e palestras sobre corrupção, finanças públicas, transparência e controle. Entre os expositores, Juliana Sakai, Diretora de Operações da Transparência Brasil, e Daniel Bramatti, Editor de Dados do jornal O Estado de São Paulo.

Para mais informações, acesse o site do evento.



Twitter