NATAL PRESS

fapernok

A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN), juntamente com o Departamento de Engenharia da Produção da Universidade Federal do Rio Grande do Norte e o Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte estão organizando o evento Marcha Pela Ciência Natal (March For Science Natal), que acontecerá no dia 22 de abril de 2017 (sábado). O evento acontece em vários países sendo celebrado também nesta data o Dia da Terra.

Com a finalidade de otimizar as ações do Evento, a organização está realizando uma convocatória para que professores, pesquisadores e estudantes apresentem propostas de eventos paralelos relacionados à ciência, tecnologia, inovação e sustentabilidade com impactos na sociedade, meio ambiente e economia.

As palestras, oficinas e outras atividades serão realizadas na UFRN e no Parque da Cidade Dom Nivaldo Monte.

Para mais informações, os interessados devem entrar em contato com o coordenador do evento e diretor de Inovação da FAPERN, Julio Rezende, pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. No final de março será divulgada a programação preliminar do evento e suas atividades paralelas.

O aluno concluinte do Bacharelado em Tecnologia da Informação, do Instituto Metrópole Digital (IMD/UFRN), Lucas Pinheiro Otaviano André, de 22 anos, foi convidado para trabalhar na Microsoft, na área de segurança de software (Security Software Engineer), em Redmond, Washington (EUA).

Lucas termina a graduação na UFRN neste semestre e já começa a trabalhar em outubro próximo. O primeiro contato da Microsoft com seu mais novo contratado foi em dezembro de 2016, quando um dos profissionais da área de segurança de software da empresa viu o site de Lucas (http://st4rk.net/) e começou a segui-lo em suas redes sociais (Twitter), nas quais ele publicava seus trabalhos e estudos referentes a área de computação.

Aluno da primeira turma do Bacharelado em Tecnologia da Informação do IMD, cujo início foi em 2013, Lucas se dedicou mais à ênfase livre e Sistemas Embarcados – “meu coração é sistemas embarcados”, confessou. Foi monitor das disciplinas Organização e Arquitetura dos Computadores e Sistemas Operacionais, a partir das quais participou de projetos de engenharia reversa no protocolo de comunicação do sistema de ar condicionado do IMD, além de outros projetos, como o de tranca eletrônica utilizando TOTP e protocolos de carros com OBD.

Em 2014 iniciou o seu blog/site, ao mesmo tempo em que começou a se dedicar à leitura da literatura computacional em inglês. “Temos pouca literatura, nessa área, em português”, lembrou. Assim, foi também nesse período que começou a estudar inglês, sozinho (autodidata), para poder progredir em seus estudos e fazer suas postagens em inglês. Caso contrário, o seu site não teria a visibilidade que tem.

Em 2016 se candidatou a uma vaga no Programa Andifes de Mobilidade Acadêmica, com bolsa do Santander, passando em primeiro lugar. Foi para Porto Alegre (RS) estudar durante um ano na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde cursou Engenharia da Computação. Lá também aprendeu muito, especialmente na área de computação gráfica.

O projeto Diálogo sobre Ciência, consiste em realizar uma palestra por mês com um professor convidado para abordar um pouco sobre a sua vida acadêmica e o seu campo de atuação.

Na próxima terça-feira (21), às 9h no Auditório do CETEC no Centro de Tecnologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (CT-UFRN), a Fundação de Apoio à Pesquisa do Rio Grande do Norte (FAPERN) irá promover o início do projeto Diálogo sobre Ciência.

A palestra inaugural será proferida pelo professor do departamento de Física Teórica e Experimental da UFRN, Liacir Lucena e terá como tema: O Desenvolvimento das Ciências Físicas no Rio Grande do Norte.


O projeto

O projeto Diálogo sobre Ciência, consiste em realizar uma palestra por mês com um professor convidado para abordar um pouco sobre a sua vida acadêmica e o seu campo de atuação. As temáticas convidam o público a  conhecer a história da ciência e da tecnologia no estado do Rio Grande do Norte.

O evento é gratuito e as inscrições serão realizadas momentos antes da palestra no local do Evento.

cienciaetec

Grupo de Pesquisa Pandora - Democracia e Gênero em Ciências e Tecnologia, da Escola de Ciências e Tecnologia (ECT), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), seleciona até o dia 17 de fevereiro, três bolsistas de iniciação científica para atuar em diferentes projetos de pesquisa.

São duas vagas remuneradas, uma no projeto Reflexões sobre a interdisciplinaridade no campo CTS nos bacharelados em ciências e tecnologia e a outra no subprojeto Percepções de CTS de alunos do Bacharelado Interdisciplinar em Ciências e Tecnologia da UFRN, a terceira vaga é para bolsista voluntário no projeto Mulheres Cientistas Pioneiras da UFRN.

Podem participar da seleção alunos de graduação, de preferência dos cursos de bacharelado em Ciências e Tecnologia ou licenciaturas em Química, Física, Matemática, Biologia e Comunicação. A inscrição deve ser solicitada pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. colocando como título do e-mail Bolsa de Iniciação Científica, escrevendo no corpo da mensagem o nome completo, matrícula na UFRN, link do currículo lattes e mencionar em qual projeto de pesquisa gostaria de atuar.

A seleção consta de uma prova escrita no dia 20 de fevereiro na ECT, análise do currículo e entrevista que vai ocorrer entre 20 e 24 de fevereiro. Outras informações podem ser solicitadas pelo mesmo e-mail.

O Laboratório de Neurodinâmica do Instituto do Cérebro (ICe) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) recebeu financiamento para pesquisas sobre o zika vírus. Os recursos foram disponibilizados por meio do edital público do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenadoria de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


De acordo com o chefe do laboratório, Richardson Leão, a pesquisa, que tem como objetivo investigar o efeito do zika vírus no cérebro adulto, contará com cinco cientistas e há a previsão de conclusão entre dois e quatro anos.


Ainda segundo o docente, a verba captada é de R$ 500 mil e será empregada na compra de reagentes químicos e no recrutamento de pesquisadores.

divulgação

app

Os estudantes potiguares Paulo Victor e Juan Fernandes, de 14 anos, conquistaram o primeiro lugar no concurso nacional de criação de aplicativos da Microkids. Os alunos criaram o “Spacial Conquest”, um jogo que envolve desafios e fórmulas matemáticas. O aplicativo criado pela dupla se destacou entre diversos projetos inscritos por alunos de todos os estados do Brasil


O projeto foi desenvolvido durante quase todo o ano letivo. “Antes mesmo de o professor iniciar o projeto de criação de apps em sala de aula, nós já estávamos começando a criar o nosso aplicativo”, afirma Juan Fernandes, aluno do Colégio Salesiano São José. Os estudantes foram responsáveis por todas as etapas do produto, elaborado através da plataforma App Inventor, ferramenta baseada em nuvens e voltada ao desenvolvimento de aplicativos para dispositivos móveis.


O Colégio Salesiano São José inclui a programação nas atividades curriculares e o projeto de criação de aplicativos é interdisciplinar. Os alunos contam com a orientação dos professores de geografia, matemática e da coordenação de tecnologia educacional. A cada ano, uma temática diferente norteia o projeto.


Para Paulo Victor, a experiência adquirida no ano anterior com o trabalho de criação de games na escola facilitou o processo de desenvolvimento do App. “Assim como para criar games, a criação de aplicativos precisa de uma lógica de programação”, explica. O aluno também faz parte do Clube de Programação da escola e pretende desenvolver novos projetos na área e cursar Tecnologia da Informação no futuro.


SOBRE O SPACIAL CONQUEST

O jogo desenvolvido pela dupla campeão tem como objetivo disponibilizar fórmulas matemáticas para as pessoas de todas as idades. Ao passar dos níveis, o jogo desbloqueia uma fórmula nova que pode ser usada apenas para ler ou para fazer cálculos com a opção de calculadora avançada que o aplicativo disponibiliza.

interdascoisas

·Â Â Â Â Â Â Â Â  Primeiro laboratório de referência na América Latina para NB-IoT e eMTC vai avaliar elementos da rede e desenvolver dispositivos e aplicações

·Â Â Â Â Â Â Â Â  Capilaridade de rede da Oi, a maior do país, é fundamental para mercado e conectividade da internet das coisas

A Oi e a Nokia concluíram a implantação do laboratório de IoT e agora partem para a busca de novas parcerias para o desenvolvimento de produtos e soluções em Internet da Coisas. O laboratório é o primeiro de referência na América Latina para a Internet das Coisas em Banda Estreita (Narrowband-IoT) e eMTC (evolved Machine Type of Communication), tecnologia também conhecida como LTE-M. O Laboratório de IoT já está operacional no Leme, na Zona Sul do Rio de Janeiro.

Entre as atividades desenvolvidas no laboratório estão a avaliação de elementos da rede (terminais, rede de acesso, rede núcleo e plataformas), o desenvolvimento de dispositivos e aplicações por terceiros no Brasil e na América Latina. Será possível realizar a certificação dos inúmeros tipos de dispositivos a serem conectados na rede, para antecipação de riscos e problemas de operação.

Esta iniciativa entre a Oi e a Nokia viabiliza o desenvolvimento conjunto do ecossistema para os serviços da Internet das Coisas e de comunicação entre máquinas (M2M).  O laboratório permite o uso de recursos profissionais, infraestrutura do laboratório e tecnológicos, entre outros, para viabilizar projetos para o IoT através de desenvolvimento próprio ou de parcerias, principalmente no modelo de crowdsourcing.

O laboratório realizará, durante este semestre, workshops para a comunidade de desenvolvedores, parceiros, fornecedores e demais participantes da indústria, objetivando apresentar os modelos de negócio para utilização da infraestrutura e criação de parcerias.

Com isto, a Oi conta atualmente com um arcabouço consistente de parceiros e uma infraestrutura de referência, com a mais moderna tecnologia para desenvolvimento de novas aplicações e serviços para o IoT, podendo garantir o funcionamento pleno destes serviços por toda sua rede, seja móvel ou fixa.

A rede da Oi atende a todas as regiões do país com a maior capilaridade de atendimento, cobrindo mais de 90% da população e possuindo serviços de banda larga em mais de 4.700 municípios, fator fundamental para o mercado e a conectividade do IoT, já que as informações dos dispositivos e as aplicações serão transmitidas predominantemente (cerca de 70% dos acessos) pela rede de acesso fixa.

Sobre a Oi

A Oi, empresa pioneira na prestação de serviços convergentes no país, oferece transmissão de voz local e de longa distância, telefonia móvel, banda larga, TV por assinatura e a maior rede wi-fi do Brasil. A companhia está presente em todo o território nacional e é a empresa que tem a maior capilaridade de rede do Brasil, chegando às áreas remotas do país e promovendo a inclusão digital da população. Além de serviços de telecomunicações para os mercados varejo e corporativo, a Oi oferece soluções de TI inovadoras, hospedadas em plataforma de computação em nuvem, para empresas de todos os portes.

Em junho de 2016, a empresa possuía, no Brasil, cerca de 69,2 milhões de Unidades Geradoras de Receitas (UGRs), das quais cerca de 45,3 milhões estavam no segmento Móvel Pessoal, 16,1 milhões no segmento Residencial e 7 milhões no segmento B2B (grandes corporações e PMEs). Atualmente, a Oi ainda conta com mais de 648 mil telefones públicos e 2 milhões de hotspots da rede Oi WiFi em todo o Brasil.

A companhia é signatária do Pacto Global, elabora e publica o seu Relatório Anual de Sustentabilidade, reporta ao CDP (Carbon Disclosure Project) e está no Nível 1 de Governança Corporativa da BM&FBOVESPA.

A Oi, por meio de seu instituto de responsabilidade social, o Oi Futuro, apoia projetos nas áreas de educação, sustentabilidade, esporte e cultura, através de leis de incentivo, com o intuito de democratizar o acesso ao conhecimento para acelerar e promover o desenvolvimento humano. A Oi é uma das maiores patrocinadoras da cultura no país e busca gerar oportunidades para projetos de todas as regiões do Brasil.

divulgação

lapiscientesc

No corredor principal da 22ª Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura da UFRN – Cientec, crianças de 6 a 10 anos têm se destacado. O estande é o da Escola Lápis de Cor e nele os alunos da instituição fazem experiências, interagem com os visitantes através de jogos, contam histórias em inglês e explicam temas vistos em sala de aula de forma lúdica, como fração, energia, densidade, educação financeira e ações relacionadas ao desenvolvimento sustentável.


Semio Dutra, aluno do 5º ano, é um dos responsáveis por falar sobre os estudos de educação financeira aos visitantes do espaço e garante que está gostando de participar do evento. "Eu acho muito legal participar porque aqui eu explico o meu conhecimento para as pessoas e eu acho que elas estão entendendo e estão gostando", disse Semio.


Na visão dos professores, o desafio de explicar diferentes conteúdos para um grande público é algo bastante proveitoso para as crianças, que não deixam de aprender durante esse processo. "É mais significativo quando eles tentam passar o que eles entenderam para as pessoas. É uma experiência muito boa para o aluno colocar a mão na massa e exercitar esses assuntos de forma prática, pois quando eles explicam, eles também reforçam o aprendizado", ressaltou Renata Souza, professora do 5º ano da Escola.


Os assuntos tratados no estande estão ligados ao tema integrador da Escola em 2016 – Biodiversidade Marinha: condição necessária para a manutenção da vida no planeta terra, bem como ao tema central desta edição da Cientec: "Nós no Planeta". Em 2016, a Cientec conta com 80 estandes, divididos em quatro pavilhões, onde ocorrem seminários, oficinas, apresentações de dança, música e exposição de pôsteres.  

A 22ª edição da Cientec - Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura - promovida pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte teve início na manhã desta quarta-feira (19), com o tema "Nós no Planeta", que propõe uma reflexão sobre como as pessoas vivem e se relacionam com a Terra e a necessidade de repensar as condições deixadas para gerações futuras.

Em sintonia com o tema central do evento, o Pavilhão Integração abriga o estande da Escola Lápis de Cor. Neste espaço, alunos do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) realizam apresentações e expõem ações que tratam do desenvolvimento sustentável do planeta. Os alunos são divididos em grupos e explicam os temas por meio de objetos como banners, cartazes e maquetes.

As ações apresentadas pelos alunos durante os três dias da 22ª Cientec trazem abordagens nas áreas de Ciências Naturais e Humanas, Matemática, Língua Inglesa e Portuguesa, com a intenção de aguçar a curiosidade dos visitantes. Além disso, os assuntos expostos são ligados ao tema integrador da Escola em 2016 – Biodiversidade Marinha: condição necessária para a manutenção da vida no planeta terra.

Neste ano, a Cientec conta com 80 estandes, divididos em quatro pavilhões. O evento ocorre até sexta-feira (21) e conta com seminários, oficinas, apresentações de dança, música e exposição de pôsteres. 

fapernlulu

Visando de popularizar a ciência e mostrar a sua importância para o desenvolvimento do país, a Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN) irá realizar na próxima terça-feira (18), às 14h, no auditório 2 da Universidade Potiguar (UnP), na unidade Floriano Peixoto, a abertura da 13ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT 2016), que terá como tema: “Ciência Alimentando o Brasil”.


Serão realizadas duas palestras. A primeira, proferida pelo pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Luiz Carlos Guilherme, e sua palestra terá como tema: “Ciência Alimentando o Brasil: 1000 Sisteminhas e o empreendedorismo como ferramenta de combate a fome e a pobreza”.


A segunda palestra, ministrada pelo professor do Instituto de Neurociência de Natal, Edgard Morya, que falar sobre: “Neurociência do paladar: da psicofísica ao comportamento”.


A Semana

Criada em 2004, pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a SNCT tem por finalidade promover a divulgação científica no Brasil e estimular a participação popular no que remete as ações ligadas a Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI).

No Estado do Rio Grande do Norte, a FAPERN promove ações em prol da difusão da ciência durante todo o mês de outubro em diversas regiões do Estado.


O evento é gratuito e aberto ao público.


Informações:

Local: Universidade Potiguar (UnP) – Unidade Floriano Peixoto (Auditório 2): Av. Floriano Peixoto, 295 - Tirol, Natal - RN, 59020-500

Data: 18/10/2016

Horário: 14h



Twitter